NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Segunda-feira, 29 de Fevereiro de 2016
IPSantarém recebe alunos em mobilidade internacional

d50ceea8-46fd-4240-b093-43873d4aa9f1.jpg

O IPSantarém recebeu quarta-feira, dia 24 de fevereiro, numa sessão de boas vindas, dez estudantes da UNIS – Centro Universitário do Sul de Minas, no Brasil, que vão estar durante o próximo semestre a realizar os seus estudos nas escolas do IPSantarém.

 

Os estudantes, de nacionalidade brasileira, vão frequentar as licenciaturas de Marketing, na Escola Superior de Gestão e Tecnologia, Agronomia e Qualidade Alimentar e Nutrição Humana, na Escola Superior Agrária e Desporto, Condição Física e Saúde, na Escola Superior de Desporto de Rio Maior.

 

Na sessão de boas-vindas, Hélder Pereira, Vice-Presidente do IPSantarém referiu que “este modelo de mobilidade entre estudantes é a forma mais importante para a internacionalização do IPSantarém, ao abrir a cooperação entre instituições de ensino superior a países para além da europa” e sublinhou ainda que “o IPSantarém coloca a internacionalização no topo das suas prioridades e está empenhado em aumentar o número de estudantes, a receber e a enviar para as escolas parceiras”.



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:41
link do post | comentar | favorito

Trail do Almonda

5.jpg

As inscrições para o Trail do Almonda 2016, que se realiza a 10 de julho, estarão abertas a partir das 00h01 do dia 1 de março. O Trail do Almonda é uma prova de aventura percorrida em trilhos sinalizados, de pé posto, pequenos estradões, ou estradas, em autonomia pedestre, visando percorrer todo o percurso no menor tempo possível, e visando a promoção e divulgação turística e ambiental desta região e a prática de desporto em meio natural. Os interessados podem inscrever-se no trail (cerca de 32km), no mini-trail (cerca de 15km) ou na caminhada (cerca de 10km).

 

A prova terá início e fim no Centro Escolar da Serra d`Aire (CESA), freguesia de Pedrógão, a partir das 9 horas.

 

As inscrições no trail estão limitadas a 400 atletas, no mini-trail a 300 participantes e no passeio pedestre a 100 participantes e podem ser efetuadas através dos seguintes links: individual https://lap2go.com/pt/Event/trail-almonda-2016/entry/regindividual; equipa https://lap2go.com/pt/Event/trail-almonda-2016/entry/regteam. As inscrições só serão validadas depois de efetuado o respetivo pagamento. Até 15 de abril têm o custo de 13€ para o trail e 10€ para o mini-trail. A caminhada tem o custo de 6€. O almoço é opcional e tem o custo de 7€.

 

No processo de inscrição, os participantes deverão indicar obrigatoriamente o nome completo, domicílio, data de nascimento e número de bilhete de identidade, número de telemóvel, e número de identificação fiscal.

 

As normas de participação estão disponíveis em www.cm-torresnovas.pt. Mais informações através telefone 249 839 170, do e-mail desporto@cm-torresnovas.pt ou da página de facebook do evento https://www.facebook.com/TrailAlmonda

 

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:39
link do post | comentar | favorito

Augusto Moutinho Borges apresenta “Santarém no Arquivo da Casa de Santa Iria: Uma Família na História de Portugal” na 69ª Assembleia de Investigadores do CIJVS

4.jpg

 Augusto Moutinho Borges apresenta “Santarém no Arquivo da Casa de Santa Iria: Uma Família na História de Portugal”, na 69ª Assembleia de Investigadores do CIJVS – Centro de Investigação Joaquim Veríssimo Serrão, no próximo dia 3 de março, às 18h30, no CIVS – Casa de Portugal e de Camões.

 

Augusto Moutinho Borges, é Doutor em Ciências da Vida, na Especialidade em História das Ciências da Saúde, pela Universidade Nova de Lisboa (2008); Mestre em Património e Turismo, pela Universidade do Minho – Braga (2004) e Licenciado em Ciências Históricas, pela Universidade Portucalense – Porto (1988).

Investigador do CLEPU – Universidade de Lisboa, da Cátedra Infante D. Henrique – Universidade Aberta, membro Académico da Academia Portuguesa da História, membro do Conselho Científico da Comissão Portuguesa da História Militar – Ministério da Defesa e Professor. O palestrante tem diversas publicações sobre História das Ciências da Saúde, Arquitetura, Património, História da Arte e Turismo. Augusto José Moutinho Borges.

Na sessão, que tem a duração de 01h30 e entrada livre, Augusto Moutinho Borges, vai explicar que “O trabalho proposto desenvolveu-se no Arquivo da Casa de Santa Iria, onde diversa documentação referente a diversas casas titulares do Reino (Óbidos, Sabugal, Palma, Alva e Santa Iria) estão intimamente relacionadas com Santarém. A documentação inédita, remete-nos para uma família na História de Portugal onde o quotidiano se interliga com importantes Centros Urbanos de Norte e Sul do País. Vamos, pois, dar a conhecer informação fundamental para a História de Santarém e arredores desde a área civil à religiosa.

 

É Investigador Integrado do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Universidade de Lisboa – CLEPUL (2010-2013) e Professor Adjunto Convidado da Escola Superior de Turismo e Hotelaria do Instituto Politécnico da Guarda (2011-2013). Desempenhou as funções de conservador de Museu Ordem Hospitaleira (2002-2011) e foi Técnico Superior da Câmara Municipal de Almeida (1992-2002), Professor Assistente da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico da Guarda (1998-2002) e Professor do Ensino Secundário Escola C+S de Almeida (1989-1992).  

 

Académico da Academia Portuguesa de História (2013), é também Investigador Colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares Século XX da Universidade de Coimbra – CEIS20 (2008); Investigador Colaborador do Instituto Europeu de Ciências da Cultura, da Universidade de Lisboa (2010); Membro Correspondente do Conselho Científico da Comissão Portuguesa de História Militar, Ministério da Defesa Nacional (2007) e Membro do Conselho Científico do Instituto Europeu de Ciências da Cultura, da Universidade de Lisboa (2012). Foi Membro da Direcção da Sociedade Histórica da Independência de Portugal (2010-2013) e Membro da Direção da Secção de História da Medicina da Sociedade de Geografia de Lisboa (2008-2012).

 

Autor de onze livros sobre história, História da Arte, Património, Turismo, Cultura e História das Ciências da Saúde, tem escritos 130 artigos e realizou 90 conferências e 110 comunicações em Congressos e Colóquios, em Portugal e no estrangeiro, sobre História, Arte, Património, Cultura, Cultura e Ciências da Saúde. 

 

Foram-lhe atribuídos os Prémios Imprensa Não diária 2002, pela Sociedade Histórica da Independência de Portugal, o Prémio Defesa Nacional 2007, pela Comissão Portuguesa de História Militar-Ministério da Defesa Nacional, o Prémio SOS Azulejo Investigação Científica 2010, pelo Museu da Polícia Judiciária, e o PrémioAPOM Investigação 2012 (Menção Honrosa), pela Associação Portuguesa de Museologia.



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:38
link do post | comentar | favorito

Convento de São Francisco recebe exposição "Breve história do parlamentarismo português"

3.jpg

O Convento de S. Francisco vai receber, de 4 a 31 de março, a exposição itinerante da Assembleia da República, denominada “Breve história do parlamentarismo português”.

A mostra, que conta a história do parlamentarismo português e dos espaços que o parlamento ocupa desde 1834, é composta por 25 painéis que evidenciam as evoluções políticas deste órgão de soberania desde o liberalismo até aos nossos dias.

Na exposição está descrita a origem do Palácio de São Bento, que começou por ser um Mosteiro, em 1598, e a sua transformação em Palácio das Cortes, em 1833. Descreve também todas as adaptações e acrescentos até ao atual edifício e contempla, ainda, a história do Parlamentarismo português, desde 1834, com incidência especial na história do Parlamento, a partir de 1976, a descrição da Assembleia da República, por que partidos é constituída, os seus horários, e o modo de funcionamento, entre outras vertentes.

Esta exposição foi inaugurada, em 2001, na cidade de Vigo com o apoio do Centro Português de Vigo e de uma entidade bancária. Durante algum tempo percorreu várias alcaidarias espanholas e concelhos portugueses. Mais tarde, em 2010, após um interregno, esteve exposta no Barreiro e no Governo Civil de Viseu. Mas foi em 2011, em Ourique, que a Exposição recebeu a visita da Presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, que ficou muito impressionada com o evento e aceitou o desafio de levar a Exposição a um concelho por mês, com o objetivo de divulgar a essência do Parlamento a quantos a quisessem entender e conhecer. É neste espírito que se tem concretizado a itinerância da Exposição desde Trás-os-Montes e Minho ao Alentejo e Algarve.

Já percorreu vários concelhos, tais como, Bragança, Valpaços, Chaves, Torre de Moncorvo, Macedo de Cavaleiros, Fafe, Barcelos, Paredes, Paços de Ferreira, Faro, Alter do Chão, Beja, Arronches, Vidigueira, Évora, Portalegre, Campo Maior, Ourém, Torres Novas, Fátima, Rio Maior, Leiria, Pombal, Figueiró dos Vinhos, Barcelos, Viana do Castelo, Penamacor, Almeida, Manteigas, Salvaterra de Magos, Amarante, Ponte da Barca, Gondomar, Santo Tirso e Mação, sempre com muito sucesso e auditórios lotados e muito interessados. “Uma ideia aristotélica de sairmos de casa para levar uma mensagem àqueles que não se podem deslocar até nós, é a que tem prevalecido”.

Durante o mês de março, a Exposição "Breve história do parlamentarismo português", vai estar na cidade de Santarém, no Convento de S. Francisco. Uma oportunidade a não perder para quem quiser ficar a conhecer melhor a origem e evolução da instituição parlamentar, assim como a história do edifício que acolhe a Assembleia da República, o antigo Convento de São Bento.



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:36
link do post | comentar | favorito

Mulheres Pintoras e Mulheres Pintadas em Exposição no Palácio do Landal

Mulheres Pintoras e Mulheres Pintadas é o nome da exposição que vai estar patente, de 8 a 31 Março 2016, no Palácio do Landal.

 

A mostra, organizada pela Câmara Municipal de Santarém, desenvolve-se em duas salas do Palácio do Landal a partir de duas obras referenciais da pinacoteca Braamcamp Freire: a “Natureza Morta, óleo sobre tela (1676) de Josefa de Ayalla e Cabrera (Josefa de Óbidos) e “A Sonata”, óleo sobre tela (cerca de 1745) de Gaspare Traversi.

 

A pintura de Josefa de Óbidos é a peça âncora da sala atribuída às Mulheres Pintoras e “A Sonata” de Traversi, a obra referencial da sala das Mulheres Pintadas.

 

A sala Mulheres Pintoras é composta por obras de arte contemporânea, exclusivamente executadas por artistas mulheres, muito diversificada não obedecendo a um tema específico.

Já a sala das Mulheres Pintadas tem como tema a mulher e/ou a sua representação e conta com a participação de artistas de ambos os sexos.

 

Em exposição vão estar obras de Ana Carvalho, Bruna Galveias, Daniel Xavier, Fernanda Narciso, Inês Lima, Inês Machado, João Maria, Mário Rodrigues, Marta Ramos, Patrícia Nazareth Barbosa, Paula de Sousa Cardoso, Ricardo Tomás, Rita Alfaiate, Rita Silvestre, Rosa Santana, Silvia Franco e Sofia Murteira.

 

A exposição, que vai ser inaugurada por ocasião do Dia da Mulher, a 8 de março, pelas 18h30, vai estar patente ao público durante todo o mês de março, assinala as comemorações deste dia, especialmente, dedicado às mulheres.

 

Santarém adere à Hora do Planeta 2016

 

O Município de Santarém vai associar-se, mais uma vez, à Hora do Planeta, iniciativa da organização global de conservação de natureza World Wide Fund for Nature (WWF), que, este ano, se assinala a 19 de março, com o lema “Apaga as luzes. Participa no movimento contra as alterações climáticas”.

 

Com a adesão à Hora do Planeta o Município de Santarém vai desligar as luzes do edifício dos Paços do Concelho durante a Hora do Planeta, entre as 20H30 e as 21H30, do dia 19 de Março de 2016 e, num ato simbólico, desligar, naquele período mas apenas por alguns minutos, a iluminação elétrica do recinto de festas de S. José, ficando os stands e tasquinhas iluminados por velas e tochas.

 

Como medidas mais permanentes, e no âmbito da evolução da campanha Hora do Planeta e do conceito ‘ir mais além da Hora’, o Município de Santarém tem adotado medidas de aumento de eficiência energética e racionalização de consumos em edifícios e espaços públicos e vai, também, dar continuidade à substituição de balastros ferromagnéticos por balastros eletrónicos com regulação de fluxo luminoso, vai continuar a adquirir baterias de condensadores para compensação de energia reativa e vai continuar a desligar focos de iluminação pública de zonas rurais em locais onde não se justifica a presença de iluminação.

 

A Hora do Planeta é uma iniciativa da WWF que começou em 2007 em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2.000 empresas apagaram as luzes por uma hora numa tomada de posição contra as mudanças climáticas.

 

Um ano depois a Hora do Planeta tornou-se um movimento de sustentabilidade global com mais de 50 milhões de pessoas, em 135 países, a mostrarem o seu apoio a esta causa ao desligarem simbolicamente as suas luzes.

 

Marcos globais, como a Sydney Harbour Bridge, a Torre CN, em Toronto; a Ponte Golden Gate, em São Francisco; o Coliseu de Roma, entre muitos outros, ficaram às escuras como símbolos de esperança por uma causa que se tornava mais urgente a cada hora e em qualquer parte do mundo.

Para mais informações sobre esta iniciativa a nível mundial, consulte a página na internet www.wwf.pt

 

O Município de Santarém convida a população a juntar-se a esta causa, apagando as luzes das suas casas e estabelecimentos, entre as 20h30 e as 21h30, de dia 19 de março.

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:31
link do post | comentar | favorito

TAGUS e Autarquia de Constância apelam para a existência de mais e maior diversidade de oferta de pratos dos rios

1.jpg

A TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior e o Município de Constância realizaram um evento para valorizar a gastronomia local, na passada sexta-feira. Incentivar mais restaurantes da região a servirem e disporem de maior variedade de pratos de peixe dos rios são os objetivos da Autarquia Constanciense e da TAGUS com este tipo de iniciativas.

Duas dezenas de participantes puderam conhecer as espécies, não só num aquário, como no prato, que se podem encontrar nos rios Tejo e Zêzere, no evento Merendas com Personalidade, de dia 26 de fevereiro. No local escolhido para receber a iniciativa, o Espaço Zêzere, em Constância, estavam também patentes dois trabalhos multimédia efetuados pelo Museu dos Rios e das Artes Marítimas. Um sobre a cultura avieira na Vila Poema e outro sobre Sérgio Silva, barqueiro, pescador e calafate de Constância. Além de alguns utensílios para pesca.

Lampreias, lúcios, pimpões, caranguejos, bogas, barbos, fataças e até solhas percorrem os nossos rios, tornando-os autênticas vias de circulação piscícolas. Para explicar as subidas e descidas dos peixes, esteve presente Sérgio Silva, experiente nas artes piscatórias desde os 7 anos de idade.    

Com um cardápio de homenagem ao seu avô, António Rodrigues, reformado militar e que também se chegou a dedicar à preparação de petiscos num snack-bar, deliciou os presentes com “Lampreia à Bordalesa”, “Suor de Barbo”, “Fritada mista de escabeche”, “Sopas de pão com aroma de bord’água” e fataça frita.

No final do evento, a presidente da Câmara Municipal de Constância, Júlia Amorim, dirigiu ainda umas palavras aos participantes no sentido de apelar aos restaurantes da região para valorizarem e investirem em petiscos e pratos à base de peixes dos rios, pois têm procura como comprovou a iniciativa dinamizada e que esgotou as inscrições. A autarca aproveitou, ainda, para agradecer o contributo das “personalidades”, fundamental para o sucesso desta ação.   

Merendas com Personalidade é uma iniciativa da TAGUS que tem por objetivo valorizar e incentivar ao consumo dos produtos e da gastronomia de Abrantes, Constância e Sardoal, convidando personalidades ligadas ao Ribatejo Interior ou às tradições da região para confecionar um petisco. E promete voltar num dos seus espaços de promoção e comercialização de produtos locais em breve.

2.jpg

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:26
link do post | comentar | favorito

“Março, mês do Sável” – Iguaria gastronómica ribeirinha à mesa do Concelho de Vila Franca de Xira

3.png

O sável frito, com açorda das suas ovas é a receita singular, de características e sabor únicos que a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira pretende preservar e promover no mês de março que se avizinha.

Com origem na comunidade Avieira da beira-rio é o prato principal em 26 restaurantes que, em parceria com o Município, dão o melhor de si para bem receber e bem servir.

O peixe, que nesta altura do ano faz a desova no Tejo, é cortado em finas postas e temperado com alguns segredos. Depois, é cuidadosamente frito e acompanhado de uma saborosa açorda de ovas. A combinação de sabores resulta em algo de único e inesquecível, conquistando cada vez mais adeptos.

Esta será a primeira edição da campanha já com a marca registada “Março, mês do Sável” para o Concelho de Vila Franca de Xira. Para além de apreciar a iguaria, será possível ter outras boas experiências no território, mediante parcerias estabelecidas com outros agentes turísticos: com a apresentação da fatura do restaurante é possível usufruir de descontos em estadias em unidades hoteleiras, na degustação de doces tradicionais, em aulas de equitação, em visitas ao EVOA (Espaço de Visitação e Observação de Aves, em plena Lezíria) e participar em provas de vinhos.



publicado por Noticias do Ribatejo às 11:27
link do post | comentar | favorito

Dança // A Festa (da Insignificância), da Companhia Paulo Ribeiro dia 5 de março no Teatro Virgínia

1.jpg

A Companhia Paulo Ribeiro comemora 20 anos e para celebrar a data o coreógrafo apresenta o espetáculo A Festa (da Insignificância), que passará pelo Teatro Virgínia, em Torres Novas, no próximo sábado, 5 de março, pelas 21h30.

«Há neste percurso um movimento perpétuo de ex­ploração de espaço, ideias, conceitos, dúvidas, encontros, desencontros, sur­presas, enfim, uma coreografia que soma todas as outras num espaço aberto delimitado apenas pela interioridade. Um mergulho no mais profundo de si próprio com a vontade de encontrar o que de melhor se pode oferecer a quem decide partilhar esta aventura connosco. Como diz Bergman, sem um tu não pode haver um eu. É esta a beleza de todas as relações, muito especialmente a da relação entre autor e público.», refere Paulo Ribeiro. «E é esta a minha festa. Quero festejar para dar corpo às motivações interiores e secretas. Dar corpo à utopia, à expectativa, à vontade de criar uma plataforma de entendimentos e cumplicidades. E isso não se limita ao espaço circunscrito do palco. Estende-se a todos os que estão presentes, sejam eles passivos ou ativos. Porque a festa é a todas as dimensões...», destaca. 

Natural de Lisboa, foi em várias companhias belgas e francesas que Paulo Ribeiro fez carreira como bailarino, até que os seus passos o conduziram à criação coreográfica. Estreou-se enquanto coreógrafo em 1984, em Paris e nunca mais parou. Entre vários reconhecimentos nacionais e internacionais, Paulo Ribeiro dirigiu o Ballet Gulbenkian e é atualmente diretor-geral e de programação do Teatro Viriato, em Viseu. Colaborou com a Escola Superior de Dança e com o Conservatório Nacional de Dança, coreografou para o cinema e para várias companhias de dança em Portugal e além fronteiras. Fundou, ainda, o Lugar Presente, projeto pedagógico da Companhia de Dança que leva o seu nome e celebrou em 2015, 20 anos de existência.

Os bilhetes para este espetáculo têm um custo de 7,5€ (com descontos aplicáveis) e podem ser adquiridos na bilheteira do Teatro Virgínia ou online em http://bol.pt/Comprar/Bilhetes/32415-a_festa_da_insignificancia-teatro_virginia/

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 11:24
link do post | comentar | favorito

CD Torres Novas/OAB

Sem Título.png

Campeonato Distrital de Sub-12 Masculinos - Grupo A Clube Náutico de Abrantes, 70 - CD Torres Novas/OAB, 52

Ainda não foi desta, que os amarelinhos levaram de vencida os náuticos abrantinos. O ataque até parece que vai funcionando, mas a defesa ainda vai ter de ser melhor afinada.

Convívio Sábado Há Minis

Mais uma jornada de alegria para os nossos Minis no Palácio dos Desportos, que jogaram com equipas de Rio Maior, Tomar e Santarém. Pelo entusiasmo que evidenciavam no final da manhã, deve ter sido muito divertido.

Taça Nacional de Sub-18 Masculinos CD Torres Novas/OAB, 60 - SIR Os Pimpões, 53 Estoril Basket Clube, 71 - CD Torres Novas/OAB, 29

Quatro jogos realizados, duas vitórias. Parabéns aos resilientes, que continuam inconformados, a lutar pelo resultado em cada jogo.

Campeonato Regional de Sub-16 Masculinos AMCR Cartaria, 74 – CD Torres Novas/OAB, 75

Quando se tem o pássaro na mão e por pouco o deixamos voar, bem que podia ser esse o título deste jogo, onde os torrejanos não tiveram uma boa prestação defensiva.

Sem Título.png

 «De: Carlos Ventura Marques»



publicado por Noticias do Ribatejo às 10:10
link do post | comentar | favorito

Carregueira dignifica Combatentes

1.jpg

O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, deslocou-se à freguesia de Carregueira a convite do Presidente da Junta de Freguesia, Joel Nunes Marques para inaugurar o Padrão aos Combatentes no dia 27 de fevereiro.

A cerimónia teve início com a apresentação da força pelo seu comandante 1º Sargento Fábio Gamboa, seguiu-se o descerramento da placa inaugurativa pelo Secretário de Estado da Defesa Nacional, Presidente da Junta e de Freguesia e Presidente da Liga dos combatentes.

A Bênção do Padrão foi realizada pelo Senhor Capelão do Regimento de Engenharia 1, Reverendo Padre José Costa ao que se seguiram as intervenções do Presidente da Junta de freguesia, Joel Nunes Marques, do Sargento-Chefe Carlos Pombo; Presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes, do Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues; Presidente da Direção Central da Liga dos Combatentes, de Paulo Queimado, Presidente da Câmara Municipal de Chamusca e de Marcos Perestrello; Secretário de Estado da Defesa Nacional.

Foi realizada a homenagem militar e deposição de flores e um minuto de silêncio em honra dos que ergueram a bandeira da pátria, a cerimónia oficial encerrou após uma prece do capelão José Costa.

Lista de Presentes

  • Combatentes da Freguesia
  • Cidadãos da freguesia
  • Marcos Perestello, Secretário de Estado da Defesa Nacional
  • Paulo Queimado, Presidente da Câmara Municipal da Chamusca
  • Elisabete Albuquerque, Presidente da Assembleia de Freguesia da Carregueira
  • Deputados da Assembleia da Republica (António Gameiro, Hugo Costa, Teresa Fonseca)
  • Tenente General Chito Rodrigues, Presidente da Liga dos Combatentes,
  • Major General Luis Nunes da Fonseca, Comandante da Brigada Mecanizada
  • Coronel tirocinado Pedro da Fonseca Lopes, 2º Comandante da Brigada de Reação Rápida
  • Sargento Ricardo Ramos, Comandante do Posto Territorial da GNR na Chamusca,
  • Rui Saramago Comandante dos Bombeiros Voluntários da Chamusca,
  • Fernando Freire, Presidente da Câmara Municipal da Barquinha
  • Cláudia Moreira, Vice-presidente da Câmara Municipal da Chamusca
  • Vereadores da Câmara Municipal da Chamusca,
  • Presidentes de Juntas e uniões de Freguesia,
  • Deputados à Assembleia Municipal da Chamusca,
  • Membros da Assembleia de Freguesia da Carregueira,
  • Presidentes de Núcleo da Liga dos Combatentes de Santarém, do Entroncamento, de Abrantes, de Vila Franca de Xira e de Rio Maior
  • Presidentes e Representantes de Associações locais, 

 Discurso do Presidente da Junta de Freguesia de Carregueira

Inauguração do Padrão ao Combatente

Carregueira, 27 de Fevereiro de 2016

Ex.mo Sr. Marcos Perestello, Secretário de Estado da Defesa Nacional

Ex.mo Sr. Paulo Queimado, Presidente da Câmara Municipal da Chamusca

Ex.ma Sra. Elisabete Albuquerque, Presidente da Assembleia de Freguesia da Carregueira

Exs. mos Srs. Deputados da Assembleia da Republica

Ex.mo Sr. Tenente General Chito Rodrigues, Presidente da Liga dos Combatentes,

Ex.mo Sr. Major General Luis Nunes da Fonseca, Comandante da Brigada Mecanizada

Ex.mo Sr. Coronel tirocinado Pedro da Fonseca Lopes, 2º Comandante da Brigada de Reação Rápida

Ex.mo Sr. Sargento Ricardo Ramos, Comandante do Posto Territorial da GNR na Chamusca,

Ex.mo Sr. Rui Saramago Comandante dos Bombeiros Voluntários da Chamusca,

Ex.mo Sr. Fernando Freire, Presidente da Câmara Municipal da Barquinha

Ex.ma Sra. Cláudia Moreira, Vice-presidente da Câmara Municipal da Chamusca

Ex.mos Sr. Vereadores da Câmara Municipal da Chamusca,

Ex.mos Srs. Presidentes de juntas e uniões de Freguesia,

Ex.mos Srs. Deputados à Assembleia Municipal da Chamusca,

Ex.mos Srs. Membros da Assembleia de Freguesia da Carregueira,

Ex.mos Srs. Presidentes de Núcleo da Liga dos Combatentes de Santarém, do Entroncamento, de Abrantes, de Vila Franca de Xira e de Rio Maior

Ex.mos Presidentes e Representantes de associações locais,

Digníssimos convidados,

Minhas Senhoras e meus Senhores,

Permita-me Vossa Excelência o Secretário de Estado da Defesa Nacional que na pessoa do Sr. Tenente General Chito Rodrigues, inicie esta intervenção saudando e enaltecendo com toda a reverência os heroicos Combatentes aqui presentes.

Permita-me igualmente que em nome da população da Freguesia da Carregueira e dos seus Combatentes por Portugal lhe agradeça a sua mui nobre presença.

A sua presença é um testemunho claro do valor e da importância intrínseca que o atual governo de Portugal pretende dar ao interior do País e ao trabalho desenvolvido pelas autarquias locais.

Ex.mo Sr. Presidente da Câmara Municipal da Chamusca, não poderei deixar passar em branco o reconhecimento a V.Ex.ª pelo apoio, pelo encorajamento e pela parceria incondicional, ao longo deste mandato e em particular na realização do momento que estamos hoje a presenciar.

Ex.mos Srs. Deputados da Nação, muito nos honra a Vossa presença, presença essa que só prova que as palavras dos programas eleitorais não foram vãs e que primam por manter contacto com a população e com as entidades do Distrito pelo qual foram eleitos.

Ex.mo Sr. Comandante da Brigada Mecanizada e Ex.mo Sr. 2º Comandante da Brigada de Reação Rápida,

O ADN dos habitantes da Carregueira e do Arripiado está claramente identificado com a vida militar, por um lado a proximidade com o campo militar de santa Margarida e por outro o facto da zona de lançamento, vulgo campo dos para-quedistas estar sediado no nosso território.

Estes fatores têm dotado a população da Freguesia de um interesse e reconhecimento elevado pelo trabalho desenvolvido por estas duas Brigadas, agradeço assim a Vossa honrosa presença.

Minhas Senhoras e meus Senhores,

Reunimo-nos aqui hoje para lembrar todos aqueles que combateram em nome de Portugal.

Reunimo-nos para reconhecer e prestar a devida homenagem a quem com o sacrifício da sua própria vida, foi fundamental num dos momentos mais difíceis da nossa história, garantindo a perenidade da nossa identidade nacional.

Reunimo-nos para eternizarmos na Freguesia da Carregueira, a coragem, o sofrimento, a saudade e o heroísmo do Combatente.

Citando Miguel Torga: “Cada época é definida pelo que apresenta de novo, de especificamente seu.”

O Padrão aos Combatentes que acabamos de descerrar, pode não ser uma obra de arte requintada desenvolvida por um Mestre de escultura, porque não o é.

Os condicionalismos financeiros que as juntas de freguesia atravessam não lhes permite recorrer ao mais fácil e serem amolecidas pelo consumo.

O condicionalismo financeiro, permitiu que este Padrão tivesse hoje uma história que representa as mais belas manifestações humanas, numa conceção inteiramente inédita, original e inconcebível noutro tempo da história.

Humildemente e sem qualquer tipo de pudor vos digo que este Padrão nasceu na secretária de um presidente de junta que como tantos outros se vê obrigado a acumular as funções de autarca com as de arquiteto, mestre-de-obras, contabilista, técnico do ambiente, psicólogo entre muitas outras, para além claro, da sua atividade profissional.

Não seria hoje coerente com a minha forma de ser e estar na vida, se não reconhece-se publicamente o esforço, o sentido de responsabilidade e de missão dos funcionários da autarquia que estiveram intimamente ligados à construção com as suas próprias mãos deste Padrão.

Agradeço igualmente a confiança depositada pelo Presidente do Núcleo dos Combatentes de Santarém, Carlos Pombo, pois foi incansável no apoio, na disponibilidade e na motivação para que a edificação deste Padrão fosse uma realidade.

Minhas senhoras e meus senhores,

O que somos hoje enquanto Nação e enquanto País dependeu em larga medida do contributo dos Combatentes. É premente lembrar que as Forças Armadas estão intimamente ligadas à existência do Portugal Livre e democrático nascido do 25 de Abril.

No corrente ano comemoram-se 40 anos do poder local, foi a revolução de abril que permitiu a Portugal integrar este movimento de descentralização, pois, como é sabido, o poder local é, antes de mais, um resultado feliz da democracia.

É o poder local principalmente no interior do País que tem o papel e a responsabilidade do desenvolvimento com práticas de políticas ativas, na valorização do seu património natural e construído por um lado, e por outro na defesa intransigente das suas populações e da sua memória coletiva.

Heroicos Combatentes,

A oportunidade que tenho hoje de me dirigir a vós é seguramente um dos momentos de maior responsabilidade na minha vida de autarca.

De certa maneira, quero aproveitar o momento para dar voz à minha geração que tendo vivido em circunstâncias muito diferentes das vossas, olha-vos com admiração e sobretudo com elevado respeito.

A história de um povo é feita de memórias e de exemplos, desejo que este Padrão permita que a Vossa história passada vos projete no presente e que permaneça no sangue da nossa Nação.

Por motivos óbvios não fui combatente, mas a proximidade territorial com a realidade militar da terra que me viu nascer, por razões familiares, pela minha passagem pela vida militar e fundamentalmente pela honra que tenho em manter laços de amizade com grande parte dos combatentes aqui presentes, posso afirmar que muito tenho aprendido convosco.                                                                                                                  

Aprendi, que os verdadeiros soldados lutam não pelo ódio que está adiante mas porque amam os que deixaram em casa;

Aprendi que as guerras vão e vêm, mas que os soldados são eternos; 

Aprendi que nas provações mais duras se forjam amizades que não distinguem raças, origens ou níveis de instrução;

Aprendi o que é o respeito pelos que foram adversários e antigos inimigos,

Aprendi que quem mais deseja a Paz foi quem já teve de combater.

São estas algumas lições que têm de ser recordadas às novas gerações, mas estes ensinamentos ninguém senão vós os pode transmitir na perfeição. Portugal precisa hoje tanto do Vosso exemplo e presença como no dia em que foram chamados para combate.

Minhas senhoras e meus senhores,

Que saiamos daqui hoje, inspirados no testemunho daqueles que já deram tudo pela Pátria, que mais facilmente encontraremos inspiração para vencer os grandes desafios com que o País se depara.

Que o dia de hoje, fique marcado por um ato que acima de tudo é de reconhecimento para todos os combatentes e para as suas famílias, que recebem uma justíssima homenagem, um tributo ao esforço e ao sacrifício de quem defendeu a Pátria até ao limite da sua própria vida.

Este Padrão aos Combatentes não apaga a dor dos Combatentes e das suas famílias, pois isso é impossível, mas será um permanente reavivar da memória de todos, para que tenhamos consciência da necessidade imperiosa de evitar a guerra.

É essencial que as novas gerações que felizmente têm sido poupadas deste sofrimento percebam a extrema necessidade de se investir na Paz.

Que este Padrão aos Combatentes erguido na Freguesia da Carregueira prossiga o propósito de homenagear e imortalizar os combatentes deste País e em particular as duas centenas de Combatentes da Carregueira e do Arripiado,

porque,

Se ergueram a bandeira da Pátria, que a Pátria os Honre.

2.jpg

3.jpg

 

 

 

 

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:35
link do post | comentar | favorito

A CONVITE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OURÉM E DA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE OURÉM-FÁTIMA, O MUNICÍPIO DE BRAGA MARCOU PRESENÇA NO IV WORKSHOP INTERNACIONAL DE TURISMO RELIGIOSO, QUE SE REALIZOU EM FÁTIMA

António-Barroso-e-Paulo-Fonseca.jpg

O workshop teve como principais objetivos a promoção de uma bolsa de contactos de negócio entre os participantes, a divulgação internacional de Portugal enquanto destino privilegiado de Turismo Religioso, a potenciação da importância do Turismo Religioso no contexto do setor turístico mundial e a reflexão sobre as novas tendências para melhor atrair turistas.

António Barroso, em representação do Município Bracarense, sublinhou o facto de existir um potencial enorme nos roteiros internacionais do turismo religioso “onde Braga tem que reforçar a sua notoriedade.” Esta ação deveu-se “a um trabalho que temos vindo a executar com responsáveis de Fátima para que Braga e Fátima se afirmem como destinos complementares. Aqui há um papel preponderante que cabe também aos nossos agentes privados e à Arquidiocese para articularmos a nossa oferta para conseguirmos através deste género de turismo combatermos a sazonalidade e incrementarmos cada vez mais a nossa relevância nos circuitos turísticos internacionais”, acrescentou.


António Barroso oferece um farricoco de Braga Paulo Fonseca, presidente da Câmara Municipal de Ourém.

Apesar de, relativamente ao ano transato, já serem evidentes novas operações turísticas em Braga, segundo António Barroso, ainda existe muito mercado turístico a conquistar, nomeadamente no circuito do turismo religioso. “O facto de estarmos estrategicamente no meio do percurso entre Fátima e Santiago de Compostela, e vice-versa, tem que ser constantemente promovido e divulgado para que se consiga atrair e cativar todo o fluxo turístico e de peregrinação que estes dois grandes centros religiosos têm”, afirmou.

No espaço promocional de Braga estava em destaque a Semana Santa, o São João, a Sé Catedral, a mais antiga de Portugal, os Caminhos de Santiago, a cruz da primeira missa realizada no Brasil que se encontra no tesouro-museu da Sé, o Bom Jesus, o Mosteiro de Tibães e o segundo maior santuário mariano nacional depois de Fátima, o do Sameiro.

Também durante o fim de semana e o dia de amanhã, os operadores estrangeiros inscritos no IV Workshop Internacional de Turismo Religioso fazem uma visita a Braga, onde terão oportunidade de ver e sentir ‘in loco’ as riquezas turísticas, a localização e acessibilidades, o atraente comércio e o acolhimento que os Bracarenses proporcionam.

Para António Barroso, estas ações inserem-se na estratégia do Município de estimular e desenvolver a economia do Concelho através do turismo. “A nossa afirmação internacional e o estabelecimento de parcerias com parceiros estratégicos são fundamentais para fortalecer a nossa atratividade a todos os níveis”, salientou.

Este evento contou com mais de 500 participantes, com destaque para os operadores turísticos provenientes de mercados como: Brasil, Espanha, França, Irlanda, Itália, Polónia, Alemanha, Coreia do Sul, Indonésia, Israel, Filipinas, Colômbia, Canadá, Estados Unidos da América, Uruguai, Bolívia, Vietname, Argentina, Bélgica, Senegal, República Checa, Índia e Hungria, entre outros.

«GR»



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:29
link do post | comentar | favorito

Domingo, 28 de Fevereiro de 2016
TEMAS DE SAÚDE: Implicações no tratamento e recuperação das lesões desportivas

ANTONIETA.jpg

 Por: Antonieta Dias (*)

 

A presença de estados emocionais adversos, para além de ter influências negativas no bem-estar do atleta lesionado, pode prejudicar consideravelmente a recuperação  da lesão desportiva afetando sobretudo a aderência do atleta às tarefas de reabilitação.

Tendo em conta que, de um modo geral, as tarefas de reabilitação exigem do atleta uma elevada motivação em relação às próprias tarefas, grande autodisciplina, dedicação, esforço, tolerância à dor, etc., parece lógico que os atletas com emoções adversas (v.g.depressão) tenham dificuldades em cumprir todas as exigências do processo de reabilitação.

Por outro lado, a presença de equilíbrio emocional e de uma atitude positiva caraterizada pela ausência de emoções adversas, encontram-se associadas a uma boa reabilitação (v.g. Levleva e Orlick, 1991); Wiese et al, 1991). Neste sentido, é extremamente importante conhecer as reações emocionais dos atletas face à lesão, de modo a implementar as estratégias mais adequadas a cada caso concreto para diminuir e/ou eliminar os estados emocionais adversos facilitando a recuperação.

Por tudo isto, a recuperação psicológica dos atletas lesionados assume uma importância crescente e fundamental no contexto desportivo.

No trabalho de recuperação da lesão, é fundamental a avaliação de determinadas variáveis extremamente importantes no processo. Para além da avaliação da lesão, do seu impacto emocional e da dor associada, no período pós lesão é importante avaliar também variáveis como a adaptação e aderência ao programa  de reabilitação, progresso terapêutico, certas variáveis desportivas e a tendência do atleta para o evitamento ou “fuga”.

A aderência ao processo de reabilitação é fundamental para o sucesso de todo o processo. De acordo com Duda, Smart e Tappe (1989), é importante analisar aspetos como a assistência a assiduidade às sessões da reabilitação, cumprimento das tarefas prescritas e o esforço realizado em cada uma delas.

Ainda segundo estes autores, determinadas variáveis como a motivação interna para a atividade desportiva, as próprias tarefas de reabilitação, a crença na eficácia do tratamento  e a perceção do apoio social por parte da fisioterapêutica, parecem estar relacionadas com a aderência do atleta à reabilitação.

A avaliação do processo terapêutico é algo que deve ser realizado permanentemente estabelecendo-se uma interação contínua entre a avaliação e a intervenção no processo de reabilitação de uma lesão. A avaliação não só indica o caminho a seguir pelo tratamento, como muitas vezes tem funções terapêuticas proporcionando mudanças relevantes que facilitam a atuação das estratégias de intervenção (Buceta, 1996).

Weinber e Goul (1995) baseados na investigação já realizada, salientam que uma recuperação completa exige um trabalho simultâneo ao nível dos aspetos físicos e psicológicos associados à lesão. Os autores chamam a atenção para a importância dos aspetos psicológicos na recuperação e avanção com alguns procedimentos e técnicas psicológicas facilitadoras do processo de reabilitação, salientando-se as seguintes:

  1. a) estabelecimento de uma relação interpessoal “privilegiada” como atleta, procurando compreender a lesão segundo o seu ponto de vista, fornecendo-lhe apoio emocional mas sendo realista e otimista ao mesmo tempo;
  2. b) formação e educação do atleta acerca da lesão e do processo de recuperação:
  3. c) ensino e treino de competências psicológicas para lidar com a situação;
  4. d) preparação psicológica para lidar com atrasos na recuperação ou outros fatores imprevisíveis recaídas;
  5. e) promoção de “esquemas” de apoio social no atleta.

Diversos estudos e investigações têm documentado a importância dos fatores psicológicos na recuperação de lesões assim como a influência de várias competências e estratégias psicológicas na maior rapidez de todo o processo de reabilitação do atleta lesionado.

Levleva e Orlick (1991)num estudo realizado chegaram à conclusão que os atletas lesionados que recuperaram mais rapidamente, eram aqueles que mais frequentemente punham em prática determinadas competências psicológicas, como formulação de objetivos, discurso interno positivo, visualização mental. Manifestam menos preocupações em relação á lesão comparativamente aos atletas que recuperaram mais lentamente.

No âmbito da investigação nacional, um estudo realizado por Neta e Cruz (1996) com atletas lesionados do futebol profissional evidenciou não só a importância  dos processos mantais e psicológicos na recuperação de lesões desportivas, mas também a importância de apoio social, psicológico e emocional aos atletas lesionados. O mesmo estudo parece indicar uma relação entre os vários fatores psicológicos e o processo de uma rápida recuperação  de lesões desportivas.

Os resultados obtidos evidenciaram associações significativas negativas, entres a perceção de confiança na recuperação e as perceções de stress e de intensidade da dor, assim como entre esta e a perceção de rapidez de recuperação. Ao mesmo tempo, foram evidentes as correlações e associações significativas entre as variáveis psicológicas relativas às lesões sofridas e os estados de humor experienciados pelos atletas lesionados.

Dado o importante papel dos processos psicológicos nas lesões desportivas e concretamente a influência que assumem na recuperação destes acontecimentos traumáticos, Cruz e Antonieta Dias (1996) sugerem que a intervenção do psicólogo neste contexto deve ser conceptualizada em torno de quatro pontos principais: a) análise dos comportamentos dos atletas perante as lesões e os seus recursos de confronto para lidar com a situação, b)ensino e treino de estratégias psicológicas com o objetivo de controlar o stress associado às lesões, c)formação e sensibilização de todos aqueles que lidam com o atleta acerca dos comportamentos que podem ter para auxiliar na recuperação, d) cooperar com todos os elementos da equipa médica no sentido de permitir uma comunicação permanente e clara sobre a evolução da recuperação do atleta lesionado.

Na opinião de Buceta (1996), a intervenção psicológica após uma lesão deverá ter quatro objetivos fundamentais:

  1. a) contribuir para o melhoramento do bem-estar e funcionamento psicológico do atleta;
  2. b) promover a eficácia da reabilitação;
  3. c) ajudar os atletas no regresso à atividade desportiva;
  4. d) prevenir e evitar recaídas ou novas lesões.

Cada vez mais, a recuperação psicológica de atletas lesionados assume uma importância crescente nos contextos desportivos e como salientam Weinberg e Gould (1995) “para que a recuperação seja completa, têm de ser considerados tanto os  aspetos físicos como psicológicos associados á reabilitação da lesão “ (p.407). Neste sentido, sempre que uma lesão for diagnosticada é necessário desenvolver de imediato um plano fisioterapêutico e mental para uma recuperação ótima ao mesmo tempo que se desenvolvem as estratégias de recuperação.

(*) Doutorada em medicina



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:55
link do post | comentar | favorito

Tinham ‘técnico’ para explodir

Polícia Judiciária detém cinco homens na região de Santarém e apreende sete armas e “centenas de munições”

800 (1).gif

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta sexta-feira, que desmantelou um grupo de cinco homens suspeito de assaltar caixas multibanco com explosões de gás em Alcanena, Santarém e Torres Novas, tendo apreendido sete armas e “centenas de munições”.

Em comunicado citado pela Lusa, a PJ informou que, no âmbito de um inquérito do Departamento de Investigação e Ação Penal de Santarém, a Diretoria do Centro daquela polícia identificou e deteve os presumíveis autores de vários assaltos a caixas multibanco ocorridos entre setembro e finais de dezembro de 2015, nas localidades de Alcanena, Casével, Santarém, Verdelho, Alcorochel e Torres Novas.

“Numa madrugada do passado mês de dezembro, quando se preparavam para fazer explodir mais uma caixa ATM, instalada junto de uma casa habitada, numa localidade próxima de Santarém”, a PJ conseguiu “evitar a explosão e deter um dos assaltantes, que, sujeito a primeiro interrogatório judicial, ficou em prisão preventiva”, refere o comunicado.

Outros dois suspeitos, entretanto também sujeitos a prisão preventiva, foram detidos alguns dias depois, tendo a PJ realizado uma “vasta operação policial na zona de Torres Novas e do Entroncamento” na madrugada da passada quarta-feira, para "o completo desmantelamento deste grupo criminoso”.

Essa operação, realizada com o apoio da PSP de Tomar e do Entroncamento, “permitiu reforçar os elementos probatórios já existentes, nomeadamente apreender sete armas de fogo e centenas de munições, bem como proceder à detenção de mais dois elementos do grupo que, interrogados judicialmente, ficaram também sujeitos a prisão preventiva”, acrescentou a PJ.

Os cinco suspeitos têm idades compreendidas entre os 28 e os 35 anos e alguns deles têm já antecedentes criminais por crimes da mesma natureza, segundo a PJ.

«TVI»



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:49
link do post | comentar | favorito

CONTO DA SEMANA: "Caminhos"

CATARINABETES.png

Por: Catarina Betes

 

Olho uma vez mais para o relógio. Começo a sentir-me inquieto, cansado desta espera monótona, receoso pelo que vou ouvir. É a segunda vez em três semanas que sou chamado à escola do meu filho mais novo e por alguma razão sinto-me ansioso.

Entro finalmente, num espaço que não me é desconhecido. Aperto a mão do director e pouco tempo depois tu chegas, vermelho como um tomate, mochila pendurada no ombro direito. Olhas para mim com relutância e sentas-te. Por um motivo que desconheço sinto um misto de compaixão e ternura por este filho, que, feliz ou infelizmente, se parece tanto, com o adolescente problemático que eu próprio fui.

A reunião é breve. Mais uma vez infringiste as regras do colégio, encontraram-te a fumar droga nas traseiras do ginásio.

Não me consegues olhar nos olhos. Acredito que não o faças por medo, mas por vergonha e eu que conheço a natureza da tua alma rebelde, não consigo ficar mais zangado contigo, do que comigo mesmo.

Saímos e decido não irmos diretamente para casa. Conduzo até um parque, numa zona calma da cidade. Paro o carro e ordeno-te que saias. Avanço para um banco de jardim e sento-me a olhar o vazio. Sentas-te a meu lado.

- Desculpa. – oiço.

Não digo nada. Permaneço a olhar o vazio, enquanto penso no que devo dizer. A tua mãe saberia.

 - Desculpa, pai.

Olho para ti numa tentativa desesperada de ler o que te vai na alma. Olho para os teus olhos profundos e receio que sejas tu, a ler a minha. O meu amor por ti revela-se tão grande, tão transformador, que deita por terra, qualquer sombra de agressividade do meu peito.

Abraço-te com todas as minhas forças. Abraço-te como gostava que um dia, o meu pai, me tivesse abraçado. Abraço-te para que sintas o quanto te amo e de alguma forma acredito que se perceberes a dimensão do meu amor por ti, o mesmo terá a capacidade de te ajudar a encontrar o teu próprio caminho.

Ficas inicialmente perplexo com a minha atitude. Eu próprio estou. Mas poucos segundos depois correspondes ao meu abraço, choras como nem na despedida da tua mãe te vi chorar e sinto que voltas, embora devagar, para mim…

Pedes desculpa duas vezes mais e eu respondo apenas que está tudo bem. Sinto que estás assustado. Assustado por ver o teu pai chorar.

Talvez se no passado eu tivesse, nem que apenas uma vez, vislumbrado uma sombra de emoção no olhar cortante e frio do teu avô, o meu caminho tivesse sido mais fácil, menos tortuoso. Mas cheguei até aqui.

Sou teu pai e não desisto de ti.

Separamo-nos e ficamos durante algum tempo mais a olhar o infinito. Pouso a mão no teu ombro e tu sorris-me.

Sinto que cheguei até ti, da forma mais imprevisível do mundo e pela primeira vez em muitos meses, o meu coração aquieta-se.

Catarina Betes, “O Amor é breve”



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Partir dói, não é?

Ana Fonseca da Luz.jpg

Por: Ana Fonseca da Luz

 

Sempre soubemos, tu e eu, que um dia haverias de  partir.

Ambos sabíamos, que ninguém é de ninguém.

E ambos tínhamos fé, que apesar de tudo, as coisas fossem para sempre.

Mas eu sabia que um dia, haverias de partir.

Tinhas-mo dito, uma noite, antes de adormeceres, antes de naufragares no meu corpo, antes de me inundares de ti e antes da noite se esconder, mais uma vez.

E eu fiquei, em silêncio, com as estrelas a poisarem-me nos olhos e a transformarem-se em lágrimas, ainda doces dos teus beijos, a tentar dormir e a não conseguir, porque a tua voz de despedida continuava dentro do meu peito, tão triste.

A noite correu mansa e lenta e enquanto tu dormias embalado por sonhos e viagens mirabolantes, eu consumia-me numa solidão tão grande e tão sofrida, que me tolhia o coração e até estes braços que tantas vezes te abraçaram, nem limites…

3fee3a7bdec8e07c6f6524668db046af.jpg

Partir é quase sempre dor, não é?

E ali fiquei, contigo nos braços, antevendo a noite em que não ias voltar e já com a minha boca, naufraga, dos teus beijos.

E o sono veio, cansado de mim e eu entreguei-me a ele em sobressalto, esperando que a manhã não chegasse.

Mas chegou!

E na cama onde tantas vezes fomos um, o meu corpo era um barco à deriva, sozinho naquele mar, que já não era o meu.

Mas uma mulher não cruza os braços e não desiste só porque as coisas não são para sempre.

Uma mulher acorda e é outra vez valente.

E põe um sorriso e abraça os filhos.

E vai trabalhar e ri, com o coração em farrapos.

E volta para casa e é mãe, e pai, e é GRANDE!

E chora

E reza.

E espera…

Foi o que fiz.

Esperei…

E tu voltaste uma e outra vez e mais outras tantas vezes, mas já os teus olhos não estavam comigo, apesar desse amor, ou o que quer que lhe queiras chamar…

E eu sorria.

E era amiga.

Amante.

Mulher…

Continuas a mergulhar em mim e eu a ser o teu mar.

Mas, sei que uma noite destas vai ser a última e que mesmo assim, apesar deste coração não saber como vai sobreviver, te hei de
amar, para que quando partires, o meu gosto te acompanhe, e os meus olhos, para sempre, durmam dentro dos teus…

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

POESIA: VOU VESTIR-ME DE CHUVA

ALEXANDRA.jpg

 Por: Maria da Encarnação Alexandre


Vou vestir-me de chuva
Dessa chuva
Que cai do céu cinzento
Em delicados fios de cristal…
Enfeito os meus cabelos negros
Com madeixas de prata
Feitas da neblina 
Que cai sobre o vale
E que reluz
Ao mais leve toque do sol
Com as gotas do orvalho
Farei um colar
Dos mais belos brilhantes

Que a Natureza dá…
Enfiá-los-ei
Em finos fios
Da mais pura seda…
Nos meus dedos
Colocarei anéis 
Feitos com pedras de granizo
Preciosas…e coloridas
Pelas cores do arco íris…
Dos brancos flocos de neve
Farei uma passadeira
Macia e aveludada…
Nas ondas do mar

Sem Título.png

Farei um leito de amor

Com lençóis feitos de espuma
E na areia fina
Deixarei as marcas 
Da minha fantasia…
Sairei então ao teu encontro
Levada
Nas asas do vento sul
Iluminando o meu caminho
O luar…
Da misteriosa lua cheia…
Se não te encontrar
Ofereço os meus beijos
Às estrelas cintilantes…
Elas…como eu
Sabem o que é estar só…

 «Imagem de draikaner.wordpress.com»



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:50
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 27 de Fevereiro de 2016
Moções da CDU Abrantes

A CDU apresentou na passada sexta feira, dia 26 de Fevereiro duas moções na Assembleia Municipal de Abrantes.

 
Uma sobre a abolição de portagens na A23, a qual foi aprovada por unanimidade.
 
A segunda sobre o Rio Tejo, mais concretamente sobre os atentados ambientais nele ocorridos.
Esta segunda moção contou com a seguinte votação:
 
4 votos favoráveis dos eleitos da CDU;
 
4 votos contra de eleitos do PS;
 
Abstenção dos restantes eleitos da bancada do PS;
 
Abstenção do eleito do Bloco de Esquerda;
 
Abstenção dos eleitos do PSD.
 
Com esta votação estávamos perante um empate e importava saber como tinha votado o Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal, António Mor (PS).
 
O Sr. Presidente foi um dos votos contra da bancada do PS, pelo que a Assembleia Municipal de Abrantes rejeitou a Moção apresentada pela CDU em defesa do Rio Tejo.

 

MOÇÃO

Rio Tejo

 

O rio Tejo tem vindo a ser notícia nos últimos meses pelas mais variadas e piores razões.

Temos vindo a assistir a continuadas descargas de poluentes no Rio Tejo, tornando as suas águas escuras, com um aspecto repugnante e, por vezes, exalando um forte odor fétido. O dedo tem sido apontado a algumas unidades fabris, nomeadamente a algumas situadas no concelho de Vila Velha de Ródão. Muitas têm sido as imagens e vídeos partilhados na imprensa e nas redes sociais, denunciando estes graves atentados ao meio ambiente.

Depois, foi a reparação do travessão pela Central termelétrica do Pego – PEGOP, entre Mouriscas e o Pego que foi licenciada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e cujas condições de licenciamento não foram cumpridas pelo dono da obra, ultrapassando claramente a sua volumetria e dimensão, pondo em causa o equilíbrio ambiental do rio.

Igualmente preocupante são os caudais anormalmente baixos que o rio apresenta. Em alguns troços e em determinados períodos do ano, o rio mais parece um pequeno ribeiro dado o volume de água que por ali passa com as consequências que isso acarreta, como é exemplo o grau de salinização que as águas apresentam a partir de Santarém, fruto da entrada do mar rio acima.

Por fim, mas não menos importante, são as notícias deveras preocupantes sobre eventuais anomalias que se têm verificado na central nuclear de Almaraz, que se encontra junto do rio Tejo e a escassos kms da fronteira portuguesa. A serem confirmadas estas anomalias, a eventual fuga de substâncias radioactivas para o meio ambiente e para o rio, porá em perigo todo o ecossistema bem como as populações, nomeadamente as das comunidades ribeirinhas.

Face ao exposto, a Assembleia Municipal de Abrantes, reunida a 26 de Fevereiro de 2016, vem manifestar o seu repúdio pelos vários atentados ambientais que se têm cometido no rio Tejo e exige ao governo e ao Ministério do Ambiente que tome medidas céleres e efetivas para pôr cobro a esta escalada de degradação do principal rio nacional.

 

MOÇÃO

Abolição das Portagens na A23

 

A não aplicação de portagens nas chamadas SCUT foi sempre justificada com a necessidade de compensar as regiões do interior do país com medidas de discriminação positiva tendo em conta as manifestas assimetrias regionais existentes.

Porém, o princípio do “utilizador-pagador” é hoje aplicado praticamente em todo o país, de forma cega, incluindo nas concessões consideradas SCUT e outras que nunca o foram e que foram sempre consideradas como vias sem portagens. Estão neste caso os troços da A23 entre Videla/Torres Novas e Abrantes Oeste, que nunca estiveram integrados na concessão da Scutvias e cuja manutenção é assegurada diretamente  pela empresa Estradas de Portugal.

Acontece que a introdução de portagens na A23 tem tido consequências profundamente negativas para as populações e para o tecido económico das regiões atingidas. Trata-se de uma dupla discriminação das regiões do interior. Com efeito, essas portagens oneram de uma forma desproporcionada e injusta as populações e as empresas dos distritos de Santarém, Portalegre, Castelo Branco e Guarda. Para além de agravar as dificuldades económicas dos utentes, já duramente afetados por cortes salariais, por situações de desemprego e precariedade e por baixos níveis de rendimentos, esta medida conduz ao agravamento da situação económica de muitas empresas e dificulta em muito a vida de inúmeras pessoas que utilizam esta via para se deslocar diariamente para o trabalho ou para ter acesso aos hospitais que integram o Centro Hospitalar do Médio Tejo

Acresce que não há alternativas à A23. Em diversos troços, a A23 foi construída sobre os anteriores itinerários tornando inevitável a sua utilização. Em outros troços, a não utilização da A23 obriga à circulação pelo interior das localidades. Em outros troços ainda, evitar a A23 obriga a circular em estradas quase intransitáveis. O trajeto entre Torres Novas e a Guarda sem passar pela A23, utilizando a EN 118, o IP2 e a EN 18, obriga a percorrer 231 quilómetros e demora seguramente mais de quatro horas. Pela A23, a distância é de 207 quilómetros e tem uma duração média de 2h10. Não há, como é evidente, nenhuma alternativa viável à A23. A introdução de portagens na A23 representou um retrocesso de décadas nas acessibilidades dos distritos de Santarém, Portalegre, Castelo Branco e Guarda.

Por outro lado, com a aplicação do princípio do «utilizador-pagador», o Governo transferiu o esforço financeiro coletivo e solidário do país para as populações que são obrigadas a custear a utilização desta infraestrutura, estruturante para as respetivas regiões. Desta forma, aumenta o custo por utilização, diminuindo gravemente os índices de eficiência desta via e gerando elevadas perdas de competitividade das empresas e o agravamento da qualidade de vida das populações afetadas.

A introdução de portagens na A23 tem suscitado um generalizado repúdio por parte das populações, autarquias e associações empresariais afetadas.

Face ao exposto a Assembleia Municipal de Abrantes, reunida em 26 de fevereiro de 2016, exige a imediata abolição da cobrança de taxas de portagem em toda a extensão da A23.



publicado por Noticias do Ribatejo às 21:43
link do post | comentar | favorito

Entidades da Economia Social sensibilizadas para Medidas de Autoproteção

No sentido de esclarecer o significado de Medidas de Autoproteção para as entidades da economia social, bem como clarificar determinados procedimentos decorrentes da interpretação legal da atual legislação de SCIE, a NERSANT em conjunto com o Centro Distrital de Segurança Social de Santarém, a UDIPSS - União Distrital das IPSS de Santarém e a UMP - União das Misericórdias Portuguesas encontram-se a organizar em vários pontos do distrito de Santarém, sessões de esclarecimento sobre o tema. 90 participantes de entidades economia social da região estiveram em Torres Novas.

A sessão de esclarecimentos de Torres Novas foi a que contabilizou maior adesão, com cerca de 90 participantes de entidades economia social da região. António Campos, Presidente da Comissão Executiva da NERSANT fez o acolhimento aos participantes, tendo começado por dizer que é importante que o setor da economia social, um dos maiores empregadores do distrito, esteja esclarecido em relação às Medidas de Autoproteção. "Neste momento, em termos de cumprimento das Medidas de Autoproteção nas IPSS, os indicadores mostram que estamos abaixo do distrito de Leiria. Realizámos esta parceria para que haja condições para que daqui a um ano, esta discrepância esteja ultrapassada", disse o responsável da NERSANT.

O Diretor Distrital da Segurança Social de Santarém, Tiago Leite, fez também questão de estar presente no seminário técnico. Afirmou que o que se pretende com esta sessão é "mais do que evitar coimas, salvar vidas" e congratulou-se com o facto deste roadshow estar a ter grande adesão por parte das entidades.  "Mostra a preocupação das pessoas", concluiu o responsável pela Segurança Social, seguindo-se as intervenções técnicas relativas ao SGCIE e Medidas de Autoproteção nas IPSS’s, levadas a cabo por Sónia Gonçalves, do Instituto da Segurança Social, por André Santos, da ANPC e por Telmo Filipe, da empresa Versátil Vantagem.

Durante toda a sessão, as diversas entidades foram colocando as suas dúvidas e questões, aconselhando-se com os responsáveis presentes à melhor forma de atuação no âmbito das medidas de Autoproteção. Estiveram ainda presentes nesta sessão os representantes das entidades promotoras do seminário.

O roadshow regional iniciou dia 17 de fevereiro, em Ferreira do Zêzere, seguindo para Mação, dia 18, e logo de seguida para Ourém, dia 23, e Torres Novas, dia 24. Na próxima semana, realizam-se sessões em Benavente, dia 01 e Santarém, dia 03 (inscrições gratuitas em www.nersant.pt.)

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:04
link do post | comentar | favorito

Campeonato Nacional Jovem – Duatlo das Lezirias

d0ef3608-bdb3-478a-a797-b9e11e34eaed.jpg

“Os Águias” conquistaram 2 medalhas no Duatlo das Lezirias 2016

Decorreu nos passados dias 6 e 7 de Fevereiro, mais um Duatlo das Lezirias, composto pela primeira etapa do Campeonato Nacional Jovem de Duatlo e pela 2ª etapa da taça PorTERRA 
Nestas provas, em que participamos com 11 atletas, destacamos as medalhas alcançadas pela Leonor Esteireiro, que conquistou o 1º lugar em Benjamins Femininas e pela Beatriz Saramagaio, pelo 3ª lugar na prova aberta.

Resultados

Campeonato Nacional Jovem (Dia 6 de Fevereiro)

Benjamins Femininas

- Leonor Esteireiro - 1ª
- Beatriz Rodrigues - 14ª
- Ema Silva - Desistiu

Infantis Femininas
- Margarida Branco – 20ª

Iniciadas Femininas
- Margarida Esteireiro - 9ª

Juvenis Femininas
- Filipa Fitas – 12ª

Juvenis Masculinos
- Manuel Andrade – 14º
- Diogo Mendes – 20º
- Diogo Pereira - 43º

Prova Aberta

Femininas
- Beatriz Saramagaio – 3ª

Classificação da Equipa - 19ª

Taça PorTERRA (Dia 7 de Fevereiro)

Veteranos 1
- Hugo Nalha – 13º

DUATLO DE RIO MAIOR - Campeonato Nacional de Clubes

Foram 3, os atletas do Águias que participaram no Duatlo de Rio Maior: Eduarda Vidigueira, João Lopes e Carlos Branco.

Classificações do Duatlo de Rio Maior

  • Eduarda Vidigueira: 5º lugar Sub23 (1º ano);
  • Carlos Branco: 54º lugar sénior.
  • João Lopes: abandono por lesão.

Campeonato Nacional Jovem – 1º Duatlo do Semideiro

Decorreu no passado dia 21 de Fevereiro, a 2ª etapa do Campeonato Nacional Jovem de Duatlo.
Dos 6 atletas que participaram nas provas, destacamos o primeiro lugar obtido pela Leonor Esteireiro que conquistou o 1º lugar em Benjamins Femininas .

As classificações do nossos atletas foram:

Benjamins Femininas

- Leonor Esteireiro - 1ª
- Beatriz Rodrigues - 14ª

Infantis Femininas

- Margarida Branco – 17ª

Juvenis Masculinos

- Manuel Andrade – 16º

- Diogo Pereira – 26º

- Diogo Mendes – 43º

Classificação da Equipa - 19ª

Próximas Provas

  • Duatlo do Barreiro (Taça PorTERRA)
    • Dia 28 de Feveiro
  • Duatlo do Cadaval (Campeonato Nacional)
    • Dia 6 de Março
  • Triatlo de Vila Real de Santo António
    • dia 12 de Março - Duatlo (Campeonato Nacional Jovem e Prova Aberta)
    • dia 13 de Março - Triatlo (Campeonato Nacional de Clubes)
 

2.jpg

 

Fotos de:
  • Clarisse Henriques - Federação de Triatlo de Portugal
  • Secção de Natação e Triatlo do C.D. "Os Águias" de Alpiarça

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:01
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2016
13.ª edição do Boletim Cultural Cira lançado este sábado, com enfoque na exposição “A Arte no Concelho de Vila Franca de Xira – Grandes Obras”

654a4ec0-f598-48e6-99da-fd2e7af026e1.png

Este sábado, dia 27 de fevereiro, pelas 15h00, é lançado, na sede do Museu Municipal, em Vila Franca de Xira (R. Serpa Pinto, n. 65), o 13.º número do Boletim Cultural Cira, em versão digital. O Cira é um publicação promovida pela Câmara Municipal, com o objetivo de divulgar a história, cultura e património locais.

Este número é dedicado às temáticas desenvolvidas e debatidas no ciclo de conferências integrado na exposição “A Arte no Concelho de Vila Franca de Xira – Grandes Obras”, comissariada pelos Professores José Meco e Vitor Serrão – uma mostra que granjeou da visita de mais de 3.350 pessoas. A edição aborda áreas como a museologia, património, conservação e restauro, entre outras, tendo o seguinte conteúdo:

  1. Património imóvel

- A Talha do século XVII em Portugal: dois casos paradigmáticos do concelho de Vila Franca de Xira, Pedro Vasconcelos Cardoso.

- Pobres frades, ilustres patronos: algumas considerações em torno do convento de Santo António da Castanheira, João Luís Inglês Fontes e Maria Filomena Andrade.

- O Património arquitetónico da Companhia das Lezírias – ensaio de caracterização, Maria João Martinho.

  1. Escultura

- Princípios e normas de conservação e restauro em contexto museológico. Critérios e processos na produção da exposição A Arte no concelho de Vila Franca de Xira – Grandes Obras, Sílvia Cópio.

  1. Salvaguarda de bens patrimoniais

- Conservação e restauro de uma pintura sobre tela: Adoração Eucarística de Bento Coelho da Silveira, João Miguel Salgado.

- A conservação e restauro do conjunto escultórico Lamentação de Cristo Morto, Marta Oliveira.

  1. História local/documentos gráficos

- A importância da divulgação dos bens documentais, Graça Soares Nunes

- O Foral Manuelino de Vila Franca de Xira (1510), Paulo Silva

- Conservação e restauro do pergaminho da Instituição do Morgado da Póvoa de Santa Iria, Ana Catarina Rosa.

  1. Pintura

- A pintura antiga em terras de Vila Franca de Xira: alguns casos de estudo, Vitor Serrão.

- Técnicas e materiais de preparação na pintura portuguesa dos séculos XV e XVI, Vanessa Antunes, Ana I. Seruya, João Coroado, Vitor Serrão. 

O Boletim Cultural Cira, periódico municipal cujo primeiro número remonta a 1985, caracteriza-se pela interdisciplinaridade e procura dar a conhecer ao público em geral, e à comunidade científica, a investigação desenvolvida em torno das temáticas da história e património do concelho de Vila Franca de Xira, promovidas e desenvolvidas por investigadores da autarquia e colaboradores externos.



publicado por Noticias do Ribatejo às 20:17
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Aproveite o que Santarém ...

Temporada da Música

REUNIÃO DESCENTRALIZADA D...

Centro de Estudos em Foto...

73º Aniversário do Concel...

CÂMARA MUNICIPAL DO CARTA...

Embaixador da Moldávia re...

REQUALIFICAÇÃO DA URGÊNCI...

Rede de Municípios para a...

Chamusca a impulsionar re...

Avisan’18 recebe Exposiçõ...

OPINIÃO: Política para a ...

Convento de Cristo recebe...

Concerto da Orquestra da ...

Município de Azambuja vai...

CAMPANHA DE RECOLHA DE BR...

CORTE NO ABASTECIMENTO DE...

CONCERTO PARA OUVIR DE OL...

MUSEU RURAL E DO VINHO CE...

Município do Entroncament...

Ciben 2 e Golf da Madruga...

Município de Azambuja com...

Cadetes de Almeirim inici...

Escritura de constituição...

TRÊS JOVENS APURADOS PARA...

Luís Miguel Ribeiro e Ber...

NERSANT apresenta Vida At...

Dia Mundial da Diabetes

MENDES GONÇALVES CONSIDER...

TEATRO // “Portugal não é...

arquivos

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds