NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Segunda-feira, 26 de Junho de 2017
ESCAROUPIM NO CONCURSO 7 MARAVILHAS DE PORTUGAL – ALDEIAS

unnamed (3)

 

Escolhida entre mais de três centenas e meia de candidaturas, uma delas apresentada pelo Município de Salvaterra de Magos, a aldeia do Escaroupim é pré-finalista do Concurso “7 Maravilhas de Portugal – Aldeias” e agora precisa do apoio de todos para conseguir chegar à final.

A Gala “7 Maravilhas de Portugal” dedicada à categoria Aldeias Ribeirinhas, na qual concorre o Escaroupim, acontece no dia 9 de julho, pelas 21horas, na RTP1.

Nessa ocasião será lançado um contacto telefónico para o qual o público poderá ligar para votar na aldeia do Escaroupim. A votação irá decorrer apenas durante a Gala.

 

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos tem na rua uma campanha promocional de distribuição de postais e de flyers no concelho e concelhos vizinhos, tendo já aproveitado certames como a Bolsa de Turismo de Lisboa, a Feira Nacional de Artesanato e Gastronomia da Marinha Grande, o Tall Ships Festival, que decorreu em Sines e, mais recentemente, a Feira Nacional de Agricultura (Santarém) e o Artes & Sons (Glória do Ribatejo) para divulgar a aldeia e/ou a campanha. Ao mesmo tempo, estão a ser colocados Mupis e cartazes em diversos locais.

As 49 pré-finalistas concorrem em sete categorias: aldeias monumento, aldeias de mar, aldeias ribeirinhas, aldeias rurais, aldeias remotas, aldeias autênticas e aldeias em áreas protegidas.

Cada gala será dedicada a uma categoria e a final está marcada para dia 3 de setembro onde serão apuradas as 7 Maravilhas.

Escaroupim é uma típica aldeia piscatória, formada em meados dos anos 30, por pescadores oriundos da Praia da Vieira (Marinha Grande), que sazonalmente vinham ao Tejo fazer as campanhas de pesca de inverno, procurando o sustento para as suas numerosas famílias. Muitos destes pescadores foram ficando pelas margens do Tejo e formaram pequenas povoações piscatórias ao longo do rio.

Na aldeia do Escaroupim é possível visitar a Casa Típica Avieira e o Museu “Escaroupim e o Rio”. Estes dois espaços culturais juntam-se aos passeios de barco no Rio Tejo, à observação de aves, ao parque de merendas, ao restaurante panorâmico e ao miradouro natural sobre o rio Tejo.



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:18
link do post | comentar | favorito

Marina Ferreira é a nova Rainha das Vindimas do Concelho de Azambuja

unnamed (2)

 

Candidata da Freguesia de Alcoentre

 

Marina Ferreira, natural da Freguesia de Alcoentre, foi a grande vencedora da eleição Rainha das Vindimas do Concelho de Azambuja 2017. À coroa, troféu principal da noite, a jovem de 19 anos de idade juntou, ainda, o Prémio Fotogenia. Outra candidata reuniu dois prémios, Susana Correia – em representação da Freguesia de Azambuja –conquistou as faixas de 1ª Dama de Honor e Prémio Simpatia. Por fim, Mariana Reis de Aveiras de Cima foi a escolhida como 2ª Dama de Honor.

 

O grupo era composto, ainda, por Miriam Mendes (União de Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de S. Pedro e Maçussa), Andreia Gonçalves (Vale do Paraíso), Tatiana Fonseca (Vila Nova da Rainha) e Maria Estudante (Aveiras de Baixo).

 

Marina Ferreira, de Alcoentre, sucede a Marisa Ferreira, de Aveiras de Cima como nova Rainha das Vindimas do município. Entretanto, Marisa Ferreira ostentará ainda até ao próximo dia 9 de setembro o título de Rainha das Vindimas de Portugal. Essa é a data da eleição da nova rainha nacional, marcada pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho para a cidade de Águeda, onde o Concelho de Azambuja será defendido pela prestação de Marina Ferreira.

 

O espetáculo teve lugar no Largo da República, no coração da vila de Aveiras de Cima, e foi uma organização conjunta do Município de Azambuja e da Casa do Povo de Aveiras de Cima, com o apoio da Junta de Freguesia local. As sete jovens, representando cada uma a sua freguesia de origem, desfilaram em palco com trajes regionais típicos de outras épocas, também com traje casual e por fim em vestido de noite, perante uma entusiástica plateia de várias centenas de espectadores. Alternando com os desfiles, o evento foi animado com uma performance acrobática, uma encenação etnográfica e também momentos de música lírica, de teatro e de dança.

 

Azambuja recebe concerto da Banda da Armada Portuguesa

Dia 01 de julho, pelas 21h30, na Praça do Município

 

A Vila de Azambuja recebe no próximo dia 01 de julho, um concerto da Banda da Armada Portuguesa. A música far-se-á ouvir na Praça do Município, pelas 21h30 e a entrada é livre.

 

A Banda da Armada Portuguesa tem orientação do azambujense Capitão-Tenente Délio Gonçalves, que exerce funções de Maestro Chefe nesta formação musical. A banda conta com 113 músicos, muitos dos quais com formação superior e com uma média etária de 33 anos. Fruto do esforço de renovação e dinamização, levado a cabo nos últimos anos, os resultados refletem-se na grande visibilidade nacional e internacional das suas atuações ao vivo e na constante gravação e edição de discos.

 

Esta iniciativa é uma organização da Câmara Municipal de Azambuja em parceria com o Centro Cultural Azambujense.

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:16
link do post | comentar | favorito

Rota das Lezírias - Caminhada do Arroz

unnamed (1)

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:15
link do post | comentar | favorito

Fabíola Cardoso é a mandatária da candidatura de cidadania apoiada pelo Bloco de Esquerda

unnamed

 

Fabíola Cardoso desenvolveu papel pioneiro e nacional na defesa dos direitos humanos, nomeadamente no seu papel de activista na conquista de direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgender. Professora com iniciativas premiadas e profunda sensibilidade ambiental teve ainda papel de destaque na recente e vitoriosa luta pela co-adopção.

Em Santarém, foi ainda uma das promotoras dos protestos "que se lixe a troika" que movimentou milhares de pessoas.

Fabíola Cardoso fez parte da equipa bloquista que, com Bruno Góis e Vítor Franco, apresentou o maior nº de propostas na Assembleia Municipal e nesta obteve o maior nº de propostas aprovadas.

 

Bloco propõe Assembleia Municipal temática sobre floresta em Alcanede

O actual deputado municipal Vítor Franco propõe uma Assembleia Municipal temática em Alcanede pois a “zona norte do concelho apresenta um elevado nível de risco” conforme prova a “carta de risco e de perigosidade do Plano Municipal da Defesa da Floresta Contra Incêndios”. Segundo o BE, a proposta pretende valorizar “a reflexão serena e a sensibilização da população”.



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:13
link do post | comentar | favorito

Domingo, 25 de Junho de 2017
FÉRIAS DE VERÃO COM MUITA AÇÃO

unnamed (1)

 

Se tens entre os 6 e os 14 anos e gostas de ação e aventura, as Férias de Verão do Centro Paroquial de Bem Estar Social de Pontével, são mesmo o programa certo para ti!

 

De 3 de julho a 25 de agosto, a palavra de ordem para as crianças e jovens vai ser Ação. Da praia ao campo, da música ao desporto aventura, das artes visuais ao teatro ou ao cinema, das visitas a museus aos concertos, dos passeios de motas de água às noites passadas numa pousada da juventude, não haverá descanso para as crianças e jovens que participem nas Férias de Verão do Centro Paroquial de Bem Estar Social de Pontével – mas o descanso não é o mais importante para quem é tão jovem e quer mesmo é fazer amigos e descobrir o mundo.

 

“Ação é mover-se. Dar o primeiro passo, é colocar o universo em movimento…”

O projeto de Férias de Verão 2017 “Verão Com Ação, Grande Curtição” pretende enriquecer o desenvolvimento físico, intelectual e social das crianças e adolescentes do CATL através de atividades lúdicas e pedagógicas que vão ao encontro das suas motivações, desejos e interesses.

O objetivo é aliar as aprendizagens ao prazer e ao divertimento para que as crianças e adolescentes se tornem cidadãos autónomos, criativos e responsáveis, elementos essenciais duma sociedade democrática e justa. Cada atividade pretende estimular a criatividade, fomentar o desejo de aprender e desenvolver a curiosidade dos jovens.

 

O projeto de Ferias de Verão do CATL ambiciona desenvolver um conjunto de atividades dinâmicas e motivadoras de aprendizagens significativas e enriquecedoras para as crianças e adolescentes. Cada semana tem um tema relacionado com ação em várias áreas culturais e desportivas, tais como Dança, Música, Artes Visuais, Cinema, Teatro, Costumes, Arquitetura onde os jovens poderão conhecer e experienciar várias vertentes destas áreas.



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:44
link do post | comentar | favorito

PORQUE FALHARAM AS COMUNICAÇÕES EM PEDROGÃO GRANDE?

OPINIÃO

Por: João Paulo Saraiva

 
  1. Porque arderam as linhas de alimentação em pelo menos uma TBS (TETRA base station) (estação retransmissora SIRESP), e as baterias não têm autonomia por falta de manutenção, ficou precocemente inoperativa;
  2.  O facto de alegadamente  terem ardido linhas de dados que asseguram a ligação de dados entre TBS e servidor, mas sobre isto nem me vou alongar por esta via, explicarei em pormenor pessoalmente a quem interesse na estrutura;
  3. Porque não existem redundâncias ao SIRESP que foram aparentemente pagas mas não instaladas;
  4. No domingo de manhã chegou ao terreno pouco passava das 5horas, uma viatura da SIRESP S.A., alegadamente a única que está operacional, apesar de recentemente a ANPC ter adquirido duas pick-up com semelhante missão. A viatura foi colocada num local que somente possibilitava garantir pouco mais de 1/3 da cobertura dos teatros de operações;
  5. Os terminais SIRESP portáteis estão equipados com antena helicoidal encurtada para proporcionar mais comodidade no seu transporte, antenas essas que somente se adequam ao meio urbano. Enviar pessoas com rádios com aquelas antenas encurtadas e não de quarto de onda completo, para incêndios florestais onde há reduzida cobertura, é logo à partida enviá-las para a possibilidade de morte;
  6. O número de canais disponíveis no local somente possibilitaria assegurar uma rede estratégica, contudo como os operadores da ANPC ignoram os aspetos técnicos do sistema TETRA, começaram por atribuir logo à partida mais talk groups do que aqueles que face ao volume de tráfego expectável o sistema poderia suportar, tendo saturado todas as slot´s dos canais disponíveis no local;
  7. O facto de se ter deixado de fazer manutenção aos rádios portáteis de VHF banda alta, nomeadamente a substituição de baterias já sem autonomia, levou a que se sobrecarregasse uma rede SIRESP com características somente adequadas à estratégia e alta-direção, com tática, manobra, e comando;
  8. Alguns terminais SIRESP sofrem da mesma falta de manutenção de baterias...;
  9. A distribuição de operadores rádio no posto de comando era a típica de um cenário de operações de socorro e não de uma operação de proteção civil, se em teoria as duas viaturas ( Bombeiros, e Proteção Civil) geririam uma o comando das operações de socorro, e a da ANPC a operação de proteção civil, ambas se envolveram na gestão das operações de socorro alheando-se parcialmente da gestão da operação de proteção civil. Inúmeras comunicações ficaram sem resposta via canais alternativos de banda alta que não estavam a ser monitorizados, ou cuja a receção era atenuada pela proximidade de frequências e antenas, sem que qualquer uma das viaturas disponha de filtros de rejeição, o que determina que uma emissão anule a receção a todos os outros equipamentos convencionais e digitais em frequências próximas. As viaturas de comando e comunicações foram pagas a preço de outro e estão mal concebidas porque privilegiam comodidade em detrimento de caraterísticas técnicas dos meios de radiocomunicações, já que nenhum dos rádios ali instalado sofreu ajustes de frontend para este tipo de operação;
  10. Como a operação não foi desde logo encarada como de proteção civil, não foram atempadamente ativados os meios adequados, ou sequer o plano municipal de proteção civil em devido tempo, tendo tardiamente sido ativado o plano distrital,quando na realidade já deveria estar ativado o plano nacional que não chegou a ser ativado;
  11. Atendendo a que as autoridades e agentes de proteção civil não encaram a operação de proteção civil, alguns dos equipamentos fundamentais para contacto local com a população não foram atempadamente ativados, ninguém no posto de comando assumiu as comunicações com radioamadores e operadores da banda do cidadão, apesar de se saber que muitas localidades estavam privadas de comunicação, deixaram-se assim as populações à mercê da própria sorte como na idade da pedra, até que lá chegasse um mensageiro;
  12. Os radioamadores que estiveram no terreno não foram monitorizados nem no posto de comando nem no SMPC, no primeiro porque ninguém se lembrou ou sabe operar tais equipamentos, e no segundo porque sequer dispõe de tais equipamentos e pessoal habilitado para o operar, o que determinou que por exemplo radioamadores em zona sem cobertura de telemóvel tivessem de solicitar a outro radioamador via repetidor VHF do Alto de Trevim que informassem de outra estrada tomada pelas chamas que não fosse a intervenção de voluntários de proteção civil, que avisaram os automobilistas, poderia ter sido uma segunda "estrada da morte", tendo o radioamador que recebeu as coordenadas transmitido a mensagem ao CDOS de Leiria via 117;
  13. Havia na zona algumas habitações e viaturas com rádio CB, mas ninguém no posto de comando monitorizou tal frequência;
  14. Os radioamadores cebêistas, e até rádio-operadores da banda livre PMR446 nunca deixaram de ter as comunicações expectáveis para os meios que usaram, mas os intervenientes nas operações de socorro não conseguiram com um sistema de milhões ter o que radioamadores e rádio-operadores tiveram com " tostões";
  15. Exige-se alegadamente tantos requisitos ao operadores de telecomunicações da ENB/LBP que trabalham para a ANPC, mas nem sequer conhecimentos de radioamador se exige, pelo menos para saberem porque raio levantam a antena de HF da viatura de comunicações, aquela que por vezes até serve para ouvir a bola, mas não alguém a pedir socorro o a informar que vai socorrer;
  16. Embora regulamentado, algumas viaturas de combate a incêndios que estivaram no terreno não tinham instalado rádio de VHF banda-alta que possibilitasse servir como redundância; 
  17. A GNR dispõe de infraestruturas móveis de reserva em radiocomunicações que poderiam ter sido acionados para o local, nomeadamente para linkar SIRESP com banda Alta. Tanto um camion como um jipe dos GIPS, que não foram mobilizados. Este jipe está encostado e nunca foi usado exceto em exposições de meios, carecendo de uma profunda revisão, mas o essencial para melhorar as comunicações neste caso está lá e estava operacional na ultima vez que foi visto;
  18. O RSB de Lisboa tem algumas viaturas com rádios de HF que poderiam comunicar com o ICOM IC706MKII que está instalado no posto de comando, mas dos operacionais do RSB no terreno ninguém foi formado para operar aquele equipamento, e no posto de comando ninguém sabe usar o rádio de HF.
Existia rede SIRESP no local e momento onde perdeu a vida um Bombeiro? Eu não sei, mas tenho curiosidade em saber!
 
Em suma as comunicações falharam por diversos motivos, técnicos, e humanos, mas essencialmente porque as comunicações foram geridas por operadores rádio, e não por especialistas em radiocomunicações de emergência.

O que aconteceu ali com o SIRESP foi o mesmo já já havia acontecido nos incêndios na Ilha da Madeira há poucos anos, pelo que me questiono quantas pessoas afinal terão de morrer para que admitam de uma vez por todas que tal como está a única coisa que o SIRESP garante são vulnerabilidades potencialmente trágicas, pago a preço de ouro!

Questione-se à Cruz Vermelha se tinha comunicações na sua rede própria, e quanto custou essa rede!

Porque foi desmantelada a rede 150 da GNR? Porque fizeram o mesmo com a rede de VHF banda baixa dos Bombeiros?

O SIRESP tal como está é uma rede celular com ligação por cabo de dados entre si, que em caso de incêndio é muito vulnerável.



COMO PODERIAM NÃO TER FALHADO AS COMUNICAÇÕES?
 
  1. A rede SIRESP deveria ter sido usada somente como rede Estratégica e deste modo teria cumprido a sua missão se para o local tivessem sido enviadas as duas pick.-up´s da ANPC que alegadamente estão inoperacionais, ou em alternativa uma das viaturas da GNR que dispõe de link SIRESP para VHF convencional;
  2. Se todos os operacionais tivessem rádio de VHF Banda-Alta haveria alternativa quer através do repetidor B Lousã, quer através do repetidor B-candeeiros, ou mesmo através do repetidor B-Estrela. Porém o B-Lousã já estava com algum tráfego resultante do incêndio em Góis, que inteligentemente se socorreram do VHF convencional;
  3. Todos os canais simplex sejam de manobra táticos ou de comando, deveriam estar monitorizados no posto de comando e estações remotas em viaturas de comando ou outras só com esse propósito, garantindo-se assim que ao invés do que aconteceu nenhum pedido de socorro ou ajuda ficaria sem resposta em vias que embora possam não ser dedicadas ao efeito seriam uma alternativa. Esta resposta na falta de bombeiros para a operação pode ser assegurada até por radioamadores integrados como voluntários de proteção civil e previamente treinados para o efeito. Esta colaboração dos radioamadores deve estar previamente definida para que estes possam articular-se com o CDOS, ou com o posto de comando, de forma integrada sem causar constrangimentos à operação;
  4. Obviamente que para tudo isto funcionar todos teriam de ter rádio VHF com antenas adequadas à operação em meio florestal (coisa que não têm e nunca tiveram), mas também teria de haver outra hierarquização e disciplina nas comunicações, nada que não se resolva se para isso houver vontade;
  5. A simplificação de tudo isto passaria por colocar no ar logo após a deteção do foco de incêndio, um helicóptero de observação responsável por ordenar os preventivos cortes de vias, para evitar situações como a "estrada da morte", tendo este meio aéreo que possuir a bordo um repetidor VHF móvel para assegurar a comunicação em terra, bem como um operador dedicado à monitorização de um canal simplex dedicado a pedidos de socorro;
  6. A ligação redundante ao CNOS deve ser efetuada em HF, sem necessidade de qualquer repetidor, rede SIRESP, ou satélite, mas para isso importa que todos os operadores estejam aptos a operar o rádio de HF, uma vez mais aqui qualquer radioamador o saberia operar. É claro que o telefone de satélite pode ser uma solução para este efeito, mas muito dispendiosa e não tão prática.

    Deste modo não haveria qualquer possibilidade de falha nas comunicações, desde que se inclua no local um especialista em radioacomunicações de emergência e catástrofe, ao invés de Engenheiros de telecomunicações e outros licenciados especialistas nas suas áreas técnicas mas sem noção de como se gerem as comunicações de emergência, ou catástrofe.


publicado por Noticias do Ribatejo às 18:41
link do post | comentar | favorito

TEMAS DE SAÚDE: Enfarte Agudo do Miocárdio

ANTONIETA

Por: Antonieta Dias (*)

 

Fala-se muito em deveres e direitos de cidadania e sobretudo na defesa de uma igualdade de oportunidades no âmbito social e na assistência universal da doença.
Apesar de representarem sob o ponto de vista social um caminho cujo registo se destina a beneficiar Cidadãos, Estado e Nação muitas vezes estes conceitos não passam de propaganda pois não são concretizados na ação.
Por maior que seja a nossa convicção, levando a Verdade a cada Lar, a cada Família, a cada Instituição, o cérebro individual, nem sempre interioriza esta obrigação e assistimos diariamente a eventos que não dignificam o trabalho e muito menos o dever de uma intervenção cuja fonte de riqueza é a defesa da Humanidade.
Se cada um de nós fizesse uma pequena reflexão diária sobre o propósito da nossa missão muitas coisas mudariam na nossa vida e aí sim colocaríamos o Dever Nacional acima do benefício Particular.
É preciso aumentar a competência de cada cidadão e consciencializar quem dirige a Nação de que o nosso coeficiente moral e a capacidade de interiorização da confiança e do cumprimento da missão se exprime na resolução de que as teorias dificilmente se concretizarão se não conhecermos detalhadamente a necessidade real de cada ser humano e do território espacial onde se encontra inserido.
O que é preciso é investir o saber e iluminar os horizontes de quem desconhece a realidade e se julga triunfador de um cuidar desprovido de utilidade pública, passando a ser um estorvo na utilidade e no desenvolvimento da perfeição da Humanidade.
Se pararmos de lutar contra a ignorância e não defendermos a Justiça morreremos como morre um doente com enfarte do miocárdio se os meios terapêuticos não forem atempadamente prestados com a urgência, assertividade e conhecimento científico que este doente precisa.
Nestes doentes os primeiros dez minutos da avaliação, de decisão e de estabilização são vitais para garantir a cadeia da sua sobrevivência.
No tratamento geral deste pacientes as prioridades são determinantes para o sucesso da resolução da sua doença.
Não chega identificar o desconforto torácico sugestivo de isquemia se não tivermos os meios adequados (recursos humanos, equipamento e instituições próximas) para o tratamento imediato destes pacientes.
Nestes doentes pode ocorrer morte cardíaca súbita é não é suficiente ter profissionais conhecedores das estratégias, da estratificação dos ritmos cardíacos e da ministração dos fármacos se não conseguirmos prosseguir com as medidas terapêuticas que o tratamento que esta doença exige.
A síndrome coronária aguda (SCA) não se compadece com atrasos na intervenção, muito menos com défices de profissionais habilitados, de equipamento ou de longas distâncias para os centros diferenciados que permitam acionar a via verde coronária.
A Avaliação e Tratamento Imediato, no Departamento de Emergência é determinante para que a equipe nos primeiros dez minutos decida sobre o que vai fazer ao doente.
Se pensarmos no propósito do valor da vida e na importância dos segundos ou minutos, naturalmente iremos ser muito mais exigentes nas condições de trabalho e nos meios que têm que ser disponibilizados aos portugueses para que a realidade de bem cuidar não passe de uma quimera e se concretize apenas para alguns de forma eletiva e não seja universal na qualidade e no atendimento diferenciado exigível para todos os portugueses.
Em suma, dez minutos podem representar a perda de uma vida. Se não agirmos com responsabilidade em todos os sectores profissionais deixaremos de ser dignos do milagre e do atributo de um Ser Humano.

(*) Doutorada em medicina



publicado por Noticias do Ribatejo às 09:55
link do post | comentar | favorito

Má-língua, escárnio e maldizer!

MARINAMALTEZ

Por: Marina Maltez

 

 

Está na moda dizer mal. Vivemos tempos em que impera a crítica por uma sacrossanta razão: porque sim! E viabiliza-se a mesma de duas maneiras infalíveis: a torto e a direito disparando em todos os sentidos as múltiplas línguas afiadas, pois nalgum lado cairá a semente da discórdia, nalgum lado será possível atingir como raio fulminante, nalgum lado será possível incomodar, magoar, ofender.

Há uns anos atrás tive o prazer de assistir a uma palestra dada pelo Grande Senhor Ruy de Carvalho e dela bebi cada palavra (como ainda hoje faço) e retirei duas imagens, dois conceitos que mantive como valores pela Vida: primeiro a Escuta Activa. Aprender a ouvir mais, a escutar mais o que é dito, prestar atenção a cada palavra. Depois, que em tempos havia uma polícia muito dada a lápis. Azul nesse caso e com ele destruiu um legado cultural que francamente não sei se já terá sido recuperado. Talvez não, ou seriamos um país muito mais defensor das Artes e da Cultura e os nossos artistas (os a sério, não aqueles tipo fast-food produzidos por um programa qualquer de má qualidade e que num qualquer horário e em canal contínuo estupidificam milhares de espectadores) seriam bem mais valorizados, ou pelo menos em vida como seria digno. E abolindo o diabólico lápis, fomos do 8 ao 80, caindo no abismo do vale tudo.

Mas afinal o que é uma crítica? Dizem os especialistas que a palavra origina-se no grego “ckritike” que significa apreciação minuciosa, processo de purificação e que até se aplicaria à prática de purificar o ouro, retirando-lhe as impurezas. Daí que tenhamos apreendido, desde cedo, que a palavra crítica seria algo de profundamente negativo.

Efectivamente o ser humano parece ter adquirido desde cedo o gosto pelo apontar o dedo, por detectar erros (até quando não existem), por dizer simplesmente mal. É a pura crítica destrutiva. Por norma aquela que é feita de forma deliberada, intencional para fragilizar o outro. Para humilhar. Para inferiorizar.

Óbvio que existe a outra face: a crítica construtiva. Aquela que dá ânimo, que incentiva, que auxilia a encontrar o caminho certo, que estimula o crescimento pessoal e profissional.

Pessoalmente nunca vi mal algum na crítica. Creio que o problema está no emissor e no tom com que é feita. E quando se reduz a má-língua nem deveria ser valorizada (porque não passa de veneno acumulado e despejado por uma mente perturbada, um ser infeliz consigo e com o mundo), mas atingimos o limite do bom senso e entramos por um verdadeiro esgoto onde são despejadas duras palavras, juízos de valor sem qualquer fundamento e se trata o ser humano como coisa, onde se acendem as fogueiras da suposta moral e se queimam as “bruxas”!

Basta um ou dois exemplos e atestamos a podridão em que vivemos (se é que aqui se pode aplicar tão nobre verbo).

Sem Título

Há pouco mais de um mês atrás uma voz de anjo encantou a maioria dos portugueses. Salvador Sobral vencendo em Portugal ganha uma projecção mediática que levou a uma estante (não com bolas de ouro) mas de duras críticas: primeiro era uma canção para embalar bebés. Depois o rapaz estava mal vestido e aquilo não era indumentária para representar o país. Houve até afirmações do tipo que devia estar calado e ir trabalhar. Isto já não é só dizer mal, já é assumir uma ignorância e preconceitos profundos porque ser cantor, músico, compositor é profissão tão digna como outra.

O puto ganha por maioria absoluta e ainda lhe faltou o prémio dress code top! Era mesmo quem estava melhor vestido, porque os demais concorrentes primaram pela falta de pano ou a inspiração em filmes de ficção científica ou desenhos animados. E de besta passou a bestial, lembra-me Scolari há uns anos, não muitos.

Os que o rotulavam de mal vestido e drogado passaram a partilhar a sua música e a por likes nas mesmas redes sociais onde o tinham chafurdado na lama. É o andar em carneirada. Agora era preciso encontrar outro alvo. E somos mesmo especialistas em encontrar alvos, apontar de forma certeira e fazer estrago só porque sim!

Actualmente o país está de luto. Um terrível incêndio matou mais de 60 pessoas e deixou feridas mais de uma centena. Não, ainda não se enterraram os mortos. Não, o luto não está feito. Não, a verdade ainda não foi apurada. Mas o inquisidor que há em cada português leva a uma chuva de críticas que leva tudo à frente: governo, bombeiros, proprietários, enfim…

Aplaudamos de pé todos os que se mobilizaram e deram início a campanhas de solidariedade que provam que no meio da tragédia somos gigantes e sim tiramos a camisa para a partilhar com o próximo. Esses são certamente os ouvidos e a boca da crítica positiva: há que apurar os factos mas primeiro ajudar quem está num momento de profunda aflição. Curar os feridos, enterrar os mortos, reconstruir. Seria a ordem natural. Seria…

Escutar mais. Ponderar as palavras e saber quando optar pelo silêncio. Como seria bom se fosse possível. Mas não é. Parece não ser. Porque enquanto um português aplaudir de pé a morte de um toureiro, enquanto um português desejar o insucesso ao seu conterrâneo, enquanto um português mandar para a terra de origem o estrangeiro que optou pelas nossas terras para viver e ser feliz, enquanto um português atirar à cara de uma mãe que devia ter sido filmada a morte do seu filho tal como se filmou um corpo recentemente, enquanto isso acontecer seremos pequenos. Anões de espírito e carácter. Porque a violência mesmo verbal nunca será solução, será apenas mais combustível para a desordem e o conflito.

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:00
link do post | comentar | favorito

Continuação das memórias da minha avó

FLORBELA

Por: Florbela Gil

 

 

 Meu irmão tinha ido ao pão a Pernes, meu pai disse que ia fazer almoço. 

Almoçamos, e de seguida fomos até porta do primo Manel Verde. Até ele vir, meu querido pai sentou-se no banco da carpintaria, eu ao lado dele, nisto chega o meu avô, pai da minha mãe. 
 
Esperaram pelo Manel. Disse meu avô,: " sim senhor, você não dá a jorna á minha filha, eu também não recebi, você é mentiroso, portanto, tire tudo quanto fôr seu, e ponha tudo quanto fôr da minha filha. " 
Meu pai respondeu,:" pôr, ponho eu todos os dias, pão na mesa se me pagarem." 
 
Responde o Manel,": pois não pões mais nenhuma vez"! 
Puxou da arma e deu um tiro ao meu pai. 
Meu pai deu uma corrida, mas caiu nos braços do primo. Largou-o para o chão, e disse ao meu pai:" agora matá-me tu! E guisa-me com batatas! (A gozar com aquilo tudo).
 
Corri para meu pai, assim fiquei agarrada ao meu querido pai, que gostava tanto de mim. Esvaiu-se em sangue, até chegar a minha mãe e irmã mais velha. Meu avô agarrado a mim chorava. O Manel fugiu.
 
Nunca esqueci, ver o meu pai ser morto á minha frente. 
 
O Manel, foi entregar-se á GNR da terra. Estava bêbado.
 
Fiquei sem pai aos quatro anos, era o nosso ganha pão... E agora dizia minha mãe, como vamos viver?
 
Continua...

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:55
link do post | comentar | favorito

O fogo. Ai o fogo!

ANAFONSECA

Por: Ana Fonseca da Luz

 

 

O fogo. Ai o fogo!

 

Ai o fogo que não se apiedeou nem dela nem de ninguém.

As labaredas não lhe deram tréguas, mas sem saber como, encontrou forças para lhes sobreviver.

Enquanto o marido estava agarrado ao cajado, como se estivesse colado ao chão a ver o fogo consumir as poucas árvores de fruto que tinha lá para o fundo da horta, ela movida por uma força do outro mundo e a poder de gritos que lhe estrangulavam a garganta, deixando-a sem saliva, abriu as portas das capoeiras para que as galinhas fugissem, soltou o cão velho que há anos vivia acorrentado junto à pequena barraca onde mal cabia, espantou as duas cabras e as três ovelhas que lhe davam o leite para fazer os queijos e berrou à pequena mula, que todos os dias lhe puxava a carroça até à vila, onde vendia o pouco que, afinal era tanto, que a terra lhe dava, para que fugisse para longe.

- Mexe-te homem de um raio!

E ele ali, hipnotizado pelo fogo que lambia as árvores e beijava as casas lá longe e que enchia a noite de clarões vermelhos que mais pareciam diabos à solta a castigar a terra e o céu.

Ao longe, a vila envolta em chamas parecia uma visão do outro mundo. E o homem dela ali, parado, agora a chorar e ela a gritar-lhe:

- Deita água nesse mato antes que a gente se fique aqui! Mexe-te, homem de um raio, que eu não posso morrer ainda. Mexe-te!

E ele acordou daquele marasmo em que se encontrava, e preso no seu corpo velho e cansado, virou Hércules e afastou o fogo que quase lhe chegava à casa, com água e ramos de árvores, esquecendo-se até que era coxo e quase cego.

E os dois, sozinhos, enquanto lá longe a vila se enfeitava de fumo e fogo travaram aquele inimigo que tinha acabado com o verde que ainda há pouco lhes cercava a casa, para pintar tudo a carvão e dor.

Nessa noite, dormiram ao relento, agarrados um ao outro, como há tanto tempo não acontecia.

De manha cedo, bem cedo, o terror serenou. Bombeiros e populares mataram o fogo antes que ele matasse alguém. A paisagem é que não era a mesma, nunca mais seria a mesma.

- Olha, homem, o nosso cão ficou com a gente...e ali, lá longe, é a nossa mula. Ai que se me enchem os olhos de água!

E o seu homem, que era de poucas falas, respondeu-lhe, limpando uma lágrima que ela nunca percebeu se era pelo fumo ou pela emoção de estarem vivos:

- Enche as cestas com queijos, pão e frutas, enquanto eu atrelo a mula à carroça, e vamos até à vila ver se alguém precisa do nosso pouco. Anda mulher, mexe-te!

E desceram a serra pintada de luto, engolindo as lágrimas salgadas de dor, com o coração pintado de esperança.

O fogo. Ai o fogo...



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:48
link do post | comentar | favorito

AMIGO/A... Sim, és tu!

ANAGRACIOSA

Por: Ana Graciosa

 

AMIGO/A... Sim, és tu!

 

 

Não há ninguém como tu!!! Único e verdadeiro AMIGO/A ... Amigo/a  leal, fiel,  devoto, verídico, recíproco... Nem todas as palavras existentes no dicionário e no Universo, são suficientes para te definir...

Contigo,  podemos contar incondicionalmente, tanto no bom como no mau. És alguém que ignora as falhas. Que apoia e vibra com todos os sucessos, todas as conquistas e todas as lutas.

Alguém como tu, possui muitas vidas para além da tua, acabando  por esqueceres tantas vezes de ti próprio.  

Nunca pedes nada em troca e tens sempre tanto para dar. 

Contigo, não há horas específicas ou fins de semana, nada nem ninguém te impede de estares "presente", em quaisquer situações, ocasiões ou quando menos se espera ou mais se precisa.

És aquela pessoa, que ao ouvires e tentares perceber e entender tantas coisas, te interrogas a ti próprio,  até encontrares as respostas, por vezes, tão difíceis  de aceitar e interiorizar.

És o equilíbrio no meio de um tsunami.

Tem dias, que as minhas preocupações e receios se tornam num grãozinho de areia, por maiores que elas sejam. 

Somos duas almas parecidas, separadas pela vida e unidas pelo coração.

Sei que quando mais ninguém estiver comigo, nem mesmo as mais fortes ligações sanguíneas, tu estarás sempre e, também sabes que o farei da mesma forma contigo... que repartirei tudo, até mesmo o indivisível.

Gratidão por existires na minha vida... 

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 07:48
link do post | comentar | favorito

Sábado, 24 de Junho de 2017
TEMAS DE SAÚDE:

Enfarte Agudo do Miocárdio
Fala-se muito em deveres e direitos de cidadania e sobretudo na defesa de uma igualdade de oportunidades no âmbito social e na assistência universal da doença.
Apesar de representarem sob o ponto de vista social um caminho cujo registo se destina a beneficiar Cidadãos, Estado e Nação muitas vezes estes conceitos não passam de propaganda pois não são concretizados na ação.
Por maior que seja a nossa convicção, levando a Verdade a cada Lar, a cada Família, a cada Instituição, o cérebro individual, nem sempre interioriza esta obrigação e assistimos diariamente a eventos que não dignificam o trabalho e muito menos o dever de uma intervenção cuja fonte de riqueza é a defesa da Humanidade.
Se cada um de nós fizesse uma pequena reflexão diária sobre o propósito da nossa missão muitas coisas mudariam na nossa vida e aí sim colocaríamos o Dever Nacional acima do benefício Particular.
É preciso aumentar a competência de cada cidadão e consciencializar quem dirige a Nação de que o nosso coeficiente moral e a capacidade de interiorização da confiança e do cumprimento da missão se exprime na resolução de que as teorias dificilmente se concretizarão se não conhecermos detalhadamente a necessidade real de cada ser humano e do território espacial onde se encontra inserido.
O que é preciso é investir o saber e iluminar os horizontes de quem desconhece a realidade e se julga triunfador de um cuidar desprovido de utilidade pública, passando a ser um estorvo na utilidade e no desenvolvimento da perfeição da Humanidade.
Se pararmos de lutar contra a ignorância e não defendermos a Justiça morreremos como morre um doente com enfarte do miocárdio se os meios terapêuticos não forem atempadamente prestados com a urgência, assertividade e conhecimento científico que este doente precisa.
Nestes doentes os primeiros dez minutos da avaliação, de decisão e de estabilização são vitais para garantir a cadeia da sua sobrevivência.
No tratamento geral deste pacientes as prioridades são determinantes para o sucesso da resolução da sua doença.
Não chega identificar o desconforto torácico sugestivo de isquemia se não tivermos os meios adequados (recursos humanos, equipamento e instituições próximas) para o tratamento imediato destes pacientes.
Nestes doentes pode ocorrer morte cardíaca súbita é não é suficiente ter profissionais conhecedores das estratégias, da estratificação dos ritmos cardíacos e da ministração dos fármacos se não conseguirmos prosseguir com as medidas terapêuticas que o tratamento que esta doença exige.
A síndrome coronária aguda (SCA) não se compadece com atrasos na intervenção, muito menos com défices de profissionais habilitados, de equipamento ou de longas distâncias para os centros diferenciados que permitam acionar a via verde coronária.
A Avaliação e Tratamento Imediato, no Departamento de Emergência é determinante para que a equipe nos primeiros dez minutos decida sobre o que vai fazer ao doente.
Se pensarmos no propósito do valor da vida e na importância dos segundos ou minutos, naturalmente iremos ser muito mais exigentes nas condições de trabalho e nos meios que têm que ser disponibilizados aos portugueses para que a realidade de bem cuidar não passe de uma quimera e se concretize apenas para alguns de forma eletiva e não seja universal na qualidade e no atendimento diferenciado exigível para todos os portugueses.
Em suma, dez minutos podem representar a perda de uma vida. Se não agirmos com responsabilidade em todos os sectores profissionais deixaremos de ser dignos do milagre e do atributo de um Ser Humano.



publicado por Noticias do Ribatejo às 20:41
link do post | comentar | favorito

Rua do Lavradio,Brogueira (Um caos!!!)

2

 

1

 

 

 
De um leitor (identificado) recebemos o "alerta" que segue:
 
 
"Contacto-vos com o intuito vos dar conhecimento do estado em que se encontra a rua onde resido desde 2003.
 
Faço-o em nome individual, como munícipe que se sente lesado e defraudado com as expetativas que ao longo dos anos, todos quantos passaram pelo cargo de presidente da junta, me foram transmitindo:"está para breve...", "para o ano alcatroam...", "já está em projeto, falta aprovar....", etc,etc....
 
As conversas foram quase sempre vazias e sem qualquer intenção de servir e lutar pela dignidade e segurança na circulação de viaturas e peões.
 
Bem sei, que por aqui passam poucas vezes, pois se o fizessem não deixariam que esta rua com onze moradias e outras tantas famílias chegasse a este ponto.
 
Também sei que os tempos não são de fartura e compreendo que um projeto de asfaltamento para a referida rua deva seguir os seus trâmites e requisitos legais, mas a manutenção da mesma, requer apenas boa vontade e bom senso.
 
Com 4 intervenções anuais a nossa Rua do Lavradio conseguia estar em condições de circular, para não falar das bermas, que tapadas com erva alta ilude quem não conhece o local e as mesmas mais não são do que buracos que em algumas zonas atingem 1,5m de profundidade sem qualquer proteção.
 
Peço,caso possível, mais uma vez à divulgação desta situação para que a junta intervenha no sentido de repor e reparar a segurança e  circulação de viaturas e peões."
 
* As fotos tambem foram enviadas pelo leitor


publicado por Noticias do Ribatejo às 15:26
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 23 de Junho de 2017
Câmara de Santarém aceita candidaturas para voluntariado de Turismo Cultural



A Câmara de Santarém está a aceitar candidaturas para voluntariado de Turismo Cultural para concidadãos que pretendam ceder generosamente o seu tempo, na dinamização turística da cidade de Santarém, através da participação em ações de salvaguarda do património, aquisição de competências, construção de oportunidades de aprendizagem e contacto com os turistas/visitantes dos monumentos.

Quem estiver interessado, deve enviar a sua inscrição para o Banco de Voluntariado da autarquia, através do e-mail: blvoluntariado@cm-santarem.pt, com indicação do nome, idade, contatos e disponibilidade.

O Município de Santarém lança esta estratégia turística, através do Banco de Voluntariado, juntamente com a Diocese de Santarém e a Santa Casa da Misericórdia de Santarém, parceiros desta iniciativa de promoção dum programa de voluntariado de Turismo Cultural no Verão 2017.


Câmara de Santarém, Diocese e IPDJ aceitam candidaturas para voluntariado Jovem


A Diocese de Santarém, em parceria com a autarquia Scalabitana, através do IPDJ – Instituto Português do Desporto e Juventude, estão a aceitar candidaturas de voluntariado para jovens, entre os 16 e os 30 anos, que não aufiram quaisquer rendimentos, que podem ser integrados no Programa do IPDJ – Geração Z.

Os jovens voluntários recebem 5€/dia (4h), relativos aos projetos #AbrirPortasAoTurismoInSantarém e #AcessoAoTurismoInSantarém, através duma intervenção qualificada dos jovens em período de férias escolares e/ou em situação de desemprego, de modo a permitirem e facilitarem o acesso dos turistas aos monumentos do Centro Histórico de Santarém.

As inscrições devem ser feitas através do Portal da Juventude até dia 07 de julho. Inscreve-te!

 

 

Câmara de Santarém lamenta o vandalismo dos equipamentos no espaço público

 

 

A Câmara Municipal de Santarém lamenta veementemente os atos de vandalismo de que estão a ser alvo os equipamentos de deposição de beatas de cigarro, designados por Eco.Beatas, colocados no âmbito da campanha de sensibilização Ambiental “be.eco”, no dia 3 de junho, no Centro Histórico da Cidade.

 

A campanha em curso, tem como objetivo sensibilizar os fumadores para serem responsáveis, ou seja, para colocarem as beatas de cigarro nos cinzeiros “de bolso” que a autarquia oferece no Posto de Turismo, e para depositarem as beatas, posteriormente, num dos seis Eco.Beatas disponíveis: Largo do Seminário (Praça Sá da Bandeira), Rua Capelo & Ivens, Jardim Portas do Sol, Largo Cândido dos Reis, Largo Padre Chiquito e Praça Visconde Serra do Pilar. As beatas de cigarro são, posteriormente, encaminhadas para valorização energética.

 

A autarquia apela a todos os munícipes para que estejam atentos a estes atos repreensíveis, e agradece à população que os denuncie junto da autarquia ou das autoridades policiais.

O espaço público é de todos. Ajude a preservar os equipamentos disponíveis no espaço público.

 

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 20:02
link do post | comentar | favorito

Aproveite o que Santarém tem para lhe oferecer este fim de semana

unnamed

 

 

sexta-feira:

 

Esta sexta-feira, dia 23 de junho, prossegue o Festival de Yoga, promovido pela Federação Portuguesa de Yoga, que decidiu, uma vez mais, este ano, assinalar o Dia Mundial do Yoga com a dinamização de um Festival, que decorre até 25 de junho, em Santarém.

 

Tal como o ano passado, o «Festival de Yoga» almeja ser um ponto de encontro entre professores de Yoga, praticantes e curiosos da disciplina, uma festa multidisciplinar em torno do Yoga, que vai contemplar aulas teóricas, aulas práticas, debates, workshops, concertos, dança e um espaço para crianças com diversas actividades.

Integrado no Projecto Verão In Santarém 2017, o Festival pretende, mais uma vez, trazer à capital Ribatejana, pessoas de todo o país: professores/praticantes e curiosos, e ambiciona envolver também os Scalabitanos, sendo, por esse motivo, que também prevê a programação de um conjunto de actividades, a título gratuito.

As actividades decorrem na sede da FPY – Federação Portuguesa de Yoga, na Casa do Campino, no Teatro Taborda e no Jardim Portas do Sol. Para mais informações, consulte: federacaoportuguesadeyoga@gmail.com

 “Jogos com Freguesias”, organizados pela empresa municipal Viver Santarém S.A, com o apoio da Câmara de Santarém e do W Shopping, que prosseguem amanhã dia 23 de junho, às 21h00, no Complexo Aquático Municipal, e que contam com as equipas do Arneiro das Milhariças, Gançaria, Póvoa da Isenta e Azóia de Cima/Tremês! Venha assistir!

Às 21h30, as Escadarias do Largo do Seminário, acolhem a Serenata Monumental organizada pelo GGCC do CCRS - Grupo de Guitarra e Canto de Coimbra do Centro Cultural Regional de Santarém, integrada no Verão In Santarém é um Espanto, com o apoio da Câmara de Santarém, que conta com a participação de antigos estudantes de Santarém e de Coimbra: GGCC do CCRS - Grupo de Guitarra e Canto de Coimbra DO Centro Cultural Regional de Santarém, Grupo Campa Rasa e Grupo ADVOCAL. A serenata conta com a participação especial de Fernando Rolim e de Tito Costa Santos.

 

Às 22h00, integrado no Verão In Santarém é um espanto!, a Praça Visconde Serra do Pilar (Largo de Marvila), acolhe o Espetáculo Cartaxo Sessions In.Str – com os Reverence Warm Up “Conjunto!Evite” e “Stone Dead”.

A iniciativa surge associada ao Reverence Santarém, que vai decorrer pela primeira vez na Ribeira de Santarém, nos dias 8 e 9 de setembro.

 

sábado:

 

Este sábado, dia 24 de junho, prossegue o Festival de Yoga, promovido pela Federação Portuguesa de Yoga, que decidiu, uma vez mais, este ano, assinalar o Dia Mundial do Yoga com a dinamização de um Festival, que decorre até 25 de junho, em Santarém.

 

Tal como o ano passado, o «Festival de Yoga» almeja ser um ponto de encontro entre professores de Yoga, praticantes e curiosos da disciplina, uma festa multidisciplinar em torno do Yoga, que vai contemplar aulas teóricas, aulas práticas, debates, workshops, concertos, dança e um espaço para crianças com diversas actividades.

Integrado no Projecto Verão In Santarém 2017, o Festival pretende, mais uma vez, trazer à capital Ribatejana, pessoas de todo o país: professores/praticantes e curiosos, e ambiciona envolver também os Scalabitanos, sendo, por esse motivo, que também prevê a programação de um conjunto de actividades, a título gratuito.

As actividades decorrem na sede da FPY – Federação Portuguesa de Yoga, na Casa do Campino, no Teatro Taborda e no Jardim Portas do Sol. Para mais informações, consulte: federacaoportuguesadeyoga@gmail.com

 

Às 10h30, integrado no Verão In Santarém é um Espanto, há In Tradição, numa organização do INATEL., com desfile etnográfico pelas ruas do Centro histórico de Santarém, a cargo do Rancho Folclórico do Bairro de Santarém, Fontainhas e Grainho.

 

À mesma hora, o Palácio Landal e as ruas do Centro Histórico, acolhem um Atelier de iniciação ao Urban Sketching com o artista plástico João André, organizado pelo Ribatejo Sketchers.

 

Às 10h30, há Dança para Bebés com a Professora Sofia Almeida, na Livraria Aqui Há Gato. Sujeito a marcação prévia.

“O contato com a música e sons provoca estímulos que possibilitam que a criança se expresse por meio do seu corpo, demonstrando o que ele sente ao ouvi-los…Junto com a música ocorre o desejo de mexer o corpo, acompanhando o ritmo”.

Com a Professora Sofia de Almeida.

(Duração) 30’ (Classificação) a partir dos 12 meses (c/ aquisição de marcha) até 3 anos inclusive (Preço) 7€(bebé+adulto)

 

Às 11h00, há Yoga para todos (aula especial para crianças),no Jardim Portas do Sol, numa organização da AMA – Associação Movimento Aberto e Federação Portuguesa de Yoga.

 

Às 11h30 e às 16h00 há Hora do Conto, na Livraria Aqui Há Gato.    Entrada livre.

Vamos ouvir histórias que nos fazem sonhar, rir, pensar e imaginar. Momentos que nos fazem acreditar que o mundo da fantasia pode estar tão perto...

(Duração) 30’ (Classificação) dos 0 aos 80!

 

À mesma hora há Animação para Pais e Filhos, no Jardim Portas do Sol, organizada pela Decathlon.

 

Às 11h30 e às 16h00 há Hora do Conto, na livraria Aqui Há Gato. Entrada livre.

Vamos ouvir histórias que nos fazem sonhar, rir, pensar e imaginar. Momentos que nos fazem acreditar que o mundo da fantasia pode estar tão perto...

(Duração) 30’ (Classificação) dos 0 aos 80!

 

Às 12h00 e às 16h30, há Oficinas de Arte – Mês do Tecido – vamos fazer um Marcador, na Livraria Aqui Há Gato.

Este Mês a nossa base de trabalho é o Tecido. Vamos pintar, recortar, forrar, colar... tudo com tecido!! Letras para pendurar, sacos para ir às compras, e até marcadores de livros para saberes sempre onde vai a tua leitura!!!

 

Um marcador de leitura é muito útil para saberes sempre em que página vais! Vem fazer o teu marcador bem colorido, com tecidos divertidos e pormenores fantásticos!

(Duração) aprox. 60’ (Classificação) M/4 (Preço) 7€

 

Às 16h00, assista ao Jogo Nova Zelândia/Portugal, que pode levar Portugal às meias finais, no Jardim da Liberdade. Junte-se a nós e assista ao Jogo, no Ecrã Gigante montado para o efeito, em zona de sombra. Venha apoiar a Nossa Seleção!

 

Às 18h00, prossegue o 3º Ciclo de órgãos Históricos de Santarém, na Catedral de Santarém, com Concerto com o Coro, Orquestra e Órgão: desde a IDADE MÉDIA ao ROMANTISMO + Sinfonia n.1 Op. 11 de J. D. Bomtempo (1775-1842), pela Schola Cantorum da Catedral de Santarém (Pequenos Cantores e Capela do Divino Salvador); Daniel Oliveira, no órgão, Pedro Rollin Rodrigues, na direção. E Orquestra Clássica de Fátima; André Lousada, na direção.

 

Às 21h30, o Teatro Taborda/Círculo Cultural Scalabitano, acolhe um Concerto com o Coro do Círculo Cultural Scalabitano, Anaidcram com Diana Rego e Marc Planells, Dança Indiana acompanhada de Sitar,numa organização da AMA – Associação Movimento Aberto e da Federação Portuguesa de Yoga.

 

Às 22h00, o Largo do Seminário acolhe o Festival de Folclore “Da Aldeia à Cidade”, organizado pelo Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito.

 

domingo:

 

No domingo, dia 25 de junho, prossegue o Festival de Yoga, promovido pela Federação Portuguesa de Yoga, que decidiu, uma vez mais, este ano, assinalar o Dia Mundial do Yoga com a dinamização de um Festival, em Santarém.

 

Tal como o ano passado, o «Festival de Yoga» almeja ser um ponto de encontro entre professores de Yoga, praticantes e curiosos da disciplina, uma festa multidisciplinar em torno do Yoga, que vai contemplar aulas teóricas, aulas práticas, debates, workshops, concertos, dança e um espaço para crianças com diversas actividades.

Integrado no Projecto Verão In Santarém 2017, o Festival pretende, mais uma vez, trazer à capital Ribatejana, pessoas de todo o país: professores/praticantes e curiosos, e ambiciona envolver também os Scalabitanos, sendo, por esse motivo, que também prevê a programação de um conjunto de actividades, a título gratuito.

As actividades decorrem na sede da FPY – Federação Portuguesa de Yoga, na Casa do Campino, no Teatro Taborda e no Jardim Portas do Sol. Para mais informações, consulte: federacaoportuguesadeyoga@gmail.com

 

Das 10h00 às 18h00, o Centro Histórico acolhe o 1º Encontro de Urban Sketchers In.Str, “Vamos Desenhar Santarém”, organizado pelos Ribatejo Sketchers.

 

Em permanência:

 

 

Até dia 30 de junho, visite a Exposição de Pintura e Escultura “Encontros no Tempo II”, de Gil Teixeira Lopes e Matilde Marçal, patente no Palácio Landal e no Fórum Actor Mário Viegas - Centro Cultural Regional de Santarém.

 

Nome incontornável no panorama artístico nacional e internacional, Gil Teixeira Lopes, é professor jubilado da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa.

Pintor, escultor e gravador e realizou mais de 80 exposições individuais, no País e no estrangeiro. Já expôs e foi premiado em países de todo o mundo: França, Itália, Espanha, Alemanha, Áustria, Polónia, Bulgária, Inglaterra, Irlanda, Noruega e Suécia, Estados Unidos da América, Brasil e México, Iraque, Índia e Egipto, Japão e China.

O artista mantém-se fiel à grande tradição do figurativo, que expressa quer na pintura quer na escultura, numa estética que privilegia o envolvimento amoroso e o erotismo.

Condecorado com a Ordem do Infante D. Henrique (1998), recebeu variadíssimos prémios nacionais e internacionais. Em 2002, apresentou uma grande exposição no Palácio Galveias, em Lisboa, e em abril de 2004, no Museu do Chiado, em Coimbra.

 

Matilde Marçal, professora na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, é um nome inconfundível da Pintura Contemporânea Portuguesa, com trabalho desenvolvido ao nível da Pintura, Gravura e Desenho.

Já realizou mais de cinquenta exposições individuais, em Portugal, Espanha, França, Polónia, Itália, Jugoslávia, Noruega, Inglaterra, Alemanha, Suíça e Irlanda, e mais de trezentas exposições coletivas, em Portugal e no estrangeiro. Em 1988 foi eleita Membro da Academia Nacional de Belas-Artes.

 

A sua obra pretende revelar-nos um novo universo, entre a poesia e o silêncio, o passado e o presente, o presente e o futuro. Com uma paleta de grande riqueza cromática, apresenta matizes de cores: dos brancos aos castanhos e destes aos violetas.

 

A exposição, organizada pela Câmara Municipal de Santarém e pelo Centro Cultural Regional de Santarém, pode ser visitada, no Palácio Landal, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 12h30 e das 15h30 às 17h00 e aos sábados, das 10h00 às 13h00, enquanto que no Centro Cultural Regional de Santarém - Fórum Actor Mário Viegas, as visitas podem ser realizadas de segunda a sexta-feira, das 15h30 às 19h00 e aos sábados, das 10h00 às 13h00.

 

Até dia 30 de junho, visite a Exposição “Santos e outros tantos“, de Eurico Ribeiro, na Sala de Leitura Bernardo Santareno. A Exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00 e aos sábados, das 09h30 às 12h30.

 

Autodidata por natureza, Eurico Ribeiro leva-nos numa viagem através da Arte Sacra, pela qual se apaixonou desde muito jovem. Desde cedo, que Eurico Ribeiro se iniciou na arte de modelar o barro, fazendo figuras para o seu próprio presépio, ao qual, através dos tempos tem dado uma maior dimensão, apresentando todos os anos no seu” Presépio de Garagem”, uma versão diferente das cenas do quotidiano por ele modeladas. O artesão utiliza a modelagem manual do barro para nos apresentar um conjunto de figuras religiosas, não só de cariz regional, mas também de âmbito universal, conferindo a cada uma o seu cunho pessoal, sempre inspirado no período Barroco.

Sob o tema Santos…e outros tantos, o artesão apresenta-nos uma galeria das principais imagens padroeiras da nossa região e não só, deixando, contudo, espaço em aberto para outras exposições em preparação.

 

Até dia 30 de junho, visite o Arquivo Histórico Municipal-Mostra Documental

“Falam documentos de outras eras”, na Biblioteca Municipal Anselmo Braamcamp Freire, de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00.

 

Pormenor do documento que identifica as receitas realizadas pelas promessas dos cidadãos da Vila de Santarém. De notar que  para a obra de S. Sebastião estas  foram registadas e recebidas pelo tesoureiro da câmara, Capitão, Francisco Gomes Botto.

As doações estão identificadas pelos seus autores e   o  Livro está assinado e rubricado por Francisco Soares de Aragão.

 

Até dia 30 de junho, visite a Exposição - Coleção de arte contemporânea ‘Manuela de Azevedo’, na Biblioteca Municipal Anselmo Braamcamp Freire, com destaque trimestral para uma obra da autoria da pintora Vieira da Silva: Primavera, serigrafia s/ papel, datada do século XX. A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

 

Na Casa-Museu Anselmo Braamcamp Freire encontra-se em exposição parte do espólio artístico da jornalista Manuela Ferreira de Azevedo, doado à Câmara Municipal de Santarém no final da década de 80, espólio esse que contempla reconhecidos artistas nacionais e internacionais.

 

Até dia 30 de junho, visite a Exposição - Coleção de arte contemporânea ‘Manuela de Azevedo’- destaque trimestral para uma obra da autoria da pintora Vieira da Silva: Primavera, serigrafia s/ papel, datada do século XX. A Exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, na Biblioteca Municipal Anselmo Braamcamp Freire.

“Na Casa-Museu Anselmo Braamcamp Freire encontra-se em exposição parte do espólio artístico da jornalista Manuela Ferreira de Azevedo, doado à Câmara Municipal de Santarém no final da década de 80, espólio esse que contempla reconhecidos artistas nacionais e internacionais”.

 

Até dia 30 de junho, visite a Exposição Bibliográfica “Vamos ler… Ana de Castro Osório”, na Sala de Leitura Bernardo Santareno, de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00, e aos sábados, das 09h30 às 12h30.

O mês de junho é dedicado a Ana Castro Osório, pela comemoração do 145º aniversário de nascimento

Escritora portuguesa especialista na literatura infantil, Ana de Castro Osório nasceu a 18 de junho de 1872 e faleceu a 23 de Março de 1935. Foi considerada a criadora da literatura infantil em Portugal e pioneira na luta pela igualdade de direitos entre homem e mulher.

 

Até dia 30 de junho, visite a Mostra Bibliográfica “150 anos da abolição da Pena de morte em Portugal (1867 - 2017)”, na Biblioteca Municipal Anselmo Braamcamp Freire, patente de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00.

 

Portugal deu o exemplo à Europa e ao mundo quando em julho de 1867 assumiu uma posição de vanguarda como pioneiro da Abolição da Pena de Morte em Portugal. Esta proposta foi na época avançada pelo Ministro Manuel Baptista tendo sido aprovada durante o reinado de D. Luís.

A consagração da Lei da Abolição da Pena de Morte contribuiu para a promoção dos valores da cidadania com enfoque nos Direitos Humanos e respeito pela Vida Humana. A reforma de 1867 alargou-se a todos os crimes civis tendo sido exceção a justiça militar que só com a implantação da República (1910) foi alargada a todos os crimes inclusive os militares.

Atualmente ainda assistimos em vários países do mundo às mais trágicas e notórias situações humanitárias dos direitos humanos com a prática da pena de morte. Relembramos e comemoramos tão notável efeméride com uma exposição bibliográfica sobre a temática em questão.

 

Até dia 12 de julho, visite a Exposição “Uma andorinha em três actos”, dinamizada pelo Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital Distrital de Santarém, no âmbito do Projeto "INcluir - OficINas para todos e para cada um", projeto cofinanciado pela Fundação EDP, através do programa EDP Solidária- Inclusão Social 2016, patente no Convento de S. Francisco.

A Exposição pode ser visitada de quarta a domingo, das 09h00 às 12h30. e das 14h00 às 17h30. O Convento de S. Francisco Encerra às segundas e terças-feiras e feriados.

 

São três momentos, em três espaços distintos. Como tal, só faria sentido se cada um deles fosse encarado como uma parte de um todo. Esse todo é o projeto “INcluir” em que se reuniu um grupo de pessoas que munidos de tintas, pincéis, lápis e sobretudo de uma tenaz vontade se lançaram sobre o branco da tela e do papel. O fundamento desta iniciativa é precisamente o de fomentar a capacidade da inclusão, entre o grupo e toda e qualquer pessoa que queira participar, eliminando estigmas e preconceitos, mostrando ao mesmo tempo que a tal “Arte” pode ser esse elemento unificador, o tal que quebra barreiras e muda o mundo.

 

Até dia 7 de fevereiro de 2018, visite a Exposição “Santarém Cidade em Crescente”, na Casa do Brasil, em Santarém. Esta Mostra, que vai estar patente durante 9 meses, distribui-se por 10 espaços de Exposição, e apresenta 70 Peças, pertencentes ao espólio do Museu Municipal de Santarém, do Museu Etnográfico da Ribeira de Santarém, do Museu Municipal Carlos Reis de Torres Novas, do Museu Nacional de Arte Antiga e do Museu Geológico de Lisboa. Patente de terça-feira a sábado, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

 

A Exposição apresenta-se como uma proposta de leitura do espírito do lugar (Genius loci), de modo a consubstanciar-se numa logomarca agregadora das estratégias culturais, sociais e económicas, do município.

Esta leitura parte de uma matriz identitária de base geográfica - mediterrâneo oriental – ‘crescente fértil, sublinhando a dimensão da memória da sua paisagem cultural (fertilidade - ‘paisagem da abundância’).

A exposição aborda temáticas diversificadas, muito ligadas com o fundo cultural da região, com destaque para a importância da agricultura: vinho, azeite e cereais, do touro e do cavalo, do rio e da lezíria. Explora, paralelamente, as vertentes simbólico-religiosas, particularmente as ligadas à fertilidade - ‘paisagem da abundância’, e interpreta a importância local, o simbolismo e a religiosidade das águas, presentes no mito de Santa Iria."

“Santarém Cidade em Crescente” combina objetos museológicos: Harpócrates, capitel árabe, pithoi fenícios, lucernas islâmicas, ânforas, talhas, arreios e selas, estelas medievais, etc, com imagens iconográficas e fotográficas e conta com três instalações de arte contemporânea de Carlos Amado, sobre O Sagrado e o Azeite, Fernanda Narciso, sobre o Rio e de João Maria, sobre Mãe Terra. Origem da Terra – Cromlek.

Esta iniciativa aposta fortemente na componente sensorial, experiencial e multimédia, em que se destacam três Projetos Multimédia: dois do Realizador Jorge Sá: “Tons da Terra” – Génese e simbolismos ancestrais da Humanidade e “Não se Es gota”- sobre a Água e o terceiro, “Aqui se ara”, de Diana Amado, que vão estar patentes e podem ser vistos, durante os 9 meses da exposição.

Carlos Amado e Luís Mata, técnicos da Câmara de Santarém, foram os autores deste projeto, a partir da investigação sobre a história de Santarém, realizada por Luís Mata. A coordenação desta exposição está a cargo de Carlos Amado.

À semelhança da exposição anterior – “Modos, Medos e Mitos”, esta exposição tem como objetivos gerais: assinalar o papel histórico das civilizações do mediterrâneo oriental (fenícios, sírios, árabes, judeus) na paisagem e na estrutura urbanística da Cidade; realçar a característica urbana da topografia de Santarém: Cidade de planalto (Móron = monte); sublinhar a importância da agricultura na economia regional, nomeadamente do vinho, do azeite, dos cereais e dos legumes, muitos deles introduzidos pelos povos do levante; acentuar o papel dos conhecimentos tecnológicos e da ação humana dos muçulmanos na criação de uma paisagem aluvionar (a lezíria de Santarém como o resultado de uma transferência tecnológica de uma agricultura característica das civilizações do crescente fértil e sua adaptação às características naturais locais: campos de lezíria antigos e modernos; consolidação dos mouchões, colmatagem contínua das terras sujeitas ao regime de cheias, fixação nos terraços fluviais embutidos desde o Paleolítico Inferior); reproduzir a dimensão cultural e mental do Tejo, com paralelos no mar Mediterrâneo, no Médio Oriente e no Norte de África; assinalar o convívio entre o Homem e o elemento água, num equilíbrio representativo de uma paisagem cultural (tal como Veneza ou o Nilo); a religiosidade e o simbolismo das águas: Santa Iria, fertilidade, etc (tal como o Nilo, o Tejo tem um regime hídrico de cheias regulares – ‘crescidas’ – que vão garantindo a reposição da fertilidade do solo e o consequente sucesso da instalação das populações, bem como destacar a importância cultural e simbólica do cavalo e do touro (cornos=crescente).

 

Visite o Núcleo Museológico do Tempo - Torre das Cabaças, com destaque para o Relógio Solar da Torre, de quarta-feira a domingo, das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 (sob marcação através do telefone: 243 377 290 ou 912 578 970.

“Segmento de fuste de coluna com altos-relevos nas duas faces opostas. Numa encontra-se o brasão oitocentista das armas da Vila de Santarém e na outra em quadrante solar, vertical e retangular sem estilete, com orientação a meridional (quadrante meridiano). O relógio de sol encontra-se datado e a numeração das partes do dia (horas) foram insculpidas em capitais romanos, pelo processo de sulco, na sequência das linhas divisórias.

O brasão de Santarém, documentado na sigilografia desde 1246, encontra-se presente em vários testemunhos da arquitetura civil, como a ponte de Alcorce, o Chafariz de Palhais ou das Figueiras, o padrão de Santa Iria ou a Fonte da Junqueira. Testemunhando o domínio da propriedade municipal, a partilha de despesas entre o município e a coroa, a ostentação ou a comemoração dos seus emblemas (o castelo e o rio e escudetes régios), ele constitui uma fonte essencial para a história concelhia e para a identidade das suas populações no tempo e no espaço”.

 

Visite o Centro de Interpretação Urbi Scallabis – USCI, no Jardim Portas do Sol, de quarta-feira a domingo das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

“Instalado no Jardim Portas do Sol, o Centro de Interpretação Urbi Scalabis concilia, de forma harmoniosa, a dimensão turística e a vertente científica, fruto de um aprofundado trabalho de estudo e investigação.

A área expositiva oferece uma fácil abordagem no domínio inovador da interatividade, que permite, à distância de um toque digital, identificar e localizar o valor do património arquitetónico, a riqueza da tumulária, a abundância da heráldica e a qualidade da azulejaria que a cidade ostenta e que, muitas vezes, os escalabitanos e os turistas desconhecem”



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:41
link do post | comentar | favorito

NERSANT de novo em Moçambique a promover as empresas do Ribatejo

Há vários anos focada no apoio à internacionalização das empresas do Ribatejo para o mercado moçambicano, a NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém volta a organiza em setembro uma mostra promocional em Maputo.

 

Esta ação promocional realiza-se entre os dias 2 e 7 de setembro e irá coincidir com o período final da Feira Internacional de Maputo - FACIM 2017. A mostra terá um carácter multissectorial, e nela serão apresentadas junto de contatos institucionais e empresas locais, as potencialidades da região do Ribatejo bem como as suas empresas.

O evento realiza-se no âmbito do ExportIntelligence, projeto de apoio à internacionalização de empresas que a associação está a dinamizar. Este projeto, apoiado pelo COMPETE 2020 no âmbito do SIAC, tenciona alavancar o aumento das exportações da região para o mercado de Moçambique, atrair investimento para o Ribatejo e apresentar o potencial da região e do seu tecido empresarial



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:40
link do post | comentar | favorito

SUINICULTORES EM CONGRESSO NACIONAL NO CARTAXO
  • Durante dois dias são esperados cerca de 400 profissionais e decisores no VIII Congresso Nacional de Suinicultura que está a decorrer no Centro Cultural do Cartaxo para debater os principais desafios que se colocam ao setor.
  • Luís Medeiros Vieira, Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação presidiu à abertura do Congresso que contará com a presença de Luís Capoulas Santos, Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural na sessão de encerramento.
  • Pedro Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal congratulou-se com a escolha do Cartaxo para o VIII Congresso de um setor que “contribui não só para a riqueza nacional, mas também para a coesão territorial e social do país”.
  • O autarca convidou o Cartaxo, “Capital da suinicultura durante estes dois dias”, a pintar-se de cor-de-rosa para participar no lançamento oficial da marca PORCO.PT que distinguirá a carne de porco 100% nacional de qualidade certificada.

 

A Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS) – organização que este ano assinala 36 anos de existência –, escolheu o Cartaxo para realizar o seu VIII Congresso. A sessão de abertura teve lugar ontem, dia 22 de junho, no Centro Cultural do Cartaxo e foi presidida pelo Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira.

 

Durante dois dias, cerca de 400 profissionais, empresários, técnicos e representantes de instituições públicas e privadas vão debater a crise recente do setor, mas também estratégias ligadas à produção, com destaque para a sanidade animal e a erradicação da Doença de Aujeszky, ao crescimento, com ênfase em ações de desenvolvimento local e de internacionalização – a abertura de novos mercados como a China cujo volume de importação “poderia absorver toda a produção nacional”, conforme afirmou Vitor Menino, presidente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS), poderá vir a representar um “novo fôlego para a suinicultura nacional”.

 

Para o dirigente da FPAS, que abriu os trabalhos do VIII Congresso, “nos próximos dias vamos projetar o nosso futuro coletivo. Os suinicultores reúnem-se com a finalidade de superar adversidades, potenciar oportunidades e definir estratégias”.

 

Lembrando as dificuldades recentes que o setor enfrentou, Vitor Menino mostrou-se convicto que os projetos que a FPAS tem vindo a desenvolver “revolucionarão a suinicultura portuguesa a nível técnico e económico”, referindo que “a carne de porco continua a ser a carne mais consumida pelos portugueses e apresenta uma tendência crescente de consumo”, contribuindo com “cerca de 600 milhões de euros para o PIB nacional”.

 

Pedro Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, mostrou-se grato pela escolha do Cartaxo para a realização do VIII Congresso e para o lançamento oficial do programa PORCO.PT. “A vossa escolha é uma honra para o Município e considero-a como o vosso reconhecimento pelo trabalho e resiliência dos nossos empresários”. Num concelho que acolhe cerca de “duas dezenas de explorações de suinicultura, mais de dez de grande dimensão”, contribuindo para “o desenvolvimento do nosso território, para a criação de postos de trabalho e para a sustentabilidade económica da nossa região”, a presença do VIII Congresso “é da maior relevância”.

 

O lançamento da campanha PORCO.PT no Cartaxo foi referido pelo presidente da Câmara “como um estímulo e uma oportunidade para a afirmação dos nossos empresários a atuar neste setor e para a nossa afirmação na fileira agroindustrial”, pelo que todos “deveremos participar no lançamento oficial deste programa. Vamos pintar o Cartaxo de cor-de-rosa, declarando o nosso apoio a um produto 100% português”.

 

Referindo que “Portugal está na moda. Os produtos portugueses são vistos, lá fora e cada vez mais por nós próprios, como produtos que cumprem elevados padrões de qualidade, que se diferenciam pela excelência e segurança oferecidas ao consumidor”, lembrou outros produtos “como o vinho”, que têm potenciado este posicionamento, “é tempo de também a carne de porco e os nossos empresários do setor darem aos seus produtos a oportunidade de comercialização que um posicionamento diferenciador no mercado lhe proporciona”.

 

Assumindo o concelho com “profundamente ligado ao mundo rural”, o autarca destacou a sua localização geográfica e a proximidade ao principal centro de consumo do país, como uma característica à qual se “agrega outra proximidade da maior relevância”, referindo “os poucos minutos que nos separam e as excelentes acessibilidades que nos ligam às principais plataformas de internacionalização nacionais, o porto e o aeroporto internacionais de Lisboa”.

 

O Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira esteve presente na abertura do VIII Congresso, e no jantar dos 36 anos da FPAS, que encerrou o primeiro dia de trabalhos e que decorreu na Quinta do Gaio de Baixo, no concelho do Cartaxo.

 

O Secretário de Estado, destacou a importância do setor na economia nacional, assim como, o seu contributo para a coesão do território. Elencando as medidas tomadas pelo Governo como resposta às dificuldades criadas “em especial pelo embargo decretado pela Rússia”, referiu a criação de um gabinete de crise que acompanhou a evolução da situação dos mercados interno e externo, a adoção de medidas nacionais que introduziram, por exemplo, a obrigatoriedade de indicação do país de origem nas embalagens da carne de suíno, ou as linhas de crédito criadas.

 

A importância da erradicação da Doença de Aujeszky na prossecução de processos de internacionalização e promoção das exportações, foram também referidas por Luís Medeiros Vieira como um dos desafios a que o país e setor precisam dar resposta.

 

O encerramento do VIII Congresso terá lugar hoje, dia 23 de junho, com a apresentação do programa nacional de certificação PORCO.PT, que contará com a presença do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos. O programa foi apresentado por Vitor Menino, como “o maior projeto coletivo de sempre do nosso setor que se une para encontrar novas oportunidades no mercado interno e assumir novos desafios”.



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:38
link do post | comentar | favorito

Biblioteca de Azambuja expõe desenho e pintura de Rui Lima – “Arte Sénior”

 

A Câmara Municipal de Azambuja vai inaugurar nesta sexta-feira 23 de junho, pelas 11h00, uma exposição de trabalhos do artista Rui Lima. A mostra, instalada na galeria da Biblioteca Municipal de Azambuja,  intitula-se “Arte Sénior” e é composta por uma parte do espólio que o artista – natural do Concelho de Alenquer – acaba de doar ao Município de Azambuja. Poderão ser apreciados desenhos e pinturas em aguarela, que ali ficam patentes, de terça-feira a sábado, até dia 28 de julho.

 

Nota biográfica do autor

Rui Francisco Lima Matos nasceu a 20 de junho de 1938 na freguesia de Olhalvo, Concelho vizinho de Alenquer. Homem multifacetado e de diversas valências, aos 14 anos foi residir com a família para Lisboa, onde iniciou a sua vida profissional como aprendiz de serralheiro, profissão que durou apenas alguns meses, pois não era do seu agrado. Posteriormente, enveredou, também alguns meses, pelo ofício de estofador, mas despois da experiência acabou por se dedicar à área do comércio.

Foi nessa área que ganhou o gosto pela Arte. Teve o privilégio, segundo diz, de ingressar numa grande empresa de mobiliário e decoração de interiores, a prestigiada casa «Olaio», que pela qualidade dos seus produtos e serviços era conhecida a nível nacional. E foi assim que nasceu o gosto pela decoração de interiores, levando-o a matricular-se na Escola de Artes António Arroio onde se especializou como decorador de interiores, profissão que exerceu ao longo de toda a sua vida até se reformar.

Aos 60 anos, e já reformado, continuou a desenhar e a pintar, utilizando várias técnicas desde a grafite à aguarela. Polivalente e autodidata, Rui Lima ingressou na Universidade Sénior da Amadora (USIA) como professor de desenho, onde ainda permanece dando assim continuidade à sua paixão pelas Artes.

É como muito prazer que a Galeria da Biblioteca de Azambuja recebe esta exposição que conta com cerca de duas dúzias de trabalhos. Salienta-se, ainda, o facto do artista ter doado parte das suas obras ao município, contribuindo assim para o enriquecimento do acervo artístico do Concelho de Azambuja.



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:37
link do post | comentar | favorito

Maestro Victor Mendes homenageado na Semana da Cultura Tauromáquica

 

A 28.ª edição da Semana da Cultura Tauromáquica (SCT), organizada pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, decorre a partir desta sexta-feira, 23 de junho, até dia 29.

 

A iniciativa pretende aprofundar os conhecimentos e vivência da tauromaquia, sendo o grande homenageado desta edição o Maestro Victor Mendes. É um dos nomes de maior relevância do toureio em Portugal, Espanha, França e América Latina, tendo atingido patamares de projeção e excelência que poucos alcançam nesta arte.

A homenagem realiza-se através de uma grande exposição, no edifício do Celeiro da Patriarcal, em Vila Franca de Xira (R. Luís de Camões), com o tema “Victor Mendes. Toureio Universal”, que promete mais uma vez surpreender o público. A inauguração está marcada para dia 24, sábado, pelas 18h30.

Complementando a exposição haverá um programa de três colóquios (ver em anexo), no mesmo local, com oradores e moderadores de destaque, para debater temas que permitem enriquecer o nosso conhecimento sobre o Maestro e sobre a Tauromaquia (ver programa abaixo).

 

Na noite do dia 24, é de destacar também uma Novilhada, na Praça de Toiros “Palha Blanco”, com jovens valores da Escola de Toureio José Falcão (Vila Franca de Xira) e escolas convidadas de Espanha e México (o programa pode ser visto em anexo).

 

A SCT inclui ainda o lançamento do livro “Rituais de Bravura”, que também assinala os 85 anos do Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. O momento decorrerá no dia 29, quinta-feira, pelas 18h30, na Praça de Toiros “Palha Blanco”, no antigo espaço do “Redondel”.

 

As Tertúlias da cidade também se apresentam ao público no dia 25, no Jardim Municipal Constantino Palha, para um dia de convívio e alegria, fora do seu espaço habitual. Algumas delas, abrem as portas das suas sedes também durante a semana.

 

A restante programação é intensa e variada, incluindo um espetáculo de Fado e Flamenco; umaexibição equestre, um Treino de Forcados aberto ao público ou uma ida ao campo para conhecer os toiros das Esperas do Colete Encarnado.

 

A programação completa pode ser conhecida aqui.

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 12:36
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 22 de Junho de 2017
PEDRO MESQUITA LOPES É O CANDIDATO A PRESIDENTE DA UNIÃO DE FREGUESIAS DO CARTAXO E VALE DA PINTA DA COLIGAÇÃO JUNTOS PELA MUDANÇA

 

 

O cabeça de lista à União de Freguesias é independente e não tem atividade politica anterior mas entende ser este o momento em que “não nos podemos mais conformar com o estado em que se encontram o Cartaxo e Vale da Pinta e quase todos os lugares e núcleos habitacionais no território da união de freguesias e, assim, temos o dever e o direito de contribuir com a nossa disponibilidade e empenho para uma efetiva mudança, que nos devolva o orgulho de aqui viver e de aqui criar os nossos filhos.

 

Para o candidato “As Juntas de Freguesia têm atribuições e competências legais que, reforçadas pela legitimidade politica própria dos seus órgãos, designadamente, do seu Presidente, têm de ser postas ao serviço dos seus habitantes e usadas intransigentemente na defesa e representação de todos, a título individual, associativo ou nas suas actividades, inclusivamente perante os outros órgãos autárquicos. As Juntas de Freguesia devem ainda apoiar de forma activa e concreta as instituições e associações que tenham sede no seu território e devem cuidar e zelar dos espaços públicos que sejam da sua competência legal ao mesmo tempo que não podem permitir que os espaços, locais, vias e instituições do seu território sejam deixados ao abandono ou em completo desleixo por quem tem a obrigação legal de os tratar, cuidar ou apoiar. A minha candidatura quer e fará da Junta de Freguesia a primeira entidade na defesa e garantia dos direitos e interesses dos nossos fregueses e das nossas instituições e associações.

 

Pedro Mesquita Lopes tem 47 anos, é casado e tem dois filhos. É advogado, foi presidente da Delegação da Ordem dos Advogados da Comarca do Cartaxo no triénio 2014/2016, é actualmente vice-presidente do Conselho de Disciplina da Associação de Futebol de Santarém, órgão a que pertence desde 2006, e é membro da Direcção do Jardim de Infância do Cartaxo desde 2009.



publicado por Noticias do Ribatejo às 17:14
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

NERSANT apresenta tendênc...

74º Aniversário do Concel...

Azambuja é o município co...

Mercados de Natal em Deze...

Câmara Municipal de Salva...

É pró menino e prá menina...

CÂMARA MUNICIPAL COM VAGA...

Município de Azambuja ina...

Município do Entroncament...

Premiados Concursos Nacio...

Município do Entroncament...

Continuam os convívios de...

Ribatejo apresenta-se com...

Junta de Freguesia de Alc...

Comemoração do Dia Mundia...

Liga de Amigos da Secção ...

Câmara de Azambuja aprovo...

Município de Azambuja com...

Avisan’19 recebe Exposiçõ...

Município da Chamusca pro...

MUNICÍPIO DO CARTAXO CELE...

Câmara Municipal de Salva...

“Dia do Refeitório Aberto...

“É pró menino e prá menin...

CA Juniores dá asas à ima...

...

Rita Redshoes trouxe proj...

Porque nos perdemos dentr...

Obras avançam na Encosta ...

Uma viagem multissensoria...

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds