NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -

Segunda-feira, 18 de Outubro de 2010
SANTAREM - Fotobiografia de José Relvas, de Raimundo Noras, apresentada em Leiria, em Coimbra e em Viseu

 No contexto do centenário da proclamação da I República, o jovem historiador escalabitano, José Raimundo Noras, tem vindo a apresentar a sua recente obra: “Fotobiografia de José Relvas (1858-1929)”, a convite das lojas FNAC em diversos pontos do país.

 

No passado dia 9, teve lugar uma conferência na loja de Leiria. Neste evento, o autor e o livro foram apresentados de forma bastante eloquente pelo doutor Acácio Sousa, Director do Arquivo Distrital de Leiria. Este ressalvou a importância da figura de José Relvas, a oportunidade desta edição e, aproveitou, para compara o percurso de Relvas com o de alguns líderes republicanos da região de Leiria.

 

No último sábado, dia 16, a “Fotobiografia de José Relvas” foi dada a conhecer em Coimbra e em Viseu. Na loja FNAC de Coimbra, Raimundo Noras evocou a ligação de José Relvas à Universidade, focando-se no percurso de formativo do líder republicano. Salientou ainda a publicação de uma carta inédita de Relvas à mãe acerca das praxes coimbrãs.

No final a tarde, a última apresentação deste périplo pelas lojas FNAC, decorreu em Viseu. Nesta cidade, onde Relvas possuía raízes familiares, houve uma grande afluência ao evento, extravasando o espaço do café FNAC. Raimundo Noras salientou a ligação de José Relvas à “cidade de Viriato”, relembrando a sua eleição à Constituinte pelo círculo eleitoral de Viseu, numa alocução emotiva sobre a acção e a figura de José Relvas. 

 

Ainda em Outubro está agendada outra apresentação da “Fotobiografia de José Relvas (1858-1929)”, em Lisboa, na Livraria da Assembleia da República, para o dia 27, quarta-feira, pelas 18h30. A sessão contará com a presença do autor, Raimundo Noras, do editor, Fernando Mendes e com a apresentação do historiador Fernando Rosas.

 

José Raimundo Noras



publicado por Noticias do Ribatejo às 10:26
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010
FIM DAS PROPINAS

(Anúncio de uma  nota da Juventude Comunista Portuguesa) 
 

É hoje votado o projecto de lei na Assembleia da República

PCP propõe o fim das propinas! 
 

O PCP apresentou um projecto de lei que propõe uma nova política de financiamento para o Ensino Superior, que será hoje, dia 28 de Janeiro, votado na generalidade na Assembleia da República. 
 

Este projecto de lei alia a qualidade de ensino à efectiva igualdade de oportunidades de acesso, frequência e sucesso escolar, nomeadamente através da gratuitidade do ensino. 
 

O que os sucessivos Governos PS, PSD (com ou sem CDS) têm dito sobre a falta de orçamento é  desligado da realidade, tratando-se de uma opção política o desinvestimento no Ensino Superior e a manutenção das propinas. Este projecto de lei, através de objectivas fórmulas, vem prová-lo. É possível manter a gratuitidade do ensino e garantir às instituições o apoio de que precisam, tanto para o seu funcionamento, como para os seus projectos orientados para a melhoria da qualidade de ensino e da investigação. 
 

O orçamento de funcionamento, o primeiro dos eixos proposto no projecto, visa assegurar a satisfação das necessidades básicas das instituições, englobando as despesas com pessoal, materiais e manutenção das instalações. O segundo eixo de financiamento passa pelo orçamento de investimento para a qualidade, obedecendo, entre outros critérios objectivos, à qualificação do pessoal, aproveitamento escolar dos estudantes, apresentação de projectos pedagógicos inovadores, melhoria de produção científica e artística. Como terceira forma de financiamento, estão os contratos de desenvolvimento, plurianuais, visando financiar projectos que persigam objectivos estratégicos, nomeadamente em áreas como o desenvolvimento curricular das instituições, a atenuação de constrangimentos decorrentes da sua dimensão, a eficiência da gestão, a coesão regional. 
 

O investimento no Ensino Superior deve ser um investimento nacional e colectivo e não apenas um investimento individual do estudante que o frequenta. É por isto que o PCP apresentou na Assembleia da República este projecto de lei, num contexto em que o Governo não está a investir realmente no Ensino Superior, e em que cada vez mais estudantes ficam de fora pelos seus elevados custos, quando o acesso a todos os graus de ensino é um direito. O PCP e a JCP continuam a trabalhar na defesa daqueles que são os direitos dos estudantes do Ensino Superior, a defesa do Ensino Superior Público, Gratuito, Democrático e de Qualidade para todos! 
 

Decorrerão no dia 28 de Janeiro várias distribuições dinamizadas pela Juventude Comunista Portuguesa em diversas escolas de Ensino Superior de divulgação deste projecto junto dos estudantes, sendo que ocorrerão igualmente algumas conferências de imprensa, para as quais convoca o vosso órgão de comunicação.  
 
 
 
 

Conferências de imprensa da Juventude Comunista Portuguesa a decorrer dia 28 de Janeiro, sobre o projecto de lei de financiamento do Ensino Superior do PCP: 
 

Lisboa: 13h , Cantina Velha, Cidade Universitária (Vanessa Borges – 914663699) 
 

Porto: 12h30, Cantina da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (Nuno Rodrigues – 938372851) 
 

Almada : 12h, Cantina da FCT (André Oliveira – 916765203) 
 

Viseu : 14h, entrada da Escola Superior de Educação (Elísio Sousa – 917045002) 
 

Braga : 12h30, Prometeu, entrada do CP2, Pólo de Gualtar (Universidade do Minho) (Francisca – 919414606/939646611) 
 

Évora: 13h30, Entrada Colégio Espírito Santo (Universidade de Évora) (Daniel Azevedo- 969689610) 
 

Caldas da Rainha: 13h30, átrio da ESAD (Escola Superior de Artes e Design) (João Alves – 968222710) 
 

Coimbra : 13h30, cantinas centrais (junto da porta rotativa) (Paulo Costa-934002080) 
 



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:07
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010
CORUCHE-Mais de 700 passageiros por semana

 

Ligação ferroviária Coruche-Lisboa com balanço positivo 

A ligação ferroviária para passageiros entre Coruche e Lisboa tem sido um sucesso. O serviço que estava desactivado desde 2004 por falta de rentabilidade tem tido um elevado número de passageiros, justificando assim a sua existência. 
 

Desde o dia 7 de Setembro – dia em que a ligação foi retomada – até ao fim de Novembro de 2009 (últimos dados oficiais fornecidos pela CP) registaram-se cerca de o número correcto de passageiros em circulação é na verdade 11.815 passageiros em circulação. Neste momento, a ligação tem mais de 700 utentes por semana.  
 

De acordo com os dados da CP e da REFER, as viagens com maior número de passageiros registam-se entre Coruche e as estações da Gare do Oriente e de Sta. Apolónia, em Lisboa. No ranking das viagens com mais passageiros encontra-se também o trajecto Coruche-Marinhais, seno que os utilizadores do comboio são, em grande parte, alunos que frequentam a Escola Profissional de Coruche.

A estação de caminho-de-ferro de Coruche é a mais movimentada de todas as que servem esta ligação ferroviária, sendo que o horário com maior procura se regista às 7h50 da manhã.  
 

Para melhorar as condições deste serviço, a CP e a REFER pretendem implementar brevemente algumas medidas. A estação do Setil (concelho do Cartaxo), onde se efectua o transbordo, deverá sofrer algumas alterações. Pretende-se melhorar os abrigos de passageiros, bem como a colocação de uma cobertura para a passagem aérea. A abertura de instalações sanitárias na estação do Setil está também entre as melhorias a concretizar.  
 

No futuro, a CP em parceria com os Municípios abrangidos por este serviço, pretende realizar inquéritos de satisfação nos concelhos de Coruche, Salvaterra de Magos e Cartaxo de forma a responder às necessidades dos utilizadores do comboio. 
 

Para além dos passageiros regulares, a CP apurou ainda um dado curioso: alguns jovens viajaram até  à vila de Coruche através de um bilhete de Inter-Rail que dá acesso a todos os países da Europa. 
 

O presidente da Câmara de Coruche, grande impulsionador deste serviço, considera que é o regresso do comboio é uma aposta ganha por parte da CP e dos municípios que se constituíram parceiros, “os número fornecidos pela CP são a prova de que o comboio entre Coruche e Lisboa é um serviço muito útil, trata-se de uma alternativa económica e amiga do ambiente”. O autarca coruchense acredita também que no futuro serão cada vez mais os que vão optar pelo comboio. Dionísio Mendes sublinha ainda a importância que o comboio poderá ter para o Turismo na região, “estamos em conjunto com a CP a programar uma série de iniciativas que visam o aproveitamento turístico deste desta ligação Coruche-Lisboa” 



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:14
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010
SANTAREM-Liceu Sá da Bandeira recebe encontro internacional de jovens cientistas

 

A Escola Secundária de Sá da Bandeira acolhe na próxima semana, de 13 a 16 de Janeiro, o XII Encontro Internacional de Jovens Cientistas das Escolas Associadas da UNESCO e, sendo 2010 o Ano Internacional da Biodiversidade e estando a decorrer a “Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável”, os trabalhos a apresentar pelos alunos participantes enquadram-se no tema geral “Biodiversidade pela Sustentabilidade”.

Para além da escola organizadora, participam mais dezasseis escolas secundárias, sendo oito portuguesas: Colégio Torre de Dona Chama (Torre de Dona Chama – Mirandela), Colégio Valsassina (Lisboa), E. S. António Nobre e E. S. Aurélia de Sousa, ambas do Porto, E. S. de Maria Lamas (Torres Novas), E. S. Dr. Bernardino Machado (Figueira da Foz), E. S. Dr. Ginestal Machado (Santarém) e E. S. Dr. João Araújo Correia ( Peso da Régua). De Espanha, participam seis escolas: Colégio Los Abetos (Madrid), Escola Virolai (Barcelona), I. E. S. Luis Seoane (Pontevedra), I. E. S. Salvador Victoria (Monreal del Campo), I.E.S. Francisco Giner de los Ríos (Madrid) e I.E.S. Pedra da Auga (Ponteareas). Paricipam, ainda, a Escola Andorrana de Segona Ensenyança d’Encamp, de Andorra e a Hudson High School, de Hudson (Massachusetts – Estados Unidos da América)

Para a realização deste Encontro, a Escola Secundária de Sá da Bandeira conta com patrocínios da Comissão Nacional da UNESCO, da Câmara Municipal de Santarém, do Governo Civil de Santarém e das Juntas de Freguesia de S. Salvador e de Marvila. Tem ainda o apoio da Escola Superior Agrária de Santarém e do L-INIA Fonte Boa (EZN) que disponibilizam professores e investigadores que coordenarão algumas das actividades. Colaboram também a Caixa Geral de Depósitos, a Associação de Pais e Encarregados de Educação e o Conservatório de Música de Santarém.

http://www.oribatejo.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:57
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 22 de Dezembro de 2009
GOLEGÃ-Luis Athouguia expõe na Golegã


O Centro Cultural-Equuspolis da Golegã alberga uma exposição da pintura de Luis Athouguia, "Silhuetas Abstrusas que estará patente ao público até 3 de Janeiro de 2010.
Desta mostra e do seu autor diz José Neto:
... a sua "representação" é bem mais profunda (no tempo e no espaço) que o teor do sonho, da vigília, do transe, ou mesmo do êxtase, e está muito para além do alcance da Psicanálise, da História, ou mesmo da Ciência. Isto porque os conteúdos aprofundados são aqueles da consciência – em si.
Numa condição superior a qualquer sonho, imaginação ou alucinação, a consciência recriadora deste autor aprofunda a leitura e codificação de anagramas de memória, circulantes - em potência - na nossa genética.
Por entre as fendas dinâmicas de uma exuberante realidade pré-mítica Luís Athouguia criou um código próprio pelo qual exprime a harmonia de um jogo entre opostos.
Luís Athouguia recria em suporte ideogramas da consciência universal, os quais reflectem (fazendo-nos reflectir acerca de) o desejo radical a todo e qualquer ser existente, i.é., o querer saber na Natureza e o sentir do mais alto apelo Cósmico.

Luis Athouguia é natural de Cascais, diplomado pelo IADE, Instituto Superior de Design de Lisboa, tendo participado em importantes Exposições Internacionais, Bienais de Arte, encontros de Arte Postal e integrou diversos grupos multi-disciplinares e plurinacionais de Artistas.
Desde 1983, Luis Athouguia realizou mais de três centenas de exposições em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Itália.
Está representado em museus, instituições e importantes colecções nacionais e estrangeiras e foi premiado em certames de Arte nacionais e internacionais.
Se pretende visitar a exposição pode fazê-lo de terça a domingo, das 10:00 às 12:30 e das 14:00 às 18:00.



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:58
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009
CLUBE DE NATAÇÃO DE RIO MAIOR e CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS NOS CAMPEONATOS NACIONAIS DE CLUBES DA 1ª E 2ª DIVISÕES


 

O seu browser pode não suportar a apresentação desta imagem.

 Nos dias 19 e 20 de Dezembro decorreram os Campeonatos Nacionais de Clubes da 1ª e 2ª Divisões, em Santo António dos Cavaleiros, com a organização da Federação Portuguesa de Natação e Associação de Natação Lisboa, onde participaram clubes filiados na Associação de Natação do Distrito de Santarém (ANDS).

O Clube de Natação de Rio Maior (CNRM) e o Clube de Natação de Torres Novas (CNTN) participam com as suas equipas masculinas no campeonato da 2ª Divisão, onde estão inscritas 16 equipas.

Os clubes concorrentes a cada um dos campeonatos serão ordenados pelo somatório dos

pontos obtidos por cada nadador em cada prova.

Ascendem à  1ª Divisão os dois primeiros classificados e descerão à 3ª Divisão os 13º, 14º, 15º e 16º classificados por troca dos 4 primeiros que se classificaram no campeonato da 3ª Divisão em 12 e 13 de Dezembro.

Tendo em conta que o grande desafio destas equipas é a sua manutenção na 2ª Divisão, a ANDS deseja-lhes a melhor sorte e os maiores êxitos para que consigam atingir os seus objectivos.

A direcção da ANDS



publicado por Noticias do Ribatejo às 09:48
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009
TORRES NOVAS-A ministra a quem os professores não vão deixar de enviar recados

Há dias, em Torres Novas, Ana Maria Magalhães foi almoçar com professores de uma escola onde tinha ido falar dos livros que escreve com Isabel Alçada. Numa mesa próxima estavam sentados docentes de outro estabelecimento de ensino. Um deles não perdeu a oportunidade: "Diga à sua amiga que acabe depressa com os professores titulares, porque eu dou aulas há 30 anos e sempre tive amigos, mas desde que sou titular só tenho inimigos."

Convidadas por outros professores, as duas autoras tornaram-se uma presença habitual nas escolas. Por causa dos seus livros da série juvenil Uma Aventura e também, desde 2006, no caso de Isabel Alçada, por ser, a convite de Maria de Lurdes Rodrigues, a comissária do Plano Nacional de Leitura (PNL), criado para reconciliar crianças e jovens com a palavra escrita.

Nos últimos anos, ambas foram testemunhas das feridas abertas nas escolas por algumas das medidas aplicadas pela anterior ministra. Como aquela de que se queixava o professor de Torres Novas. Pela primeira vez, a carreira docente foi dividida em duas categorias hierárquicas e no acesso àquela que é superior, a dos titulares, privilegiou-se o exercício de cargos, em detrimento da qualidade na sala de aula.

Aposentada há poucos anos, Ana Maria Magalhães respira de alívio: "Não tive de aturar o que se passou." Só que agora a sua amiga Isabel Alçada é ministra da Educação. É a primeira vez que este cargo é ocupado por uma professora do ensino básico, mais precisamente do 2.º ciclo. Foi um deles e esta é uma condição que os professores não vão deixar esquecer.

Ana Maria Magalhães assegura que transmitiu o recado de Torres Novas "exactamente" como lhe foi dito. Não foi o primeiro, nem terá sido o último. Diz que "não é possível fazer nada com os agentes de ensino revoltados". Está disponível: sempre que receber um recado das escolas por onde andar, há-de fazê-lo chegar à ministra. "E ela quererá ouvi-lo", tem a certeza.

Quando a nova ministra tomou posse, fez ontem um mês, o conselho científico da Escola Superior de Educação (ESE) de Lisboa, que forma docentes do básico e onde Isabel Alçada trabalhou desde 1986 - depois de ter leccionado na então preparatória Fernando Pessoa e de concluir um mestrado em Boston, EUA - votou, por unanimidade, uma mensagem de congratulação, onde se pedia: "Escute a voz dos professores."

Na semana passada, o Ministério da Educação (ME) deu como morto o actual modelo de avaliação dos professores. Anteontem confirmou que quer acabar com a divisão da carreira docente, embora tenha proposto novas limitações à progressão na profissão, o que deixa antever novas fricções e provocou já críticas mesmo entre aqueles que não poupam elogios à ministra, como é o caso de Ramiro Marques, autor do blogue Profavaliação. "Mais do mesmo, sob outro estilo?" Ele espera que não.

Teresa Vasconcelos, presidente do conselho científico da ESE de Lisboa, aproveita o contacto do P2 para acrescentar uma nota pessoal à mensagem aprovada por aquele órgão: "Minha querida colega! É uma valente! Não precisa disto [ser ministra] para nada! Tem uma vida familiar e social intensa, se aceitou foi por convicção cívica." A mesma opinião têm Maria Emília Brederode dos Santos, a última presidente do extinto Instituto de Inovação Educacional e antiga roommate de Alçada em Boston; e Maria do Carmo Clímaco, ex-inspectora-geral da Educação, que com ela fazia os trabalhos pedidos pelos professores norte-americanos.

Segundo revelou recentemente o Correio da Manhã, no ano passado Maria Isabel Girão de Melo Veiga Vilar - Alçada, o apelido pela qual se tornou conhecida , é o do primeiro marido e já não consta do seu bilhete de identidade - declarou cerca de 50 mil euros em direitos de autor, mais cerca de 60 mil em rendimentos brutos de trabalho dependente. O marido, Rui Vilar, presidente do conselho de administração da Fundação Calouste Gulbenkian, acrescentou mais cerca de 240 mil.

"Não vai engolir sapos" Professores que trabalharam com a actual ministra em diferentes circunstâncias coincidem no diagnóstico: não decide contra a sua vontade ou convicções e não aceita ser ultrapassada à revelia.

Ramiro Marques conheceu-a quando, nos anos 80, ambos frequentaram o mestrado em Análise Social da Educação de Boston, incluídos num grupo de 70 docentes que o ME seleccionou para formação, com o objectivo de implantar as escolas superiores de Educação (desde então têm mantido contactos profissionais). Um dos secretários de Estado da anterior ministra, Valter Lemos, também fazia parte do grupo. A ministra "não é pessoa para fazer recados" ou para "deixar que lhe dêem ordens", precisa Ramiro Marques. "Não vai engolir sapos", confirma Maria Adelaide, uma professora de História do 2.º ciclo que foi colega de Alçada na Fernando Pessoa e a teve como coordenadora de estágio.

12 de Novembro. Na RTP 1 está a chegar ao fim a primeira entrevista de Isabel Alçada como ministra da Educação. Ela fala de apresentar resultados, a jornalista Judite de Sousa fala de "boas intenções". A ministra não gosta: "Não são só boas intenções e expectativas, sabe porquê? É que eu sei fazer. Já tenho muito anos de trabalho em educação e sei fazer."

Para Maria Adelaide, foi como que um reencontro. Lembra-se que exclamou: "Ora aí está a Isabel Alçada!" Quando a conheceu, em 1976, tinha cinco anos de docência e a actual ministra estava no seu ano de estreia, o que a não impediu de se propor logo para o estágio de profissionalização. No ano seguinte já era coordenadora desta formação - licenciada em Filosofia, ficou a orientar o grupo de História.

"Ela sabe, porque saiu da faculdade e foi trabalhar para o Ministério da Educação. Depois deu aulas no 2.º ciclo e no ensino superior. Conhece as escolas por fora e por dentro, leccionou, dirigiu, continuou a visitá-las como escritora", avança Luís Fernando, actual director da Fernando Pessoa. Cruzou-se com Alçada quando chegou àquela escola, no início dos anos de 1980.

Pouco depois, Isabel Alçada ingressava no conselho directivo. "É uma pessoa que não se deixa intimidar pelas circunstâncias, que não rejeita desafios, mas que também não tem noção das limitações", resume Maria Adelaide.

Isabel Alçada já assumiu várias vezes que só sabe trabalhar com autonomia, diz que a tem agora, "mas é uma independente, não está filiada no PS, não tem poder político". "Daqui a um ano vem embora. Não vai perder a sua boa imagem ou deixar de vender milhares de livros só para defender a imagem de Sócrates", acrescenta.

Por trás da aparência frágil e sorridente de Alçada poderá estar portanto uma mulher que provavelmente irá dizer não a Sócrates e bater com a porta. Ramiro Marques coloca a bola do lado do primeiro-ministro: "Ou Sócrates se enganou na escolha, ou sabia com o que é contava e deu-lhe carta branca por estar desejoso de dar a volta e iniciar um novo ciclo na educação."

"A escolha de Isabel Alçada corresponde a uma tentativa de fazer as pazes com os professores. Poucas pessoas terão melhores condições do que ela para fazer essa pacificação", corrobora António Teodoro, professor da Universidade Lusófona e antigo dirigente sindical. Ana Maria Magalhães aposta mais longe: "Ela é muito forte. Jamais aceitaria o cargo para pacificar a classe e ficar tudo na mesma. Isso é contrário à sua natureza. Ela sabe e pode tomar medidas que ajudem a melhorar o sistema."

Embora o seu alegado voluntarismo suscite reservas entre alguns, quem a conhece não lhe poupa elogios.

Ramiro Marques acredita que "tem todas as condições para realizar um bom trabalho": "Tem uma ligação muito intensa às escolas. Está à vontade com a cultura dos professores. É uma deles e eles também sentem isso. É uma pessoa que gosta de resolver problemas, que tem uma enorme capacidade de trabalho e um entusiasmo contagiante."

Teresa Vasconcelos recorda os primeiros tempos da ESE de Lisboa, altura em que houve alguns conflitos e Alçada era "conciliadora, criadora de consensos e ajudava a encontrar respostas pragmáticas". Tal como na Fernando Pessoa, também na ESE se envolveu por inteiro. Foi a primeira presidente da Assembleia de Representantes, foi coordenadora de Sociologia da Educação, do centro de documentação, foi responsável pela profissionalização em serviço. "Os alunos acham que ela é muito estruturante, de um rigor imenso, com ela não fazem farinha, interpelava-os, ralhava com eles e desafiava-os. É uma verdadeira pedagoga", defende Vasconcelos.

José Fanha, poeta e escritor, foi colega de Isabel Alçada na ESE de Lisboa, a fazer formação de professores, e lembra uma mulher de "sentido prático, positiva e bem-disposta".

"Deixa lá os sindicatos" Entre reuniões, discussão de propostas e de políticas, deslocações a escolas e participações em encontros e seminários, a agenda de Isabel Alçada tem sido a habitual de um titular da pasta da Educação. Frenética. Ela acrescenta um ar da sua graça. Não suporta perder tempo. É uma das características que lhe apontam e que vai de par com outras duas, observa Carmo Clímaco: "Trabalha muito e depressa."

 

Pouco depois de ter tomado posse como ministra da Educação, fez ontem um mês, Isabel Alçada almoçou com Ana Maria Magalhães, a amiga com quem tem escrito a quatro mãos, entre outros, os já 51 livros de sucesso Uma Aventura - mais de seis milhões de exemplares vendidos. Confessou que precisava de relaxar, que não podia passar tanto tempo sem escrever .

"Deixa lá os sindicatos e anda para aqui escrever!", respondeu-lhe, a brincar, Ana Maria Magalhães. No ME, as rondas negociais com os sindicatos de professores transformaram-se, desde há dois anos, numa espécie de sessão contínua. Isabel Alçada também já se estreou nelas. Em cima da mesa estão os dossiers que incendiaram as escolas durante o mandato da sua antecessora, mas no sábado passado, em casa de Ana Maria, que é desde 1982 o pouso habitual de escrita desta dupla, Alçada voltou à escrita.

Têm em mãos um novo livro da colecção História de Portugal. Em Março será publicado mais uma volume da colecção Uma Aventura, desta vez no Pulo do Lobo.

Segunda-feira à noite. Casa cheia para Isabel Alçada, que distribui sorrisos e autógrafos pelas crianças que acorreram ao Grande Auditório do Centro Cultural de Belém para assistir à antestreia da adaptação cinematográfica de Uma Aventura na Casa Assombrada, que poderá ser vista, a partir do próximo dia 3, em 50 salas do país. Para a nova ministra é como se estivesse em casa. Está habituada a falar com crianças sobre os seus livros. É um tom que contagia as suas intervenções, mesmo em contextos diferentes. Coloca a voz e somos todos de novo crianças.

Isabel Alçada nasceu em Lisboa em 1950, estudou no Liceu Francês, começou a dar explicações aos 15 anos, casou-se aos 18 e teve uma filha aos 19. Tem três netos. O curso de Filosofia, na Faculdade de Letras de Lisboa, foi feito a trabalhar. Esteve no Ministério a Educação e, em 1976, foi dar aulas de História para a preparatória Fernando Pessoa.

A história já é conhecida de todos os que leram Uma Aventura. Foi nesse ano que as duas autoras se conheceram à porta da escola. Isabel Alçada desafiou Ana Maria Magalhães para ir beber um café e "foi amizade à primeira vista", ri a professora, agora reformada, e que na altura já dava aulas "na província".

A primeira voluntária

A escola, que hoje tem pouco mais de 600 alunos, tinha na altura quase o triplo. Isabel era responsável pela pasta dos alunos. À revelia do ministério fizeram-se experiências para integrar os estudantes mais mal comportados.

"Eram tempos muito vividos, tínhamos uma esperança enorme que as transformações iam passar pela escola e que rapidamente íamos ser responsáveis pelas mudanças na sociedade portuguesa", recorda Luís Fernando com alguma nostalgia. "Na altura, gerir uma escola era muito mais complicado", acrescenta.

Foram feitas duas turmas com os piores e só trabalhavam com esses alunos os professores que se voluntariavam. "Ela era sempre a primeira voluntária", revela Carmo Clímaco, então presidente do conselho directivo. "Quem a ouvisse achava que era agressiva, mas ela sabia o que fazer com eles e era coerente."

Entre 1981 e 1983, Isabel Alçada integrou também a direcção do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa. O facto não consta da sua biografia oficial. António Teodoro era então o presidente. E Fraústo da Silva o ministro da Educação num governo dirigido por Pinto Balsemão.

Dois dossiers em destaque na altura: a preparação da Lei de Bases da Educação, que em 1986 alargou a escolaridade obrigatória até aos 15 anos; e a chamada "profissionalização em serviço", uma espécie de estágio que visava garantir formação pedagógica necessária para se conseguir um vínculo à docência.

Alçada fazia parte da equipa sindical que negociou este processo com o ME. Teodoro recorda "uma mulher com charme, bom senso, que nunca deixava de dar as suas opiniões, que defendia as suas ideias, mas era capaz de fazer pontes, de desarmar com um sorriso, impedindo que as pessoas se acantonassem nas suas posições". "Era uma das pessoas que eu gostava de ouvir nos momentos mais tensos", diz.

Desistiu do sindicato quando começou a escrever mais assiduamente com Ana Maria Magalhães. Precisava de tempo. Foi uma das condições que também colocou na ESE de Lisboa: dar aulas só de manhã para ficar com as tardes livres para a escrita.

Para Álvaro Magalhães, autor da colecção juvenil Triângulo Jota, Isabel Alçada está melhor como ministra do que como escritora, porque não lhe reconhece esse papel: "O que Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada fazem não é literatura, mas material pedagógico. A literatura serve para inquietar, para abalar o conhecimento." O escritor José Jorge Letria, presidente da Sociedade Portuguesa de Autores e amigo de ambas, coincide na apreciação: "Do ponto de vista estilístico [o seu trabalho] não tem originalidade, mas tem identidade própria. Não ficará como um projecto literário mas como fomento da leitura."

Nas últimas semanas, Ana Maria Magalhães tem percorrido o país para apresentar a adaptação cinematográfica do livro Uma Aventura na Casa Assombrada. "Prefiro fazer sessões contínuas com 800 crianças cada do que estar na Assembleia da República a ouvir deputados. Isso seria insuportável para mim", confessa.

A verdade é que as duas autoras têm perfis completamente diferentes. Ana Maria é "pacata", sempre quis trabalhar com os alunos, nunca quis cargos de responsabilidade na escola. Isabel Alçada é alegre, comunicativa, gosta de ir a uma festa, de estar em sociedade, não se importa de ficar numa mesa onde não conhece ninguém, "brilha mais", descreve a amiga, que confessa não ter paciência para acontecimentos sociais.

"O nosso projecto comum é a escrita. Quando começamos a escrever, corremos as cortinas sobre todos os outros assuntos", confessa Ana Maria Magalhães, que revela: escrever em conjunto é como "redigir uma acta, uma vai dizendo e a outra vai escrevendo".

Têm também em comum uma mesma formação, um passado vivido em famílias numerosas e, segundo elas, felizes. Isabel Alçada é a mais velha de três irmãs. Alegando reserva da vida privada, a ministra escusou-se a falar com o P2, mas em entrevistas que deu ao longo dos últimos anos tem contado como a casa de infância estava "sempre cheia". Sobretudo de mulheres: tias, primas, amigas.

"É uma pessoa muito alegre, divertida, positiva. Uma contadora de histórias. Herdou esta veia do pai, o meu avô João", resume um dos seus quatro sobrinhos, Pedro Abecassis, 26 anos. A família ainda costuma passar férias e fins-de-semana na zona de Sintra, onde Isabel Alçada se dedica também à jardinagem. É um dos seus hobbies favoritos.

Teresa Vasconcelos não tem dúvidas de que "o trabalho da vida de Isabel Alçada foi o Plano Nacional de Leitura". Teresa Calçada, coordenadora da Rede de Bibliotecas Escolares, que trabalhoucom ela no PNL, diz que ainda não a conhecia e já defendia a criação de um "Plano SOS Leitura", uma ideia que foi apresentando a sucessivos ministros e que só veio a ser concretizada com Maria de Lurdes Rodrigues, sob a forma do Plano Nacional de Leitura. Com o PNL, pretendia-se dar visibilidade e mediatizar a promoção da leitura e "Isabel Alçada fez isso quase na perfeição", reconhece Teresa Calçada.

Também neste campo, o escritor Álvaro Magalhães é um crítico. O que foi feito até agora foi "vulgarizar, banalizar a leitura". Também José Jorge Letria reconhece que, por vezes, "como leitor vulgar", é surpreendido com determinados livros que têm o selo do PNL. "Um plano que tem a tendência de massificar a leitura tem erros, por vezes em prejuízo dos autores de referência, mas não se pode construir um edifício sem falhas." O saldo final de três anos de PNL é "positivo", embora seja necessária uma "maior definição de critérios, com mais qualidade", recomenda Letria.

"É bom assinalar que a lista do PNL não é uma obrigação mas apenas uma orientação", salvaguarda José Fanha. A autora Maria João Lopo de Carvalho defende que o PNL pôs as escolas a ler. "À nossa ministra, nesta "aventura no Ministério da Educação" só tenho a dizer: obrigada por ter trazido alegria, emoção e prazer a tantos alunos."Isabel Alçada aos três anos em São Martinho do Porto; aos seis, com tranças; aos 13, no campo; e com

a filha Vera

ao colo

 

«Público»



publicado por Noticias do Ribatejo às 14:07
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009
Todos os cavalos lusitanos foram retirados do S. Gabriel

Já foram retirados do navio S. Gabriel, encalhado a Sul de S. Miguel, os sete cavalos lusitanos.

A barcaça Dragaçor transportou os animais para o porto de Ponta Delgada.

Um suspiro de alivio percorreu hoje os amantes da equitação açoriana, ao serem informados que às 16 horas e 15 minutos locais estava concluída a operação de resgate dos sete cavalos lusitanos que se encontravam em perigo a bordo do São Gabriel.

‘Valina’, Talisman’, “Zangado do ilhéu”, “Aquiles do Ilhéu”,  “Zelo do Ilhéu”, “Cocktail”  e o “Peta” estão a salvo no DRAGAÇOR um barco de extracção de areia sedeado no porto de Ponta Delgada, contratado pela empresa Domingues Sub que está a trabalhar para a TITAN.

A égua Valina, de sete anos, criada no Faial, tinha sido vendido para Inglaterra.

O Talisman, de nove anos, também pertencente ao Centro Equestre do Faial, ía participar na Taça de Portugal de Dressage, em Lisboa.

O "Zangado do ilhéu”, do Centro Equestre O Ilhéu, foi o primeiro cavalo nado, criado e ensinado nos Açores a competir no Concurso de Modelo e Andamentos da reconhecida Feira da Golegã. Este cavalo foi campeão nacional  de Dressage na Golegã o ano passado com a cavaleira Lisandra Parreira, da Terceira.

Informações recolhidas pela jornalista RTP, Rosário Quaresma, indicam que os animais vão ser acolhidos pela Associação Equestre de S. Miguel.

Miguel Balacó disse à RTP/Açores que os animais "estão ansiosos, mas estão também".

O veterinário acrescentou que os cavalos vão ser sujeitos a nova avaliação quando desembarcarem.

Miguel Balacó, da Associação, é o veterinário que acompanhou os animais durante os dois dias de cativeiro.

 

http://ww1.rtp.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 19:15
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 24 de Outubro de 2009
FALECEU JOÃO BANZA

 

 

João Banza, avançado da AD de Oeiras, foi agredido na passada quarta-feira e encontrava-se em situação de morte cerebral.

Depois de efectuadas duas provas de morte cerebral ao atleta, sem que tenha sido registada qualquer resposta, foi declarado o óbito do hoquista, esta sexta-feira, por volta das 20h00.

Segundo os procedimentos legais, será agora efectuada uma autópsia ao cadáver, uma vez que a morte resultou de uma agressão, sofrida na passada quarta-feira à noite, quando tentava levantar dinheiro nas imediações da igreja de Santos-o-Velho, em Lisboa. Na sequência do ataque, João Banza caiu, tendo batido com a cabeça no chão – pancada que provocou um hematoma cerebral.

 

 

De acordo com o Comando Metropolitano da PSP, o agressor de João Banza ainda não foi identificado.

O hoquista, que antes de se transferir para a AD de Oeiras passou pelo Sporting e pelo Juventude de Viana, estava internado na unidade de neurocirurgia do hospital de São José, em Lisboa.

Depois de várias horas em coma, a morte cerebral do hoquista de 28 anos foi agora confirmada.

O UFE Fans endossa à família enlutada, aos amigos e à Associação Desportiva de Oeiras as mais sentidas condolências.

 


publicado por Noticias do Ribatejo às 19:56
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 20 de Outubro de 2009
NOITES DE GALILEU

LISBOA, CASCAIS, SANTARÉM, SETÚBAL E PORTALEGRE NAS "NOITES DE GALILEU
Em Setúbal o palco das "Noites de Galileu" fica na Atalaia -Montijo

LISBOA, CASCAIS, SANTARÉM, SETÚBAL E PORTALEGRE NAS Em Setúbal o palco das "Noites de Galileu" fica na Atalaia -Montijo">Em Setúbal, o palco das "Noites de Galileu" fica na Atalaia (Montijo). Nos dias 23 e 24 de Outubro, a partir das 19h30 e pela madrugada fora, os curiosos podem juntar-se a uma equipa de astrónomos amadores e passear pelos recantos do horizonte celeste, a partir de um local privilegiado, afastado da poluição luminosa das grandes cidades. Os interessados em participar nesta aventura espacial deverão consultar o site da organização (www.atalaia.org/local.php), onde encontrarão todas as dicas necessárias para chegarem ao local

Portugal vai unir-se a mais de meia centena de países de todos os cantos do globo naquele que pretende tornar-se, em apenas três dias, num dos maiores eventos de divulgação científica de sempre.
Pretende tornar-se num dos maiores eventos de divulgação científica alguma vez realizados e Portugal não vai ficar de fora. No Ano Internacional da Astronomia, mais de meia centena de países vão juntar-se nos dias 22 e 24 de Outubro às comemorações das "Noites de Galileu". De Portalegre a Bragança, de Lisboa à Guarda, os portugueses são convidados a passearem pelo Sistema Solar e a revistarem os achados que ajudaram Galileu Galilei, há 400 anos e com uma luneta apenas, a mudar a História da Humanidade.
Em visitas guiadas pelo céu nocturno ou controlando, a partir do computador e sem sair de casa, um telecópio de ponta de um qualquer lugar remoto do mundo (ver mais informações em www.galileannights.org/remote_observing.html), todos são desafiados a descobrir, na primeira pessoa, o que um dos mais famosos astrónomos de todos os tempos conseguiu ver em 1609 com uma luneta que ele próprio tinha construído. O Sol, Vénus, Júpiter e os seus anéis, Saturno e as estrelas da Via Láctea são alguns dos objectos que desfilarão à frente de milhões de pessoas de todo o mundo.
As "Noites de Galileu" incluem ainda um concurso mundial de astrofotografia, que termina a 27 de Outubro e que premiará os melhores a fotografarem o céu visto a partir da Terra e os objectos celestes mais longínquos (o regulamento do concurso está disponível online em www.galileannights.org/competition.html).
Originalidade a Norte
A Norte, as "Noites de Galileu" contarão com algumas iniciativas mais originais.
Em Braga, no dia 23 de Outubro às 21 horas, a Biblioteca do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian e a ORION convidam o público a "Ler com Estrelas", naquele que será um invulgar passeio pelo Sistema Solar realizado ao som de passagens literárias seleccionadas e de música ao vivo.
Em Bragança, os curiosos (com ou sem conhecimentos de Astronomia) poderão vestir a pele de Galileu e, como o cientista, contemplar o Sol. A sessão de observação astronómica, pensada para todos os públicos, terá lugar no dia 23 de Outubro, das 15 às 17 horas, no Centro Ciência Viva de Bragança.
A Lua e Júpiter serão os grandes protagonistas da "Noite das Estrelas" em Sandim, Vila Nova de Gaia, uma cortesia da junta de freguesia local. No dia 24 de Outubro, a partir das 18 e até às 22 horas, os sandinenses são desafiados a unirem-se às celebrações mundiais do Ano Internacional da Astronomia no parque de estacionamento da igreja, observando com os seus próprios olhos os astros que Galileu Galilei estudou em 1609. Os participantes poderão ainda conhecer as técnicas que os especialistas hoje utilizam para registarem fotograficamente os objectos celestes. Por sua vez, na cidade de Vila Nova de Gaia, terá lugar uma conferência sobre os feitos de Galileu e o Ano Internacional da Astronomia, que decorrerá no dia 24 de Outubro, às 15 horas, na Associação Cultural Amigos de Gaia.
No Porto, os passeios pelo Cosmos terão lugar no Planetário do Porto. No dia 23 de Outubro, das 21 às 23 horas, os portuenses poderão juntar-se a uma observação nocturna com telescópio, promovida pelo CAUP - Centro de Astrofísica da Universidade do Porto. No dia 24, o Planetário do Porto levará ainda pequenos e graúdos em dois passeios pelo céu com as sessões de planetário "O Vítor vai à Lua" (sessão infantil, às 15 horas) e "Visões do Cosmos" (sessão para todos, às 16 horas). No mesmo dia, das 15 às 17h, os curiosos poderão ainda, no mesmo local, observar o Sol com telescópio, uma cortesia do CAUP.
Em São João da Madeira, a anfitriã das "Noites de Galileu" é a Escola Secundária Serafim Leite. Nos dias 22 e 23 de Outubro a partir das 20h30, o Clube de Astronomia da instituição organiza sessões de observação do céu abertas a todos, com uma incursão pelos trabalhos de Galileu.
De Espinho vem a proposta para um jantar "muito espacial". "Alguma vez imaginou como seria beber uma boa chávena de café na Lua? Ou talvez comer um gelado enquanto orbita em torno de Saturno e dos seus anéis? E como seria... jantar em Marte?", pergunta o Centro Multimeios de Espinho, que convida todos os interessados, no dia 24 de Outubro, a jantarem sob as estrelas enquanto navegam pelo espaço interplanetário. Com início às 20 horas, o "Jantar em Marte" permitirá um olhar mais atento às maravilhas do Sistema Solar, "aquelas que, com a sua luneta, Galileu olhou pela primeira vez há 400 anos e que ainda assim lhe permitiram mudar a História da Humanidade", avança a organização.
Em Aveiro, as "Noites de Galileu" são celebradas com passeios colectivos pelo céu nocturno, no Campus de Santiago. A iniciativa decorre no dia 24 de Outubro, das 21h30 às 23 horas, junto ao Departamento de Física da Universidade de Aveiro.
Na Guarda, a Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de São Miguel é o palco das comemorações dedicadas a Galileu Galilei, com a organização de uma sessão de observação astronómica no dia 23 de Outubro a partir das 20h30.
No distrito de Coimbra, as "Noites de Galileu" serão celebradas no dia 24 de Outubro, a partir das 15 horas, no Observatório Astronómico de Mira, com um passeio guiado pelo céu aberto à participação de todos. Em Vila Nova (Miranda do Corvo), a iniciativa dá ainda o mote a um curso de introdução à Astronomia, que terá lugar aos sábados, até 7 de Novembro.
Rumo a Sul, sempre a olhar o céu
Em Fátima as festividades estarão a cargo do Colégio do Sagrado Coração de Maria. A 22 de Outubro, a partir das 21 horas, a escola põe em marcha o projecto de observações astronómicas "Ser Galileu por um dia... é um sin@l de esperança".
Com as escolas em grande numa noite dedicada à Astronomia, nas Caldas da Rainha é possível ser Galileu e percorrer os seus astros na Escola Secundária Raul Proença. A iniciativa "Noite de Galileu" terá lugar no dia 22 de Outubro, das 19 às 20 horas.
No Entroncamento também há "Noites de Galileu". No dia 23 de Outubro, das 19h30 às 23h30, a Escola Dr. Ruy D´Andrade dá asas às "Noites de Galileu na Escola", com um passeio pelo céu nocturno.
Em Santarém, Constância volta a aderir a mais um projecto do Ano Internacional da Astronomia. No dia 24 de Outubro, das 15 às 19 horas, o Centro Ciência Viva de Constância desafia todos os amantes da astronomia e os que nada sabem sobre as estrelas a espreitarem o misterioso céu de Galileu Galilei.
E porque Lisboa também não poderia ficar de fora de um evento de magnitude internacional, o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL) promove uma noite dedicada a Júpiter e às suas luas. Nos dias 23 e 24 de Outubro, a partir das 20 horas, o público presente na Tapada da Ajuda poderá, assim, desfrutar de uma visita guiada pelo observatório, olhar com a ajuda de telescópios o gigante gasoso do Sistema Solar e fazer uma incursão pelas estrelas, enxames e nebulosas da Via Láctea, compreendendo assim o impacto do trabalho de Galileu na História da Ciência.
Em Cascais, a aventura celeste terá lugar no Centro de Interpretação Ambiental da Ponta do Sal, em São Pedro do Estoril, uma cortesia do NUCLIO- Núcleo Interactivo de Astronomia. No dia 22 de Outubro, a partir das 21 horas, haverá uma sessão de observação nocturna com telescópios. No dia seguinte, as comemorações começam às 21h30 com a palestra "Um património da humanidade em perigo: a poluição luminosa e os seus problemas", orientada pelo investigador Guilherme de Almeida e à qual se seguirá mais um passeio celeste com telescópios. Já o dia 24 de Outubro começa com um workshop em astronomia para professores (a partir das 10h), seguindo-se, a partir das 15h, três horas de ateliers infantis "Aprender é Divertido", onde os mais pequenos poderão ´cozinhar´ planetas, divertir-se com fantásticos jogos astronómicos e, ao mesmo tempo, descobrir a vida e a obra de Galileu Galilei. Das 16h às 17h30, os mais curiosos poderão então espreitar o Sol através de telescópios, para depois mergulharem com o astrónomo José Afonso no mundo da ciência que estuda os corpos celestes com a palestra "Sob o signo de Galileu: evolução no passado, novos horizontes no presente e a perseverança no futuro da Astronomia" (às 21h30). A partir das 22h30, haverá lugar a novo passeio pelo céu nocturno.
Em Setúbal, o palco das "Noites de Galileu" fica na Atalaia (Montijo). Nos dias 23 e 24 de Outubro, a partir das 19h30 e pela madrugada fora, os curiosos podem juntar-se a uma equipa de astrónomos amadores e passear pelos recantos do horizonte celeste, a partir de um local privilegiado, afastado da poluição luminosa das grandes cidades. Os interessados em participar nesta aventura espacial deverão consultar o site da organização (www.atalaia.org/local.php), onde encontrarão todas as dicas necessárias para chegarem ao local das observações.
Ponte de Sôr (Portalegre) é outro dos concelhos que celebram os 400 anos das observações realizadas por um dos maiores astrónomos de todos os tempos. Em Montargil (Laranjal), a Associação Nova Cultura de Montargil promove, a 23 e 24 de Outubro a partir das 20h30, passeios pelo céu nocturno, abertos a todos os interessados.
O Ano Internacional de Astronomia (www.astronomia2009.org) é organizado em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Astronomia, com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), da Fundação Calouste Gulbenkian, do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, da Agência Ciência Viva e da European Astronomical Society (EAS).

Links
Site das "Noites de Galileu": www.galileannights.org
Concurso de Astrofotografia "Noites de Galileu": www.galileannights.org/competition.html
Site do AIA2009: www.astronomia2009.org
Lista de Observatórios Remotos: www.galileannights.org/remote_observing.html

 

fonte: http:/http://www.rostos.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 17:00
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 15 de Outubro de 2009
Viagem de barco em defesa do rio Tejo

 

P15 - Visita a Valada 04

“Vogar contra a indiferença” é o nome do cruzeiro que se vai realizar no próximo dia 17 de Outubro, às 10 horas, entre a marina do Parque das Nações, em Lisboa, e as aldeias ribeirinhas de Valada, no concelho do Cartaxo, e Caneiras, Santarém.

Esta acção, que pretende alertar para a necessidade de protecção do Tejo e da defesa das culturas a ele associadas, vai descer o rio em três embarcações tradicionais, o bote-de-fragata “Baía do Seixal”, e os varinos “Liberdade” e “Vala Real”, propriedade das Câmaras do Seixal, Vila Franca de Xira e Azambuja, respectivamente.

A organização é do Movimento PROTEJO e do projecto de candidatura dos Avieiros a património nacional, e visa ainda protestar contra a “nova sangria a que o Tejo se encontra submetido em resultado do aumento dos transvases em Espanha, decididos unilateralmente”, explica uma nota dos organizadores.

Os movimentos cívicos acrescentam que Espanha já lançou um novo concurso público para transvases, através da Junta de Extremadura, que contratou um estudo de viabilidade para um possível transvase no Médio Tejo até ao Segura e ao Guadiana.

Além do protesto contra as intenções espanholas, esta iniciativa servirá ainda para divulgar as potencialidades da “rota turística do Tejo e dos Avieiros”, valorizando esta cultura e a sua candidatura a património nacional, e “sensibilizar os cidadãos para os graves problemas do Tejo e dos seus ecossistemas”, segundo a mesma nota.

fonte: http://www.oribatejo.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:55
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 11 de Outubro de 2009
Leva-me aos Fados" e Ana Moura em Portalegre

fonte: http://hardmusica.pt/

 

 

Reconhecida internacionalmente, Ana Moura estreou-se com Guarda-me a Vida na Mão (2003), lançando seguidamente Aconteceu (2005).

 

Cantou, também, em vários em locais da noite lisboeta e na televisão passou a ser conhecida quando participou em Fados de Portugal ao lado de António Pinto Basto.
Em 2007, Ana Moura participou no concerto dos Rolling Stones no Estádio de Alvalade XXI, em Lisboa, cantando, em dueto com Mick Jagger, o tema “No Expectations” da banda britânica.

 

 

De acordo com os seus promotores Ana Moura conquistou o reconhecimento da crítica e também dos seus iguais tedo-lhe sido atribuído, em 2008, o Prémio Amália de Melhor Intérprete.


Pisou mais de 300 palcos diferentes na sua última tournée, visitou dezenas de Países em vários continentes e foi foco de todas as atenções quando em 2008 pisou o palco do Estádio de Alvalade para cantar com Mick Jagger ou, mais recentemente, quando os ecos da Imprensa francesa deram conta da viagem propositada de Prince para a ver cantar em Paris.

‘Leva-me aos Fados’ é pois um dos discos mais aguardados deste ano.

Ana Moura é natural de Coruche, mas como esta localidade não dispunha de maternidade, nasceu na capital de distrito, ou seja, Santarém.

Reconhecida internacionalmente, Ana Moura estreou-se com Guarda-me a Vida na Mão (2003), lançando seguidamente Aconteceu (2005).


Cantou, também, em vários em locais da noite lisboeta e na televisão passou a ser conhecida quando participou em Fados de Portugal ao lado de António Pinto Basto.
Em 2007, Ana Moura participou no concerto dos Rolling Stones no Estádio de Alvalade XXI, em Lisboa, cantando, em dueto com Mick Jagger, o tema “No Expectations” da banda britânica.



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:29
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

SANTAREM - Fotobiografia ...

FIM DAS PROPINAS

CORUCHE-Mais de 700 passa...

SANTAREM-Liceu Sá da Band...

GOLEGÃ-Luis Athouguia exp...

CLUBE DE NATAÇÃO DE RIO M...

TORRES NOVAS-A ministra a...

Todos os cavalos lusitano...

FALECEU JOÃO BANZA

NOITES DE GALILEU

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds