NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -

Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010
FIM DAS PROPINAS

(Anúncio de uma  nota da Juventude Comunista Portuguesa) 
 

É hoje votado o projecto de lei na Assembleia da República

PCP propõe o fim das propinas! 
 

O PCP apresentou um projecto de lei que propõe uma nova política de financiamento para o Ensino Superior, que será hoje, dia 28 de Janeiro, votado na generalidade na Assembleia da República. 
 

Este projecto de lei alia a qualidade de ensino à efectiva igualdade de oportunidades de acesso, frequência e sucesso escolar, nomeadamente através da gratuitidade do ensino. 
 

O que os sucessivos Governos PS, PSD (com ou sem CDS) têm dito sobre a falta de orçamento é  desligado da realidade, tratando-se de uma opção política o desinvestimento no Ensino Superior e a manutenção das propinas. Este projecto de lei, através de objectivas fórmulas, vem prová-lo. É possível manter a gratuitidade do ensino e garantir às instituições o apoio de que precisam, tanto para o seu funcionamento, como para os seus projectos orientados para a melhoria da qualidade de ensino e da investigação. 
 

O orçamento de funcionamento, o primeiro dos eixos proposto no projecto, visa assegurar a satisfação das necessidades básicas das instituições, englobando as despesas com pessoal, materiais e manutenção das instalações. O segundo eixo de financiamento passa pelo orçamento de investimento para a qualidade, obedecendo, entre outros critérios objectivos, à qualificação do pessoal, aproveitamento escolar dos estudantes, apresentação de projectos pedagógicos inovadores, melhoria de produção científica e artística. Como terceira forma de financiamento, estão os contratos de desenvolvimento, plurianuais, visando financiar projectos que persigam objectivos estratégicos, nomeadamente em áreas como o desenvolvimento curricular das instituições, a atenuação de constrangimentos decorrentes da sua dimensão, a eficiência da gestão, a coesão regional. 
 

O investimento no Ensino Superior deve ser um investimento nacional e colectivo e não apenas um investimento individual do estudante que o frequenta. É por isto que o PCP apresentou na Assembleia da República este projecto de lei, num contexto em que o Governo não está a investir realmente no Ensino Superior, e em que cada vez mais estudantes ficam de fora pelos seus elevados custos, quando o acesso a todos os graus de ensino é um direito. O PCP e a JCP continuam a trabalhar na defesa daqueles que são os direitos dos estudantes do Ensino Superior, a defesa do Ensino Superior Público, Gratuito, Democrático e de Qualidade para todos! 
 

Decorrerão no dia 28 de Janeiro várias distribuições dinamizadas pela Juventude Comunista Portuguesa em diversas escolas de Ensino Superior de divulgação deste projecto junto dos estudantes, sendo que ocorrerão igualmente algumas conferências de imprensa, para as quais convoca o vosso órgão de comunicação.  
 
 
 
 

Conferências de imprensa da Juventude Comunista Portuguesa a decorrer dia 28 de Janeiro, sobre o projecto de lei de financiamento do Ensino Superior do PCP: 
 

Lisboa: 13h , Cantina Velha, Cidade Universitária (Vanessa Borges – 914663699) 
 

Porto: 12h30, Cantina da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (Nuno Rodrigues – 938372851) 
 

Almada : 12h, Cantina da FCT (André Oliveira – 916765203) 
 

Viseu : 14h, entrada da Escola Superior de Educação (Elísio Sousa – 917045002) 
 

Braga : 12h30, Prometeu, entrada do CP2, Pólo de Gualtar (Universidade do Minho) (Francisca – 919414606/939646611) 
 

Évora: 13h30, Entrada Colégio Espírito Santo (Universidade de Évora) (Daniel Azevedo- 969689610) 
 

Caldas da Rainha: 13h30, átrio da ESAD (Escola Superior de Artes e Design) (João Alves – 968222710) 
 

Coimbra : 13h30, cantinas centrais (junto da porta rotativa) (Paulo Costa-934002080) 
 



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:07
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 23 de Outubro de 2009
O país à mesa em Santarém no Festival de Gastronomia

 

 


O Festival Nacional de Gastronomia acolhe, entre os dias 26 e 27 de Outubro, a 5ª edição do Congresso Nacional de Gastronomia. Espaço de reflexão e de encontro entre profissionais, gastrónomos e público em geral, o Congresso é organizado em parceria com a Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Na segunda-feira, a partir das 10h00, abre-se o ciclo de conferências com o painel “a gastronomia do nosso tempo”, moderado por Paulo Amado, e que contará com intervenções de José Bento dos Santos, José Manuel Esteves, David Lopes Ramos e Alberto Marquês. A sessão da tarde será dedicada ao tema “a cozinha portuguesa no mundo”, moderado por Manuel Gonçalves da Silva, e que internacionalização para a cozinha portuguesa”, por Vírgilio Gomes. Destaca-se a conferência “um restaurante português no mundo”, com a presença do proprietário do Ferreira Café de Montreal.

O segundo dia do congresso, na terça-feira, será dedicado ao arroz carolino, por Maria de Lurdes Modesto,
e aos produtos nacionais, sendo analisada “a facilidade de linguagem internacional do pastel de nata”, por Vítor Domingues, ou ainda “o vinho como parceiro da refeição”, por Diogo Campilho. A ViniPortugal e a Associação de Municípios Produtores de Vinhos marcarão forte presença, com provas diárias de vinhos. A assistência ao congresso é gratuita, mediante inscrição nos sites de internet da AHRESP e do Festival.

O Festival Nacional de Gastronomia aposta este ano nas demonstrações de cozinha “Jovem Talento da Gastronomia”. A organização traz ao contacto com o público no Festival mais de uma dezena de jovens esperanças da nossa culinária.

Assim, a partir de sábado, dia 24, treze nomes vão passar pelo claustro da Casa do Campino, das 19h00 às 20h00. Celestino Grave, Gonçalo Novais da Costa, João Antunes, Vítor Claro, João Rodrigues, Martinho Moniz, João Simões, Bernardo Agrela, João Sá, Nuno Barros, David de Jesus, Carlos Gonçalves e Nuno Mendes são os escolhidos este ano para dar a conhecer a ligação entre os sabores portugueses e as novas técnicas culinárias.

Outra novidade desta edição é o I Concurso do Petisco. Os 13 restaurantes presentes nas “tasquinhas” localizadas nas antigas cavalariças da Casa do Campino vão disponibilizar, num espaço do balcão destinado exclusivamente para esse fim, entre dois e seis petiscos, que submetem à votação do público.
Os petiscos constarão de uma iguaria, uma fatia de pão e um copo de
vinho ou uma “lambreta” de cerveja (a um preço único de 3,50 euros), podendo os “provadores” aprender a confeccionar a especialidade que mais apreciaram, em demonstrações de cozinha previamente agendadas pela organização. Ao votarem no petisco mais apreciado habilitam-se a prémios entre os quais fins-de-semana nos Açores, Madeira e Minho.

Horários do Festival:
De segunda a sexta-feira e véspera de feriado, das 12h00 às 16h00 e das
19h00 às 24h00.

Sábados, domingos e feriados, das 12h00 às 24h00.

Preços dos ingressos: 2,50 euros por pessoa. Almoços regionais: 27,50 euros cada almoço (38,50 euros no dia 11). Reservas na agência de viagens Plenotur
- telef. 243333022, fax 243333050.

fonte:http://www.oribatejo.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 19:00
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 18 de Outubro de 2009
TORRES NOVAS- Festa no Futebol-Monsanto-Benfica

Dia verdadeiramente de festa da Taça, e missão completamente cumprida, sem nos limitarmos a apresentar os serviços mínimos, o que resultou em mais uma goleada. O objectivo principal, de passarmos a eliminatória, foi conseguido, e para além disso foram poupados vários jogadores importantes. Foi bonita a festa da Taça em Torres Novas, e mais uma enchente proporcionada pelo Benfica esta época.

Dos habituais titulares indiscutíveis, apenas os 'indispensáveis' David Luiz e Javi Garcia jogaram de início. De resto, mudou tudo. Moreira na baliza; Ruben Amorim, Sídnei e Peixoto na defesa, Felipe Menezes, Carlos Martins e Coentrão no meio campo; e uma dupla de ataque constituida pelo Nuno Gomes e o Weldon. O Benfica iniciou o jogo numa toada bastante calma, mas mais do que suficiente para assumir um (natural) controlo praticamente total do jogo. Poderia dizer que nem sequer exercemos a famosa pressão alta, mas ela seria desnecessária porque o Monsanto nunca tentava sair a jogar, optando pelos despejos de bola para a frente. Apesar de inofensivo no ataque, durante a primeira parte o Monsanto conseguiu ir mantendo a sua organização defensiva, e com a ajuda da pouca inspiração ofensiva do Benfica aguentou o nulo durante largos minutos, evitando ser sufocado. O Rúben Amorim esteve neste período algo desastrado no apoio ao ataque, enquanto que do outro lado o César Peixoto era quem mais parecia entusiasmar os adeptos na bancada, sendo alvo de constantes incitamentos. A organização do Monsanto começou a ruir perto da meia hora de jogo, altura em que, após uma boa jogada individual, em que ultrapassou diversos adversários, o Felipe Menezes marcou o primeiro golo, com um bom remate de pé esquerdo à entrada da área. Depois do golo, o Benfica pareceu querer acalmar ainda mais o ritmo do jogo, e deixou assim escoar sem grande ssobressaltos o tempo que nos separava do intervalo.

A segunda parte começou praticamente com o segundo golo do Benfica, com uma fífia do guarda-redes a permitir ao Nuno Gomes recuperar a bola e atrasá-la para um remate fácil do Carlos Martins. A isto seguiu-se um amarelo ao Felipe Menezes pela situação caricata de ter entrado em campo com a camisola 23 do David Luiz. E antes do quarto de hora, já o marcador tinha subido para três golos de diferença, com mais um golo do Carlos Martins, que concluiu com um bom remate de primeira um centro do Felipe Menezes. O Monsanto nesta altura já se mostrava muito mais desorganizado, em particular na zona do meio campo, e acima de tudo já pareciam faltar pernas aos seus jogadores para conseguirem acompanhar os jogadores do Benfica. Foi por isso com naturalidade que o Benfica fosse mostrando que poderia a qualquer momento marcar mais golos, o que veio a acontecer por mais três vezes nos dez minutos finais, isto numa altura em que, para alegria do povo, o Mantorras já estava em campo. Quarto golo pelo entrado Saviola, a aparecer ao segundo poste para aproveitar um desvio de bola ao primeiro poste na sequência de um canto; quinto pelo Peixoto, na execução de um livre directo, e para gáudio da sua imensa legião de fãs presente nas bancadas em Torres Novas (descobri hoje que o Peixoto já tem um cântico dedicado pelas nossas claques e tudo); e sexto pelo Fábio Coentrão, a desviar de cabeça à boca da baliza um pontapé acrobático do Saviola (e a marcar, finalmente, o seu primeiro golo pelo Benfica - parecia que estava difícil). Seis a zero no final dos noventa minutos, um resultado talvez um pouco volumoso para a qualidade do futebol que produzimos, mas natural para a diferença entre o Monsanto e o Benfica.

Não é propriamente muito relevante estar a fazer grandes destaques num jogo como o de hoje. Mas gostei do Javi, do Carlos Martins e do Felipe Menezes. E, claro, o César Peixoto é o maior - talvez neste caso específico esteja a ser influenciado pela legião de fãs fervorosos dele que se sentou à minha volta durante o jogo.

A única nota negativa deste jogo poderá ter sido o amarelo ao Javi García. Ainda não verifiquei se os amarelos da Taça de Portugal acumulam com os da Liga, mas se for esse o caso, isto deixa-o a um amarelo da suspensão. Isto nas vésperas de irmos a Braga. Quanto ao resto, é como já disse. Missão cumprida.
 Fonte: http://spiny-norman.blogspot.com/



publicado por Noticias do Ribatejo às 11:06
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 7 de Outubro de 2009
BENAVENTE-A última oportunidade dos dinossauros antes da extinção em 2013

 

A entrada em vigor da lei que limita o número de mandatos às Câmaras vai alterar o "rosto" das autarquias portuguesas a partir de 2013 e os dinossauros autárquicos terão nestas eleições a última oportunidade de se recandidatarem.
 

É já no próximo dia 11 que 191 recandidatos a presidentes de Câmara têm a última oportunidade de serem eleitos antes da nova lei entrar em vigor, em 2013.

Alguns destes "dinossauros" lideram os seus municípios desde que existem eleições locais, como são o caso de Jaime Marta Soares, na presidência da Câmara de Vila Nova de Poiares, e de Francisco Mesquita Machado, na de Braga, ambos eleitos há 33 anos consecutivos.

Jaime Marta Soares é imbatível em tempo de permanência à frente de uma autarquia em Portugal. Ainda antes das primeiras autárquicas de 1976, já tinha sido escolhido em assembleia popular para integrar a primeira comissão administrativa da Câmara de Vila Nova de Poiares. Estávamos em 1974.

Antes do 25 de Abril estava à frente de um negócio de ferro-velho e era apoiante de Humberto Delgado. Em 1976 o PSD vai buscá-lo como candidato à chefia do executivo camarário, vence as eleições e mantém o cargo ao longo de 33 anos.

Francisco Mesquita Machado, natural de Famalicão, é, ao lado de Marta Soares, um dinossauro das autarquias. Engenheiro metalúrgico, com 62 anos, Mesquita Machado foi eleito, pela primeira vez, presidente da Câmara de Braga em 1976, pelo Partido Socialista, cumprindo nove mandatos consecutivos.

Conhecido como um homem de bastidores, por onde sempre circulou com um certo à-vontade, deixou obra em Braga e o reconhecimento dos cidadãos locais, apesar alegadas suspeitas de enriquecimento ilícito sobre as quais nunca foi constituído arguido.

Ao lado destes mais antigos há figuras como António José Ganhão em Benavente, João Rocha em Serpa, Mário Almeida em Vila do Conde ou Isaltino de Morais em Oeiras, que ficarão igualmente fora da corrida eleitoral.

A lei de limitação de mandatos autárquicos foi aprovada pela Assembleia da República em Julho de 2005 e promulgada por Jorge Sampaio em Agosto, mas a sua aplicação efectiva foi remetida para as Autárquicas de 2013. De acordo com a nova legislação, os presidentes de Câmara que já tiverem cumprido três mandatos consecutivos não podem recandidatar-se ao acto eleitoral seguinte. Nesta situação encontram-se 191 presidentes de Câmara dos 308 concelhos do país.

Ainda que aprovada no Parlamento a lei não é consensual entre os autarcas, que não compreendem porque é que ela só se aplica ao poder local e não, por exemplo, aos deputados da nação. Analistas e politólogos apontam-na, no entanto, como uma necessidade para a renovação do tecido autárquico num sistema político envelhecido e com tiques de caciquismo local.

Por força da lei todos os partidos têm agora quatro anos para pensarem em novas estratégias para o poder local, nomeadamente o PSD e o PS, que detêm a maior parte das Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia do país.

LUSA



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:54
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

FIM DAS PROPINAS

O país à mesa em Santarém...

TORRES NOVAS- Festa no Fu...

BENAVENTE-A última oportu...

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds