NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2011
TORRES NOVAS - Novo edifício da biblioteca comemorou aniversário com Valter Hugo Mãe

No terceiro aniversário do novo edifício, comemorado a 28 de Novembro, a Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes recebeu o escritor Valter Hugo Mãe, que apresentou o seu mais recente romance: O filho de mil homens.

Numa sessão informal mas plena de conteúdo, foi possível evidenciar o percurso literário de um dos escritores mais proeminentes da contemporaneidade literária em Portugal, assim como dar a conhecer as vicissitudes de um autor e músico multifacetado. Como referiu Luís Dias, chefe da divisão de cultura da Câmara Municipal de Torres Novas, ao apresentar o autor «a força telúrica das palavras e o registo singular das vielas do passado tornaram Valter Hugo Mãe no nome mais badalado da Festa Literária Internacional de Paraty, Brasil, deste ano (…) É por muitos críticos considerado “o mais consistente escritor da nova geração do romance português”»

Coube a Margarida Teodora, técnica da BMGPL, apresentar a sua interpretação do livro O filho de mil homens, como ponto de partida para a discussão que se seguiria. «É um livro que nos fala da esperança e da aceitação do outro e de como o passado não tem que pesar como uma herança sobre a construção de um novo futuro» destacou Margarida Teodora, concluindo: «Esta obra trata principalmente da força do amor e da aceitação do outro para vencer o preconceito… ou, por outro lado, de como pode o preconceito destruir as pessoas e o mundo»

Depois de ter escrito romances protagonizados por personagens no princípio, no meio e no fim da vida, o escritor decidiu usar como ponto de partida o seu tempo verdadeiro. Chamou-lhe «O Filho de Mil Homens», e apresenta-nos Crisóstomo, um homem de 40 anos incompleto por lhe faltar um filho. «Querer ter filhos não é uma coisa só das mulheres. É uma causa típica de quem está vivo. Também faz parte dos homens esse amor que temos para dar», destacou Valter Hugo Mãe.

 «A primeira frase do livro é muito reveladora: a partir do momento em que o Crisóstomo assume a tristeza de não ter um filho, não tem mais como disfarçá-la. E isso é uma forma de acreditar que essa tristeza pode ser superada e que alguma coisa tem de ser feita para a superar. Toda a escrita deste livro passa por essa ideia de, custe o que custar, identificar aquilo que queremos, aquilo que nos faz correr, e correr por isso, sem possibilitar a desmobilização», prosseguiu o autor.

Quando questionado sobre uma eventual intenção didáctica na escrita deste livro, Valter Hugo Mãe foi peremptório: «Não quero que os leitores achem o que eu acho. Quero que achem alguma coisa. Não quero ensinar nada com os livros. Quero que os livros estejam disponíveis e que sirvam para que o leitor, ao sentir-se seguro dentro desse mesmo livro, nessa intimidade, se proponha a uma leitura honesta e pense nos assuntos sem medo».

Sobre um retrato hiperbolizado que faz de Portugal no seu livro, o autor defende a sua decisão. «Opto por um lado caricaturado. Faço uma ilusão para melhor se perceber o que estou ali a tentar definir. Faço o retrato de um Portugal que ainda existe mas, com a caricatura, amplio a questão para entrar dentro das pessoas, para ir ao encontro do que às vezes pensamos mas não dizemos», referiu Valter Hugo Mãe apontando: «Devemos ter a honestidade para connosco de não nos tentarmos convencer do que não pensamos».

Valter Hugo Mãe publicou cinco romances: O filho de mil homens (2011),  a máquina de fazer espanhóis (2010) o apocalipse dos trabalhadores (2008), o remorso de baltazar serapião, vencedor do Prémio José Saramago (2006) e o nosso reino (2004). A sua obra poética está revista e reunida no volume contabilidade (Objectiva/Alfaguara, 2010).

É também autor dos livros para os mais novos: O rosto (Agosto 2010), As mais belas coisas do mundo (Agosto 2010), A verdadeira história dos pássaros (2009) e A história do homem calado (2009). Escreve a crónica Autobiografia imaginária no Jornal de Letras.

«cmtn»



publicado por Noticias do Ribatejo às 11:56
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

PROGRAMAÇÃO “Verão In.Str...

EXTENSÃO DE SAÚDE DE VALA...

Novos e requalificados es...

Novo quartel dos Bombeiro...

REABILITAÇÃO DO ESPAÇO JA...

PICARIA À VARA LARGA E TO...

PROGRAMAÇÃO “Verão In.Str...

MAIS PARA TODOS |PSD APR...

TEMAS DE SAÚDE: Recomenda...

TU!

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds