NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Terça-feira, 18 de Outubro de 2011
SANTAREM - Casa do Ambiente organiza workshop para ensinar a construir caixas-nin​ho e ajudar a salvar as corujas-da​s-torres no âmbito do SOS Alviela

“Como construir uma caixa-ninho para a Coruja-das-torres” foi o tema do workshop organizado Divisão de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (DADS) da Câmara Municipal de Santarém (CMS) na Casa do Ambiente, dia 14, pelas 15h30. A sala foi pequena para acolher as cerca de 50 pessoas que não perderam a oportunidade de ficarem a conhecer um pouco mais sobre as corujas e dar o seu contributo para a proteção da espécie. No âmbito do protocolo assinado entre a CMS e a Universidade de Évora (EU), através do projeto SOS Alviela, Ana Marques, Mestre em Gestão e Conservação da Natureza, e Inês Roque, Mestre em Biologia da Conservação, da equipa do projeto “TytoTagus” que estuda a dispersão pós-natal da Coruja-das-torres no Vale do Tejo, vieram a Santarém falar um pouco das sete espécies de corujas que habitam em Portugal, particularmente da coruja-das-torres, também conhecida por Tyto alba. Perante uma assistência, composta por várias faixas etárias (crianças, adolescentes, adultos e seniores), Ana Marques fez uma apresentação sobre as corujas, dando a conhecer um pouco melhor a misteriosa ave noturna. Como é, onde vive e o que caça, foram algumas das informações dadas a conhecer, ao público, sobre a coruja-das-torres.  Pela voz da investigadora ficámos a saber que se trata de uma ave que apresenta uma plumagem branca, que contrasta com a tonalidade das asas laranja e cinza. Possuem um bico em forma de nariz. Medem entre 25 e 45 centímetros e pesam entre 250 e 700 gramas. Têm uma visão refinada, cem vezes melhor que a humana, que lhes confere a capacidade de distinguir na escuridão, a uma altura de 10 metros, qualquer coisa que se movimente no solo, já que precisa de apenas de 10 por cento da luz utilizada pela visão humana para fazer essa distinção. A audição, aliada à visão, permite que a tyto alba consiga na total escuridão definir a posição das suas presas, que são normalmente pequenas aves, invertebrados, roedores, pequenos lagartos e anfíbios. Esta ave gosta de lugares abertos e de climas que variam de temperados aos tropicais. Constrói o seu ninho em cavernas, telhados de celeiros, prédios e em torres de igrejas. Feita a apresentação, foi tempo de passar aos trabalhos oficinais, dividindo os participantes no workshop em quatro equipas, para aprenderam a fazer as caixas-ninho para a coruja-das-torres. Contraplacado marítimo, gentilmente oferecido pela empresa LAMINAR, que já tinha sido cortado por medida, foi o material utilizado para estes ninhos artificiais, que obedecem aos critérios de um modelo inglês que conta já com cerca de 10 anos de experiência com sucesso. Seguindo o esquema do projeto, previamente entregue, as equipas conseguiram produzir um total de cinco caixas-ninho, que serão posteriormente colocadas nos locais definidos pela equipa do “Tyto Tagus”. De referir que as caixas-ninho têm tido um grande sucesso, uma vez que todas elas têm sido adotadas por casais de corujas-das-torres para construírem os ninhos e se reproduzirem. Como se trata de uma ave predominante, não migratória, as caixa-ninho são habitadas pelos casais de corujas para toda a vida. Já que as tyto alba quando acasalam se tornam parceiros para toda a vida.



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:56
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Eu estou aqui...

O tempo carrega em si a s...

TAGUS promove acções de v...

Câmara de Azambuja aprovo...

Ministro da Educação inau...

Concerto Solidário de ...

Estudo europeu alerta: Po...

Campanha “Calendário Soli...

Apresentação do Livro "O ...

Cinco Dias Seis Artistas/...

arquivos

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds