NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 22 de Outubro de 2017
Quando a doença vence...

FLORBELA

Por: Florbela Gil

 

Vou contar-vos, uma história verdadeira, tal como todas as outras.

 
Era uma vez uma menina linda, olhos pretos amendoados, cabelos pretos, e com a pele muito branquinha. Linda, linda, parecia a Mona Lisa, aliás, varias vezes, foi o que lhe disseram. 
Essa menina, que vou aqui retratar, e para ela fica esta homenagem de contar a sua história, nasceu em Portugal, mas ainda em pequena, sua mãe, junto com seu irmão, foram juntar-se ao pai, que estava emigrado na Guiné Bissau, e lá estava estabelecido.
 
Enquanto foram os dois pequenos, lá viveram, mas aproximava-se a altura do irmão mais velho entrar na escola. 
 
Sua mãe, regressou com eles a Portugal.
 
Célia, assim se chamava a menina, que parecia a Mona Lisa, tinha uma energia que se espalhava por onde ela passava, a sua alegria era contagiante.
 
Saltava para cima duma cadeira, cantava, e dançava, não tinha vergonha, era tão giro vê-la brincando assim.
 
Passaram-se anos, a menina cresceu, fez-se mulher, estudou, ainda entrou na universidade, a estudar artes, mas, sua mãe, entretanto, tinha regressado para a Guiné, ela ficou sozinha, com uma casa para cuidar, e estudar. Mas o dinheiro que  mãe lhe enviava, era pouco, não chegava para pagar as despesas. 
 
Célia, desistiu dos estudos. Enviou currículos, para muitos sítios, esperou que alguém a chamasse.
 
E assim foi, uns meses depois, foi chamada, a uma entrevista para uma perfumaria de renome, num Centro Comercial em Lisboa.
 
Gostaram muito da sua aparência, e da sua delicadeza a falar.
 
Conseguiu o lugar para ser uma das vendedoras dessa perfumaria.
 
Célia, tinha um dom nato para vender.
 
Rapidamente, quem ia à perfumaria queria ser atendido por ela. Passou a ser em pouco tempo uma das melhores vendedoras da loja.
 
É claro, que isso acarreta, as invejas de colegas, de chefes de lojas, e resultado, os patrões subiram-na de posto, passou a ser uma das mais graduadas abaixo dos patrões.
 
A vida sorria-lhe, já conseguia pagar as despesas sozinha, e ainda estudar à noite.
 
Uma mulher de armas, tão nova ainda.
 
Chegou a ser convocada para ir representar a perfumaria, e ir a congressos, fora do país, para poder divulgar os produtos. Sim porque os clientes da loja onde trabalhava, eram pessoas bastante abastadas, que não se inibiam de comprar um creme para a cara, e uma embalagem pequena, por 400€, um creme!!!
 
A vida sorria-lhe. Conheceu um rapaz, namoraram dois anos, e acabaram por se juntar. Parecia estar feliz.
 
Entretanto, sua mãe, adoece, veio para Portugal. A doença da moda.
 
Sua mãe tinha sido diagnosticada com cancro do pâncreas. 
 
Célia ajudou a mãe no que pode, sempre com muita dedicação. 
 
Entretanto, ela própria, um dia deu-lhe uma dor fortíssima no baixo ventre e o namorado levou-a para o hospital. Exames revelaram um tumor num dos ovários. Foi operada. A sua médica, ainda lhe deixou um ovário, porque como era muito nova, ainda podia vir a ter filhos. O tumor tinha sido retirado na altura certa, disse a Dra.
 
Mas tinha que fazer medicação preventiva, com comprimidos de quimioterapia, uns meses.
 
Passou quase um ano, entretanto, sua mãe foi piorando, e ela ia ajudando a mãe no que podia, mas a doença não deixou que ela vivesse mais. 
 
Célia, assim perdia a sua mãe. A dor, o sofrimento, fez com que se descuidasse com a sua própria saúde. Como tinha mudado de casa, e de número de telefone, ela não respondeu, aos avisos do hospital, para voltar a repetir os exames. 
 
Assim se passou mais dois anos, Célia sofreu nova crise, dores horríveis na barriga. Foi de urgência para o hospital. Foi logo operada na hora... Mas...
 
Tarde demais... O seu outro ovário tinha rebentado, e todo o veneno do cancro se espalhou pelo seu corpo todo. Ficou internada, ainda lhe deram quimioterapia forte, mas acho que ainda ficou pior.
 
Célia, pediu, para lhe cortarem o seu lindo e longo cabelo preto, pois a queda de cabelo, já se notava com o tratamento. Uma das enfermeiras, fez-lhe uma trança, e cortou, deixando o cabelo pela zona pescoço.
 
O que ela chorou, pois tinha noção do que a esperava.
 
Deixou tudo preparado, para a sua morte. Deixou escrito como queria ir vestida e penteada, e maquilhada. Disse também, ao irmão que queria ser cremada como sua mãe e queria ficar ao pé dela.
 
Numa das vezes que fui visita-la ao hospital, ela pediu-me": Belinha, passa os cubos do gelo pelo meu corpo todo que me sinto a arder toda por dentro!"
 
Assim fiz, agarrei em dois cubos e passei nos seus braços, pernas, as lágrimas corriam pela minha cara, era uma dor tão grande ver a minha menina, a ir embora com tanto sofrimento.
 
Três semanas, foi o seu tempo de vida.
 
Dois anos antes, tinha falecido a minha tia, mãe da Célia, e dois anos depois a minha prima do coração. Tinha 33 anos.
 
O irmão, João, quando a mãe de ambos faleceu, foi com a sua irmã Célia, depositar as cinzas, na base aérea da Madeira, porque, era um local, a ilha da Madeira, que a mãe dizia que gostava um dia de visitar. Pediu autorização, e lá, num cantinho abriram no chão um buraquinho para depositarem as cinzas.
 
O João, fez também a vontade à sua irmã, mas desta vez fez a viagem sozinho. 
 
Quando chegou ao local onde tinha depositado as cinzas da mãe, deparou-se com uma roseira nascida no local.
 
 João sabia, que ia deixar bem a sua mana, ia entregá-la à mãe, e agora juntas de vez, ele saiu de lá, com o seu coração preenchido de amor, emoção, mas, dizia ele, que sentia os braços das duas ao seu redor em toda a viagem de regresso.
 
A Mona Lisa, dos cabelos pretos, olhos amendoados, pele, tipo branca de neve, vive. Vive nos nossos corações. Fica a minha homenagem, para todas as pessoas com estas doenças e outras também graves, obrigado pela coragem que dão aos outros, quando são vocês que precisam dela.


publicado por Noticias do Ribatejo às 07:34
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

Será que regresso?

TEMAS DE SAÚDE: Antibióti...

O DESAPEGO

ALMOÇO DANÇANTE EM PONTÉV...

COMUNICADO DO MINISTÉRIO ...

Município de Azambuja pro...

Recolha de Sangue nos Bom...

DIA MUNDIAL DOS POBRES

NERSANT reclama Entidade ...

CARTAXO APROVA REUNIÕES D...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds