NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 3 de Maio de 2020
Mães

CATARINA BETES.png

Por: Catarina Betes

 

Mães

 

 

Todos nascemos de alguém. Fomos criados, acarinhados, protegidos e amados por alguém. Nem sempre a mãe é quem dá à luz. Muitas vezes a mãe é uma avó, uma tia, uma vizinha, alguém que acolhe no seu colo, que alimenta e ama, como qualquer mãe que tenha parido. Por vezes ama até mais. Porque parir nem sempre é sinónimo de amar.

Ao longo dos anos, tenho conhecido diferentes tipos de mãe. A mãe que carregou no seu ventre o filho que mais tarde, por algum motivo, deixou para trás, a mãe que pariu filho e o protege e ama incondicionalmente, a tia que é mãe e que ama e cuida como se tivesse parido, a mãe que é uma vizinha que de repente passou a ser “tia” e cria com esforço, alma e dedicação. A mãe que é a avó, que entre o peso e as complicações da idade, encontra espaço nos seus dias mais difíceis, para ir receber os registos escolares da neta, à escola. E outras tantas.

Continuo a conhecer pessoas surpreendentes, que me fazem emocionar e admirar a maravilhosa capacidade do ser humano, de amar.

Gente que cria os filhos com determinação, que enfrenta dificuldades que relativiza e simplifica, pelo bem maior de educar, gente que se multiplica em trabalhos e chega diariamente tarde a casa, mas ainda assim, não se senta à mesa, sem antes beijar os filhos. Porque para se ser mãe deveria ser obrigatório saber amar o “outro”. Sempre achei estranhas as pessoas que só acham graça aos seus. Pessoas que se cruzam com os filhos dos outros e agem como se nem os vissem. Para se ser mãe, deveria ser obrigatória a educação das sensibilidades. Todas as crianças merecem um olhar mais atento, porque são os seres mais espetaculares do mundo e carregam o futuro nas mãos. Um futuro determinado pela influência que cada um de nós vai deixando em cada uma delas. Uma criança que não é ensinada a “ver” o outro, mas olhar apenas para si própria, está condenada a um crescimento superficial, longe da educação das emoções.

Com a aproximação do dia da mãe, recordo sempre as mães com quem cresci. A minha mãe, que foi uma mulher fora do tempo em que nasceu. Uma mulher destemida, que me deixou a vontade de traçar o meu próprio caminho, não sem medos, mas com determinação suficiente para aceitar não só as vitórias, como as derrotas em igual medida, consciente da sua inevitabilidade. As minhas avós, que viveram num tempo em que não havia tempo para “mimar” os filhos, mas tempo suficiente para que cada um crescesse a saber o valor de ter uma mãe. Tempo suficiente para aprender a não abandonar os seus na velhice, mas a cuidar, com o mesmo amor, que um dia se recebeu. Parir é simples. Ser mãe também. Exige um único requisito: Amar.



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:00
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Julho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Regresso à normalidade da...

Regresso à normalidade da...

ENTRONCAMENTO: “Verão Ati...

Presidente da Câmara Muni...

Assinado o Auto de consig...

“Espaços d’Alma” exposiçã...

PEDRO MAGALHÃES RIBEIRO P...

Programa da TVI “Somos Po...

PEDRO MAGALHÃES RIBEIRO N...

Município da Chamusca apo...

ENTRONCAMENTO: Projeto de...

Município de Azambuja ade...

CARTAXO: FÓRUM DAS FAMÍLI...

      Câmara  Municipal d...

ENTRONCAMENTO: “O Turismo...

CNEMA recebe Concurso Nac...

Está em execução a constr...

Câmara de Santarém atribu...

Conclusão das obras do no...

Conclusão das obras do no...

 Isto é viver.!

Selo Clean & Safe atribuí...

Município prossegue com i...

REORGANIZAÇÃO DE PELOUROS...

Reordenamento Urbano na R...

Um mundo de oportunidades...

Serviço de Proteção Civil...

Órgãos Municipais de Azam...

Conceito de Escola a Temp...

Município de Santarém e ...

tags

todas as tags

arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Contactos
Rua do Jardim, 2090-078 Alpiarça Telemóvel: 933 088 759
subscrever feeds