NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2012
ALPIARÇA: Comunicado da AIDIA
 



ASSUNTO: resposta a uma notícia publicada em O Mirante.pt, com o título "Recuperação da aldeia avieira do Patacão é para fazer mas não para já"


Exmo. Sr. director,


Em relação à notícia agora publicada, os valores divulgados na sessão daquela Assembleia Municipal são diferentes, e estão de acordo com o documento que foi distribuído pela AIDIA aos eleitos daquela entidade. O investimento previsional é de um milhão de euros para recuperar a aldeia avieira do Patacão. Este valor é suportado em 85% a fundo perdido pelo QREN, e os restantes 15% por um empresário que já o revelou em Outubro passado, numa reunião com o Sr. presidente da Câmara de Alpiarça. O empresário, que possui um aldeamento na Herdade da Comporta, aguardou até hoje por uma resposta, que nunca lhe foi dada. Assegurou à Câmara Municipal e ao projecto Avieiro que podia garantir o acesso de inúmeros turistas estrangeiros ao Patacão e à região, estando disposto a iniciar de imediato o restauro de três casas palafíticas, com fundos próprios, como sinal de garantia da seriedade das suas intenções. Acções como as que têm sido desenvolvidas pelo projecto dos Avieiros são raras nos dias que correm. Conseguiu-se praticamente oferecer um projecto chave-na-mão a Alpiarça e aos Alpiarcenses, que a Câmara rejeitou. Mesmo o projecto de arquitectura da aldeia está pronto e foi oferecido por arquitectas da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Coimbra. Numa época em que todos se lastimam de falta de iniciativas e de empreendedorismo, é lamentável esta ocorrência. A decisão penaliza Alpiarça e a economia da região. Compromete a concretização da Rota da Cultura Avieira, ao longo do rio Tejo, entre a Marina do Parque das Nações e Abrantes. Penaliza indirectamente outro investimento em Alpiarça, de restauro de um hotel rural, que só ganharia com a aldeia reabilitada. Estas verbas a fundo perdido serão agora devolvidas a Bruxelas, sem retorno. O QREN termina em 2013 e não haverá no futuro outras oportunidades como esta. A Câmara sabe que no futuro não terá oportunidade de fazer o que hoje podia fazer e rejeitou. A aldeia do Patacão restaurada seria candidata a aldeia histórica de Portugal, e reforçaria a candidatura da cultura Avieira a património nacional, quando sabemos hoje tratar-se da única cultura palafítica fluvial da Europa. O Patacão é a mais genuína aldeia de todas as aldeias Avieiras do Tejo e do Sado. Perde a região, perdemos todos nós, com a desistência da Câmara em relação a um projecto económico, cultural e identitário. Inclusive não se teve em conta que a cultura Avieira faz parte da simbologia do concelho, dado que o brazão da Junta de Freguesia de Alpiarça ostenta o rio Tejo e uma bateira Avieira. Em relação à limpeza da aldeia, foi recordado à Câmara - nessa sessão da Assembleia - que a AIDIA e os voluntários que trabalharam para limpar a aldeia do Patacão ofereceram, ao longo de dois anos, 190 (cento e noventa) dias-homem de trabalho voluntário. A Câmara considerou agora ter outras prioridades para parar com os trabalhos de manutenção da limpeza feita. Com isso está a permitir que a natureza tome de novo conta da aldeia, voltando esta a ser engolida pelas silvas e pelas figueiras bravas como já está a acontecer, e deitando a perder todo o trabalho realizado. A AIDIA pagou aos operadores de máquinas para assegurar a limpeza e para lá foi com dezenas de voluntários para realizar um trabalho que foi exemplar, como serviço cívico à comunidade, e idêntico a outros trabalhos que a associação tem realizado na limpeza das marachas do Tejo e do Paul da Gouxa. A Câmara não garantiu a continuidade dos trabalhos, apesar de se ter por várias vezes sugerido que o fizesse. No futuro será muito mais difícil. Ainda na mesma sessão da Assembleia Municipal informou-se que a AIDIA ofereceu o trabalho gratuito de dois dos seus voluntários - Armindo Leite e Júlio Lobo - para assegurar a limpeza e a manutenção da Vala Real de Alpiarça ao longo de todo o ano. Esta oferta foi feita por carta enviada ao presidente da Câmara em 2011, sem nunca ter havido uma resposta por parte do executivo. Foi referido pelo representante da AIDIA nesta Assembleia que não se deve recusar ofertas destas, quando se sabe que a Vala Real de Alpiarça é um dos pontos de atracção turística local, numa localidade que tanta falta tem de locais para atrair os turistas. Se há dificuldades financeiras, como explicar o desinteresse na oferta de trabalho voluntário qualificado para uma acção relevante para a economia local? Por fim foi também referido que a AIDIA propôs a adaptação do edifício histórico-patrimonial da antiga adega do Sr. João Duarte, que fica no largo em frente da Câmara Municipal. O investimento para a adaptação é elegível no contexto do projecto dos Avieiros, podendo fazer parte da mesma proposta de investimento que inclui a aldeia do Patacão, porque a AIDIA propôs a adaptação do edifício, para que ali seja edificado o Museu Nacional da Cultura Avieira. Para este trabalho, no valor de 150.000 euros, conta-se com fundos perdidos do QREN a 85%, sendo os restantes 15% divididos entre a Câmara Municipal, a AIDIA e o Albandeio (Grupo Etnográfico de Alpiarça). A AIDIA possui onze embarcações Avieiras, preparadas para serem musealizadas, e o Albandeio possui inúmeras peças etnográficas dos Avieiros que tem recolhido junto da comunidade Avieira de Alpiarça - num património único, muito valioso e atractivo para ser conhecido pelos turistas. Foi provado que este pólo museológico se ligaria ao Museu dos Patudos e à aldeia do Patacão, aumentando e enriquecendo a oferta turística,contribuindo para que os visitantes prolongassem pelo menos por um dia a sua estadia em Alpiarça. A estas propostas, que se podem considerar como valiosas ofertas à Câmara e aos munícipes de Alpiarça, respondeu o Sr. presidente da Câmara ter-se optado por demolir o histórico edifício, para ali fazer surgir um jardim, com uma estátua. Foi sugerido, com alguma emoção, que se pondere o que se vai fazer e se opte por uma solução que tenha em conta todo o trabalho realizado pela AIDIA e pelo projecto dos Avieiros, ao longo de tantos anos, e que se conjuguem os projectos, para valorizar Alpiarça e a região, e que se criem postos de trabalho, numa altura em que todos estamos tão necessitados de investimentos desta natureza.

A direcção da AIDIA.


ANEXOS: NOTÍCIAS DO JORNAL MIRANTE ONLINE RELACIONADAS


Recuperação da aldeia avieira do Patacão é para fazer mas não para já É intenção da Câmara de Alpiarça recuperar as casas palafitas da aldeia avieira do Patacão (estrada do campo que liga Alpiarça à Chamusca) mas não poderá ser nos próximos tempos. O presidente da autarquia, Mário Pereira (CDU), avançou com a informação depois do munícipe João Serrano – responsável do projecto de candidatura avieira a património nacional _ ter questionado o executivo, durante a última assembleia municipal, se a autarquia está a pensar recuperar e preservar a aldeia avieira. Mário Pereira confirma que continua com o objectivo de recuperar a aldeia mas neste momento não é possível devido às dificuldades financeiras que tanto a câmara como o governo atravessam. O autarca esclareceu disse que neste momento cada município só pode apresentar uma candidatura ao QREN (Quadro Referência Estratégico Nacional). O executivo municipal de Alpiarça optou por concorrer aos fundos comunitários para avançar com a obra dos arranjos exteriores dos paços do concelho. João Serrano referiu que o investimento na recuperação da aldeia avieira, no valor de um milhão oitocentos e cinquenta mil euros, não teria qualquer custo para o município. Um milhão de euros desses investimento seria a fundo perdido e 850 mil euros pago por um investidor privado. No entanto, Mário Pereira referiu que não é bem assim e que a autarquia teria sempre que ter encargos financeiros, que neste momento não estão em condições de o fazer. O deputado municipal João de Brito (PSD) referiu que, a avançar, este é um investimento que traz mais valias para Alpiarça. Graciete Brito (PS) afirmou que seria de todo o interesse que a aldeia do Patacão fosse reabilitada. O projecto de candidatura da cultura avieira a património nacional, que tem um investimento estimado de 30 milhões de euros, envolvendo 39 instituições de todo o país, prevê a recuperação das aldeias avieiras desde a Azambuja até à Golegã. Em relação à limpeza que é feita com regularidade na aldeia do Patacão (estrada de campo que liga Alpiarça à Chamusca), Mário Pereira garante que na Primavera vão voltar a limpar o espaço.


http://www.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=54&id=55754&idSeccao=479&Action=noticia#. UNrS0W-pBtq


Recuperado em: quarta-feira, 26 de Dezembro de 2012


Obra dos arranjos exteriores dos paços do concelho de Alpiarça gera discórdia A obra dos arranjos exteriores dos paços do concelho de Alpiarça, cujo arranque está previsto para o início de Janeiro de 2013, provocou alguma discussão na última sessão da assembleia municipal. O deputado municipal Paulo Sardinheiro (PS) questionou a prioridade da obra e espera que esta não seja a obra da "vergonha" do executivo municipal. "O país está em crise e nós vamos avançar com uma obra que vale zero em termos de investimento. Há pessoas em Alpiarça com muitas carências, com fome. Será que esta obra é assim tão prioritária só para que possam cortar a fita da inauguração em Setembro, na véspera das eleições autárquicas", criticou Sardinheiro. O eleito socialista referiu que o espaço merece que a obra seja feita mas questiona se o dinheiro não poderia ser canalizado para outros projectos que criem emprego e levem visitantes a Alpiarça. O presidente do município, Mário Pereira (CDU), refere que foi uma opção do executivo e que esta obra vai desenvolver bastante uma zona muito importante da vila. O autarca explicou ainda que para executar a obra, o executivo decidiu deitar abaixo uma antiga adega, desactivada, _ conhecida pela adega do João Duarte -construída junto ao edifício dos paços do concelho em 1955. Esta decisão provocou outra discussão. O munícipe João Serrano, presente na sessão, indignou-se com a decisão do executivo municipal e pediu directamente ao presidente para que não fizesse isso. Serrano sugeriu mesmo que a antiga adega acolhesse um futuro Museu Nacional de Cultura Avieira. Mário Pereira explicou que visitou o antigo edifício com um arquitecto e ainda pensaram reabilitá-lo mas, segundo o autarca, o investimento nunca seria inferior a um milhão de euros, dado o avançado estado de degradação. Por isso optaram por deitar o edifício abaixo. "A antiga adega foi construída como um edifício de recurso, feito através de técnicas rudimentares e por isso seria necessário um grande investimento",justificou. Em relação à proposta para a criação do Museu Nacional de Cultura Avieira em Alpiarça, Mário Pereira mostrou-se receptivo à ideia e disse que o executivo municipal está aberto a discutir o assunto e a ouvir ideias.


http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=54&id=55739&idSeccao=479&Action=noticia#.U Nrkwm-pBto



Recuperado em: quarta-feira, 26 de Dezembro de 2012 


publicado por Noticias do Ribatejo às 21:28
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12


21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

TEMAS DE SAÚDE:

Intimidade

Município de Santarém co-...

Câmara Municipal de Salva...

REMODELAÇÃO DA SINALIZAÇÃ...

Análise de investimento r...

Santarém – Prisão prevent...

ENSINO SUPERIOR NO DISTRI...

Entroncamento comemora o ...

CARTAXO REFORÇA APOIO À V...

Conversas com Café… Comun...

Branca de Neve e os Sete ...

Dia Mundial da Alimentaçã...

Concursos Nacionais no CN...

A renovada Sinagoga de To...

Temporada da Música 2019

NERSANT está em Macau a p...

Centro Cultural Azambujen...

Tomar recebe Seminário Na...

Grupo Tradicional "Os Cas...

Município de Azambuja com...

Anselmo Borges em Tomar d...

Arranque do ano letivo 20...

CONSTRANGISMENTOS E EVENT...

Lançamento do Guia Percur...

Município do Cartaxo cele...

Município do Cartaxo cele...

Discoteca Lipp’s reabre p...

FESTA DAS VINDIMAS EM VIL...

Exposição e concerto evoc...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds