NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 26 de Maio de 2013
TEMAS DE SAÚDE: Desde a pré história que os homens se preocupam com o seu bem estar e com a sua qualidade de vida

 Por: Antonieta Dias (*)


Desde essa data que a matemática, tem acompanhado a medicina, em muitos dos seus procedimentos, tornando-a num precioso complemento da actividade desenvolvida pelos médicos.

Ao longo dos tempos a investigação científica tem tido um papel preponderante na pesquisa  das soluções  dos problemas que afectam a humanidade e que poderão ser resolvidos através do conhecimento obtido  e efectuado com a dedicação de investigadores de elite

Se alguém pensava que a medicina se praticaria sem evidência científica,está  completamente absoleto e desenquadrado da sociedade em que vivemos.

Todavia, a matemática é uma ciência que a medicina não prescinde e sem ela a evolução da pratica médica nao seria viavel, porém, de nenhuma forma, podemos reduzir a medicina apenas e só aos números.

Apesar, de ser absolutamente imprescindível, em vários actos médicos, desde o cálculo das doses até aos actos estatísticos mais sofisticados, o seu papel será sempre complementar.

Não podemos, de forma nenhuma aceitar que os actos médicos, se transformem numa mera aplicação da matemática.

Senão, vejamos o que acontece no dia a dia da prática clínica do médico:

1-Padronização da consulta, 15 minutos

Este tempo aplicado à consulta de um idoso, em que a recolha da história clínica, demora e ultrapassa quase sempre esta média,  não deixando, como é óbvio tempo para a observação clínica, muito menos para o raciocínio clínico, que conduziria ao diagnóstico.

E então, como resolver esta situação?

Interrompemos o doente durante a exposição das suas queixas, omitimos, o exame objectivo, não fazemos o raciocínio clínico, não diagnosticamos a doença?

E o doente o que é lhe acontece?

E a responsabilidade médica?

Fico à espera da resposta matemática.

2-Suponhamos que estamos a realizar uma cirurgia, cujo tempo médio estimado são duas horas, porém, surgem complicações que implicam mais tempo operatório, que fazemos?

Interrompemos a cirurgia para que o horário seja respeitado?

E o doente o que é lhe acontece?

E a responsabilidade médica?

Fico à espera da resposta da matemática.

3-Entro impreterivelmente às 08:00 horas da manhã, que é o meu horário, de entrada, porém, não consigo cumprir as actividades programadas para esse dia devido à complexidade das situações clínicas, decorrentes dos actos médicos previstos para esse dia.

Interrompo as minhas actividades, para cumprir o horário?

E o doente o  que é lhe acontece?

E a responsabilidade médica?

Fico à espera da resposta da matemática.

Apenas com estes três simples exemplos, constatamos, que a profissão do médico, não pode ser usada, através de formulas matemáticas, por mais complexas que elas sejam.

O doente é uma pessoa, que exige de nós tempo, dedicação, respeito, responsabilidade, compreensão, humanidade, sendo a sua expectativa muitíssimo elevada em relação a nossa actuação.

O grau de exigência para um profissional médico é elevadissimo, e o respeito, que o doente nos merece, não pode ficar condicionado aos números.

Os profissionais médicos, dedicam a sua vida à sua profissão, onde o doente é a pedra basilar do acto médico, e só assim se compreende que a assistência ao doente, conduza obrigatóriamente a um sacrifício sobre humano do médico, que  priva a sua família, os seus amigos, e a sua vida, devido à dedicação aos seus doentes.

Só assim se compreende, que trabalhe noite e dia, que não tenha fins de semana, que por vezes não festeje o Natal com a familia, porque os seus deveres profissionais assim o exigem.

Nunca, os médicos tiveram necessidade que lhes orientassem os seus procedimentos, e talvez não seja por acaso que se ouve com muita frequência esta frase dos doentes "o meu médico não devia morrer".

Estas são algumas das razões que nos conduzem à necessidade, de entregar aos médicos a orientação dos destinos dos doentes, quer na gestão, quer no tratamento.

O respeito que a sociedade dedica à profissão dos médicos, tem a ver com a dedicação exclusiva que estes têm aos seus doentes e com os resultados obtidos, no seu trabalho.

É tempo de voltar a dar a César o que é de César.


(*) Doutora em Medicina



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:00
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

"O medo tem alguma utilid...

Município de Azambuja ass...

Ano letivo 2019-2020 arra...

Tomar – Prisão preventiva...

Arroz é rei em novo event...

PSD visita operação de li...

Fórum Cultural em Arruda ...

CÂMARA MUNICIPAL DO CARTA...

Santarém retoma liderança...

União de Tertúlias de Aza...

Mercado de Outono e ofici...

ATIVIDADES PRIMEIRO FIM D...

ELA É UMA MÚSICA OCUPA VA...

Espaço Cidadão em Aveiras...

Politécnico de Santarém a...

Centro Cultural recebe se...

X Maratona BTT NO TRILHO...

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A...

CÂMARA ENTREGOU FICHAS ES...

"Love Conquers All", no J...

Rock na Aldeia 2019

Município de Azambuja ass...

Parabéns Cátia Mateus!......

O Movimento Juntos pelo R...

Joana Bagulho toca Carlos...

NERSANT Business soma já ...

TEMAS DE SAÚDE: Sequelas ...

Não nascemos para sermos ...

‘Os homens e as mulheres ...

Sessões de Yoga para cria...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds