NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010
CARTAXO-Fernando Guapo Ribeiro, na 21.ª edição das Conversas na Taberna


Eu era o chefe, mas com respeito”
 
O ensino dominou as Conversas na Taberna do dia 24 de Fevereiro. O professor que foi director do Colégio Marcelino Mesquita durante mais de 50 anos foi convidado a abrir o livro sobre a história deste estabelecimento, considerado uma referência na região.
 
Se Fernando Guapo Ribeiro tivesse de escolher uma só palavra do imenso vocabulário português para classificar a conduta humana, não hesitaria em apontar a “disciplina”. Este é, aliás, o vocábulo que mais pronuncia quando fala de ensino, das escolas, da juventude.
 
Professor, formado nas áreas da Física, Química e Matemática, esteve mais de meio século à frente de um dos colégios mais consagrados da região – o Colégio Marcelino Mesquita, situado no Cartaxo. “A disciplina era rígida, o colégio era uma referência. Havia uma selecção de alunos logo à partida, os melhores passaram todos por ali”.
 
Aos 88 anos, este professor, natural de Portalegre, entristece-se ao olhar para a degradação de uma estrutura que em tempos chegou a acolher 300 alunos. “Quando fechou, em 1999, não apareceu ninguém que quisesse ficar com aquilo. Acabou o Marcelino Mesquita”, diz com amargura.
 
Mas logo os olhos voltam a ganhar brilho quando diz que “hoje é um festival sempre que encontro antigos alunos. Raparigas e rapazes fazem-me uma festa”. Di-lo como que para afastar a mais remota ideia de que poderia haver autoridade a mais naquele espaço dedicado ao estudo e ao ensino.
 
“Desempenhámos ali um papel fantástico. Mantivemos o colégio sempre com disciplina um pouco… Eu é que era o chefe, mas com respeito”. Para manter o nível de ensino, Fernando Guapo Ribeiro contou com uma colaboração muito especial – o da sua esposa, professora formada em Histórias Filosóficas. “Foi um bom elemento, ajudou-me a manter aquilo num nível que na nossa região não havia igual”.
 
Os professores eram uma peça fundamental e, tal como os alunos, “eram escolhidos com cuidado. Tínhamos primor em escolher os melhores. Houve um período em que chegaram a vir cá professores do liceu de Santarém fazerem os exames. Como tínhamos nível, nós é que fazíamos também os exames aos alunos”.
 
Além do cargo directivo, de que gostava bastante, dedicou grande parte do seu tempo a inventar e a criar. “Fui um inventor de peças para o estúdio dos alunos. Tinha o cuidado de me dedicar. Tínhamos um bom laboratório, que hoje está aqui no Museu. Como era professor de Física e Química, estava mais desperto. As aulas de Física eram dadas como deve ser”.
 
Na década de 60, criou também “um curso nocturno fantástico. Foi uma novidade aqui no Cartaxo. Os alunos estudavam aqui, mas iam fazer os exames finais à Escola Ferreira Borges, em Lisboa. Veio muita gente, mas acabou em 1991”.
 
Paralelamente ao estudo, haviam as festas, “uma coisa em grande”, sobretudo no final de cada ano lectivo. E depois isso, as férias. “Tínhamos três meses, um mês era para a casa dos sogros, os outros dois para me dedicar”. Havia ainda tempo para uma semana fora do país, para espairecer. “Assentávamos num hotel de primeira em Espanha, nós lá, naquela altura, éramos ricos”.
 
Hoje, tudo isso acabou. Mas, além das memórias, há ainda outras coisas que ficam para a posteridade. “Os alunos que por ali passaram são hoje realmente uma prova fantástica do que foi o colégio”. E isso é o que mais importa.
 
 GIC | Gabinete de Imagem e Comunicação



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:58
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

...

FESTAS DO PORTO ALTO HOME...

Dar Sangue é Salvar Vidas...

Autárquicas 2017: PS Coru...

Convento do Carmo inaugur...

Caminho das Artes transfo...

Comemorações do 28º anive...

300 empreendedores apoiad...

CÂMARA DO CARTAXO REFORÇA...

Atendimento Jurista da DE...

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds