NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 11 de Junho de 2017
TEMAS DE SAUDE: A nossa vida é um compromisso

ANTONIETA

 

Por: Antonieta Dias (*)

 

A nossa vida é um compromisso

 

Caminhamos em termos sociais para um futuro cuja fragilidade de alguns valores passará a ser uma constante e por isso nunca é de mais insistir na manifestação da nossa convicção e continuar a lutar cada vez mais por uma sociedade justa e perfeita.

No plano saúde muito há ainda que reconstruir sobretudo mudar para tentar manter o equilíbrio da igualdade social e parar definitivamente com o que não se justifica, isto é a desigualdade, a injustiça e a perda da solidariedade.

Reformar a Nação implica realizar atos e ações que dignifiquem a Soberania e que incutam desde o nascimento a necessidade de manter a Vida, a Moral, a Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Certo é que este trabalho é árduo, lento e tem de ser persistente.

Não é vergonha nenhuma ter consciência humana e uma moral de tranquilidade onde a Humanidade faz parte da nossa vida.

Importa ainda referir que em termos socias existem há duas propriedades, a de proprietário e a de trabalhador, podem em termos de deveres o cumprimento do patrão não pode ser diferente da do empregado apesar de este depender dele.

Esquecer o que recebemos dos nossos antepassados é omitir a história, fechar as portas à honra e à liberdade, esconder a obra, negar e resignar-se perante uma cultura que nos ajudará a reformar a sociedade em todas as questões que ela precisa.

Homens e mulheres liberais e honrados são os pilares de subsistência da Humanidade e os únicos que estão preparados para cumprir com rigor as determinações que a nossa missão implica.

Tratar os nossos pacientes de forma inteligente, generosa e preservando a sua individualidade e os seus direitos é um dever que o Médico nunca poderá esquecer na sua atividade profissional diária.

A razão e a consciência são os nossos juízes, fazem parte da nossa política de vida, da ciência e da arte de bem cuidar o próximo e de bem-fazer.

Temos que caminhar construindo o Templo da Virtude, da Verdade, da Justiça e Lealdade.

O respeito pelo Estado, pela Família e pela Vida sustentam com rigor os nossos desejos de perfeição e de ideal de Humanidade, “ama os outros como a ti mesmo”.

Dizer a Verdade, é praticar a Justiça e pensar com Retidão. “Não faças ao outro o que não pretendes que te façam a ti”.

Manter o culto dos bons costumes, fugir das contendas, evitar os insultos, amar os bons, lastimar os fracos, evitar os maus, são normas pessoais que nos ajudarão a manter o equilíbrio e a praticar a Virtude.

A reflexão, o conhecimento e o trabalho são essenciais para implementar a ciência, assegurar o cumprimento dos princípios éticos e do progresso social.

É mais importante que a nossa conduta seja reta, esclarecida e com bons princípios para que sejamos homens honestos que não lisonjeiam mas que se orgulham dos seus costumes, falando “sobriamente com os grandes, prudentemente com os nossos iguais, sinceramente com os nossos amigos, docemente com os pequenos e ternamente com os pobres. “

Se estivermos ao lado da Razão, procurando a Paz, a Serenidade que conseguimos aumentar a Felicidade, onde a arte de ser feliz se traduz pela arte de praticar o Bem.

(*) Douturada em medicina 



publicado por Noticias do Ribatejo às 22:11
link do post | comentar | favorito
|

Ministro da Agricultura enaltece a maior Feira Agrícola do país

O Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural  e Florestas, Luis Capoulas Santos,  inaugurou hoje a 54ª Feira Nacional de Agricultura / 64ª Feira do Ribatejo, evento que decorre até dia 18 de junho no Centro Nacional de Exposições, em Santarém, e que tem como central “Os Cereais de Portugal”.

Durante mais de duas horas, o Ministro da Agricultura, visitou vários espaços, provou inúmeros produtos e cumprimentou os muitos visitantes que se deslocaram ao primeiro dia da maior e mais antiga feira do setor Agrícola.

No âmbito da visita, em declarações à Comunicação Social, o responsável pela pasta da Agricultura mostrou grande satisfação pela escolha dos “Cereais de Portugal” para tema do evento e disse que esta área também é uma prioridade para o Ministério. “Temos condições para olhar para nichos de mercado interessantes e de qualidade, além de delinear uma estratégia para o aumento da produção com as associações do sector”, afirmou.

O Ministro  disse estar muito “optimista com a representação dos agentes económicos e com o ambiente de grande expectativa e confiança que encontrou na maior feira agrícola do país, que caracteriza bem o dinamismo e é o reflexo de um sector que está a crescer”.

O primeiro dia da Feira Nacional de Agricultura também contou com as presenças do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luis Medeiros Vieira, do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, do Secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Ferreira, e do Secretário Regional dos Açores, João Pontes.

O Secretário Geral da UGT, Carlos Silva , esteve também na Feira Nacional de Agricultura, e teve ocasião para contactar com os expositores e com o público que esteve presente em grande número.

Recorde-se que a feira contempla áreas de referência ao mundo rural e agrícola, com especial destaque para a zona de maquinaria agrícola, a mostra de agro-pecuária, artesanato e gastronomia, o mundo do espectáculo e da promoção dos valores tradicionais, com as típicas largadas de toiros, desfiles e provas de campinos, actividades equestres, música popular e tradicional.

A Feira Nacional de Agricultura (FNA) oferece inúmeros motivos para uma visita de lazer ou de negócio: para as famílias que procuram descontração e animação o evento pontua pela qualidade da gastronomia e do artesanato, pela oportunidade de contacto direto com animais e pelos variados espetáculos ao vivo, sendo também uma excelente local para os visitantes adquirirem produtos alimentares de todas as regiões do país.

Para os profissionais que pretendem estabelecer negócios e parcerias a Feira é o mais importante ponto de encontro do setor agrícola nacional, indispensável a quem pretende trocar experiências, debater problemas ou refletir sobre o futuro.

Amanhã, dia 11 de junho, a FNA 17 continua a marcar a agenda politica nacional com as visitas do Presidente do PSD, Pedro Passos Coelhos, e de Assunção Cristas, Presidente do CDS-PP.

No âmbito da pecuária, as provas equestres estarão uma vez mais em destaque com a realização de várias provas como o 7º Concurso Nacional da Égua Afilhada, o 24º Concurso de Coudelarias Portuguesas, o Concurso de Dressage Nacional ou a Apresentação do Cavalo de Sela.

Na área dedicada ao Salão Prazer de Provar realce para o Espaço de Cozinha com a ação “Prazer de Provar… Premiados”, iniciativa que vida dar a conhecer alguns dos melhores produtos medalhados nos vários Concursos Nacionais que decorreram no Centro Nacional de Exposições, em Santarém, de novembro de 2016 a  maio de 2017.



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:18
link do post | comentar | favorito
|

Vale a pena acreditar nas pessoas?

FLORBELA

 Por: Florbela Gil

 

Vale a pena acreditar nas pessoas?

 

Florinda, senhora com sessenta anos, que viveu muitos anos na América, como qualquer emigrante, regressou a Portugal.

Cá tinha a sua casinha, com quintal com arvores de fruto, com galinheiros, tudo para ela e o marido se manterem ocupados uma vez que estavam ambos reformados.
Portugueses que tiveram a sorte de regressar á terra com uma pequena fortuna, naquele tempo, e estou a falar de há vinte e tal anos atrás, era mesmo uma pequena fortuna. Tinham tudo, e tudo podiam comprar. 
Por exemplo, isto dito pelo marido, quando ele esteve internado no hospital, para que o pessoal, desde enfermeiros, auxiliares, médicos o tratarem bem, ele oferecia "peçinhas em ouro" para que recebesse o melhor tratamento e atenção.
 
Então lembraram-se que a D.Florinda devia tirar a carta. 
E lá se inscreveu. 
Muito simpática, disse-me, que ia tentar.
O código com muito esforço, á segunda vez passou, a desculpa era que já não sabia bem o português, pelo fato de ter vivido tantos anos lá na América.
 
Chega a altura da condução. Agora é que é o delas.
 
Sentou-se no lugar do condutor, dizendo que tinha um problema físico, no ortelho esquerdo. Quando era pequena teve um acidente, e o seu pé praticamente ficou separado da perna, foi operada, e toda aquela zona, era só platina.
Florinda, tinha dias que era capaz de segurar a embraiagem, outros não sentia a perna, nem o pé. Era do frio, dizia ela.
 
Deu perto de cem lições, ensinei tudo o que pude. Até que ela quiz ir a exame, eu dizia que ela não estava muito bem para o fazer.
Mas insistiu muito. Ela junto com o marido queriam comprar a carta, queriam comprar-me, foi oferecendo-me, ovos, das suas galinhas, eu vivia em apartamento, não tinha galinhas, oferecia frutas do seu quintal, sempre com um grande sorrizo de agradecimento pela paciência que tinha para ela. Eu na boa fé, aceitei, se não ela ficava ofendida.
 
Lá foi a exame, claro que reprovou.
Voltou a ir, reprovou novamente.
Nas vésperas fi exame, tinha-me dito que eu era como uma irmã para ela, pois tinha-a ajudado muito, e mesmo que voltasse a reprovar, ia ser sempre minha amiga, e as lágrimas corriam-lhe pela cara abaixo.
 
Acreditei naquelas palavras que me pareciam sinceras.
Como disse, ela voltou a reprovar. 
No dia a seguir, os dois foram a casa do meu patrão dizer mal de mim de toda a qualidade e feitios. Até atirou á cara, os ovos, as pêras, as nozes, que me deu.
 
Sabendo, o meu patrão, como eu trabalhava e ainda hoje trabalho, não acreditou nas mentiras que lhe contaram, até porque, nas costas dele também o criticaram. 
 Por isso pergunto, valerá a pena acreditar nas pessoas?
 
Até hoje, foi a minha maior desilusão no trabalho. E a única. Não me importo de fazer o bem a ninguém, mesmo que nas minhas costas me dêem pontapés. Porque normalmente, essas pessoas provam mais cedo, ou mais tarde do próprio veneno.

 

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:05
link do post | comentar | favorito
|

SER OU NÃO SER?

MARINAMALTEZ

Por: Marina Maltez

 

 

SER OU NÃO SER?

 

Não sei se estou a viver a vida como devia, a aproveitá-la da melhor forma.”

Caetana Figueiredo, 8 anos

 

 

São tantas as perguntas que nos fazem ao longo de um dia que por vezes nem damos conta, ou não damos resposta a todas porque algumas são quase retóricas. Felizmente, há momentos (pessoalmente considero-os raros) em que alguém nos coloca uma questão que nos faz parar, esquecer o ritmo alucinado do quotidiano, esquecer os mil e um problemas que nos deixam o espírito perturbado e o coração ansioso e nos despertam. São um toque profundo e incisivo da flauta da vida, como que a questionar: ainda estás vivo ou limitas-te a existir?

O cenário é bem simples, as personagens apenas duas. E nem foram precisas nem as pancadas de Molière nem o desejar de sorte tão típico do mundo do espectáculo para o pano subir e se fazer o teatro da vida.

“Marina, tenho uma dúvida….”. A resposta foi a que dou a todos os alunos em tom meio sério, meio a brincar “Isso é bom. Duvidar, questionar é sempre uma mais-valia”. Olhei apenas para ela de ar cheio de energia, olhos profundamente brilhantes que jorram todos os sonhos do mundo, sorria enquanto se balouçava na cadeira e preparava para expor o que lhe ia na alma: “Ando inquieta porque não sei se estou a aproveitar a vida como devia…”. A frase só por si já deixaria qualquer ser minimamente pensante (lamentavelmente, a maioria de nós está a perder a capacidade e vontade até de pensar) sem palavras ou à procura de uma resposta coerente e adequada. Mas tendo em conta que veio de uma criança de apenas 8 anos e cujo rosto revelava uma genuína preocupação com o que faz do seu Tempo e como avaliar o seu comportamento….então aí não há palavras. Ocorreu-me apenas Shakespeare. Ser ou não ser? Eis a questão. Mas expor a essência desta simples interrogação a alguém de tão tenra idade não me pareceu a melhor opção…mea culpa.

Sorri. Satisfeita. Por ela sobretudo. Pela criança diante de mim que quebra as regras da sociedade actual e ousa pensar. Questionar. Que não aceita uma simples “Porque sim”. Que quer ir sempre mais além, mais ao fundo das questões e perceber a génese das mesmas e que mesmo assim tem opinião própria. Pode ser contrária, pode ser utópica, mas tem e sabe defendê-la. E isso é tão raro hoje que me senti feliz por aquele pequeno mas promissor ponto de interrogação.

E sorri. Por mim. Porque é bom termos estas chamadas para a Vida.

Não tive resposta para a Caetana a não ser sorrir e dizer-lhe que a sua questão era absolutamente fantástica, mas creio que o laço de amizade que nos une permitiu o entendimento. No meu silêncio e no sorriso que o acompanhou, ela entendeu-me.

A verdade…bem, a verdade é que acredito que muitos de nós colocam essa questão. Mas talvez tardiamente, quando a cabeça já está esgotada dos mil problemas que nos sugam as energias por segundo, quando as emoções estão fragilizadas e em trapos depois de sucessivos enganos e desenganos, daqueles em que batemos não apenas com a cabeça, mas com o corpo todo e ficamos feitos em cacos que depois procuramos colar com idas a médicos, recurso a medicação, muito choro, noites perdidas e acima de tudo…muita Vida deixada por viver!

São anos de “Porque me acontece isto a mim?”, “Que mal fiz eu para merecer isto?”, “Só me acontecem estas coisas a mim.”. São toneladas de pensamentos negativos e tóxicos que nos comprometem o discernimento e entramos num ciclo vicioso de depressão, frustração, de procura por algo que nem sabemos o que é, mas que nos faz falta. Pelo menos, pensamos que sim. Perdemos tardes de sol trancados em casa apenas a sofrer por alguma coisa cuja solução não é certamente baseada numa mistura de lágrimas, lenços de papel e alguns calmantes que apenas anestesiam a dor, acalmam o sintoma mas permitem que a doença alastre, pela alma e pelo corpo…

E um dia… quando o combóio da Vida já passou por bonitas estações e agradáveis apeadeiros sem darmos conta eis-nos diante de uma questão aterradora: “Que fiz eu da minha vida?”.

Acendem-se todos os alarmes porque desperdiçámos tanto que agora pensamos logo que não queremos perder mais nada. Legítimo. Mas melhor que emendar é mesmo prevenir…

Por isso… se a questão me fosse colocada hoje… eu continuaria sem ter palavras suficientes para responder à Caetana. Felizmente nas nossas vidas há Seres fantásticos, daqueles que a morte não leva e cuja obra permanece e se fortalece com a passagem do Tempo. Um desses Seres tinha por nome António Feio. E deixou-nos das mais belas lições de Vida: “Nunca deixem nada por dizer. Nunca deixem nada por fazer.”.

 

P.S.: O final do texto deixo a cada um dos leitores, para que possa olhar para dentro de si e pensar como quer que comece a ser a sua história…

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:00
link do post | comentar | favorito
|

Nada te levará de mim

ANAFONSECA

Por: Ana Fonseca da Luz

 

 

Nada te levará de mim



Sobre a lareira de pedra cansada, repousas tu, dentro de uma pequena urna.

Eu sei, eu sei que prometi que te deitaria aos pés da velha árvore frondosa que temos mesmo em frente à nossa casa, mas a verdade é que não consegui deixar-te lá.

Ainda não, talvez amanhã, ou depois.

Talvez nunca...

Olho a caixa de madeira onde agora repousas, e dói-me o facto de teres morrido e eu não ter conseguido amar-te como merecias, de não ter compreendido esse amor tão grande que me tinhas, de não ter sido a melhor companheira, a melhor amante, a metade que te faltava.

Só agora, que te perdi para sempre, percebi que amaste sozinho, que eu me limitei a estar ali, porque sim, porque era preciso, porque me esqueci de sonhar, porque resolvi viver anestesiada e deixar a vida escorregar lentamente, enquanto me apagava indiferente ao dia e à estação do ano.

Os meus olhos ficam agora colados ao teu sorriso que está prisioneiro numa velha moldura de prata. Na fotografia estamos os dois de mãos dadas. Tu cheio de sonhos, eu inquieta, sempre inquieta, representado o meu papel o melhor que podia.

Tu tão feliz, eu tão incompleta...

Mas, é nesse momento, que desço ao mais profundo de mim e me apercebo o quanto te amei sem saber, o quanto me fazes falta, o quanto eu daria para te dizer o que tantas vezes me suplicaste que eu te dissesse e que eu calei.

Gosto-te para além do que é possível.

Desmorono, choro e, finalmente, depois de te confessar o quanto te gosto, deixo o que resta do que um dia foste, aos pés da velha árvore, e o vento, como que enraivecido pelo facto de teres morrido, sopra mais forte e eleva-te até aos céus.

Eu, eu fico ali, a ver-te partir, como se fosse possível, agora que compreendi o quanto sempre te quis, alguém ou alguma coisa arrancar-te de mim...

 

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:55
link do post | comentar | favorito
|

A seu tempo…

ANA GRACIOSA

 Por: Ana Graciosa

 

A seu tempo…

 

 

Infelizmente há coisas que não nos cabe a nós resolver,  por mais que queiramos, nem sempre há resposta imediata ou a curto prazo. Existem "coisas" que só o tempo, e a seu tempo, provavelmente, se resolverão e para que isso aconteça, basta acreditar.

Nada fica sem resposta ou sem que se entenda o "porquê" de quaisquer coisas, menos claras ou subjectivas, pelo menos é essa a esperança.  Talvez até, só chegue numa altura em que menos se espera, mas que, será certamente  a altura certa,  quando a esperança já quase findou e chegará sem se fazer anunciar...
Faça-se dos obstáculos, degraus de ascensão, para o que se anseia ou se deseja alcançar...

Presentemente, a fasquia está alta, mesmo muito alta... quase nada satisfaz ou cativa. Alguém que consiga fazer rir ou sorrir com vontade, aquele rir que faz doer os músculos da barriga, aquele rir descontrolado por nos ser transmitido de forma simples e agradável...
Alguém que faça sentir algo verdadeiro, que apaixone ao ponto de "queimar", mas continuamos no banal, no “sem graça", naquele "tanto-me-faz"...
Alguém que na presença e na ausência, deixe a sua essência, transmita confiança, acalmia, segurança, sossego, mas ao mesmo tempo desassossegue completamente... que sinta falta ou saudades, ao longo do dia e, que o diga.
Alguém que nos deixasse ser e transparecer, o que somos na realidade...
Mas… Enquanto tivermos  forças para "levitar",  pode ser que  tudo se aguente sem cairmos e minimize a pasmaceira do ser e não ser, do não ter e querer ... onde a solidão sirva de companhia e haja sempre a coragem de continuarmos  a sentirmo-nos  "plenos de tudo".



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:50
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

CARTAXO COM DIA PRÓPRIO N...

Um músico que nasceu no p...

Forcados Amadores de Azam...

Temporada da Música - Pet...

Aproveite o que Santarém ...

COMEMORAÇÕES DO DIA MUNDI...

Tomaram posse os novos ór...

PROGRAMA DA FEIRA DE TODO...

NOVOS AUTARCAS TOMAM POSS...

Tradição e doçaria de Abr...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds