NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 28 de Julho de 2013
TEMAS DE SAÚDE:  Varfarina

 

Por: Antonieta Dias (*)


A varfarina é um potente anticoagulante, que está indicada principalmente no tratamento dos doentes que padecem de fibrilação auricular, para a prevenção do tromboembolismo pulmonar e venoso, nos doentes que têm antecedentes de trombose ou embolia, bem como nos portadores de próteses valvulares cardíacas artificiais.A hipocoagulação oral é um tratamento destinado a diminuir a capacidade de coagulação do sangue, cujo objectivo é minimizar a formação de coágulos sanguíneos “trombos”, responsáveis por provocarem doenças graves, designadamente acidentes vasculares cerebrais ou tromboembolismo pulmonar.

A varfarina é ministrada por via oral em comprimidos, sendo a posologia prescrita de forma individualizada para cada paciente de acordo com os valores do INR e da taxa de protrombina.

A dose inicial a ser ministrada deve ser de 2.5 mg a 5 mg por dia, ajustada aos resultados do INR, sendo na maioria dos casos a manutenção com doses de 2.5 mg a 10 mg/dia.

Tem como efeito a inibição dos fatores de coagulação dependentes da vitamina K.

O tempo de tratamento também deverá ser prescrito de forma individualizada, cuja periodicidade de tratamento vai depender da patologia em si.

O efeito adverso mais frequente desta terapêutica é a hemorragia, que pode surgir em qualquer local do corpo, nomeadamente como epistaxis (sangramento na região nasal), hematúria(presença de sangue na urina), equimoses e hematomas dispersos pelo corpo, feridas muito sangrantes, que poderão conduzir a anemia.

Outros efeitos adversos destes fármacos incluem a queda de cabelo, dispepsia (náuseas, vómitos, aerocolia), diarreia, dor abdominal, dor de cabeça, toracalgias, urticária, cansaço, intolerância ao frio ou ainda perda da consciência.

Este medicamento faz com que o sangue se torne mais fino diminuindo o efeito da coagulação do mesmo, interferindo assim na inibição de formação de trombos ou coágulos, sendo prescrito com o objetivo de prevenir os acidentes vasculares cerebrais ou outras patologias, que pela sua gravidade podem deixar sequelas graves nos doentes oumesmo provocar acidentes fatais.

A varfarina não deve ser ministrada nas primeiras vinte e quatro horas antes ou após cirurgia ou parto, nas ameaças de abortamento, nos doentes que sofrem de doenças hepáticas ou renais graves, na hemofilia, nos aneurismas cerebrais ou aórticos, nas situações de hemorragia, nas feridas ulcerativas ou abertas, na lactação ou gravidez, nas úlceras ativas gastro intestinais, nas situações de endocardite bacteriana, ou hipertensão não controlada, nos doentes que não têm possibilidade de realizar o controlo do fármaco em laboratórios fiáveis, nas crianças e nas situações em que existe risco de hipersensibilidade ao fármaco.

Os idosos, os doentes com deficiência de vitamina K e os doentes com hipertireoidismo, exigem cuidados especiais, sempre que se tem que instituir esta terapêutica.

Nos casos em que ocorram situações hemorrágicas  graves deve-se interromper a varfarina e ministrar um anticoagulante.

Nas alterações ponderais também há necessidade de ajuste farmacológico da dose.

Estes medicamentos quando utilizados exigem um controlo laboratorial periódico, sendo a análise do sangue para determinar as concentrações, designada por INR, sendo o parâmetro normal de INR um.

Nos doentes que estão hipocoagulados os valores do INR exigido deve estar compreendido entre 2.0 a 3.0 (prevenção e tratamento fibrilação  auricular, tromboses venosas, embolias pulmonares)e nos doentes com próteses valvulares os valores de INR variam entre 3 e  4.5 (próteses valvulares mecânicas), para que o doente seja considerado controlado.

Se o paciente tem parâmetros analíticos de INR superiores a 5, o risco de hemorragia é muito elevado, sendo tanto mais grave a ocorrência da hemorragia quanto mais alto estiver este valor, devido ao risco de sangramento espontâneo.

O controlo do INR é  fundamental nos doentes hipocoagulados com varfarina, devendo ser realizado com rigor e aconselhado a todos os doentes que se encontram hipocoagulados.

Cada paciente deve ser portador de um cartão de identificação cujo registo deverá permitir detetar com segurança o grau de gravidade do risco hemorrágicos.

Assim, exigem um tratamento especial, sobretudo nas situações em que são vítimas de traumatismos.

Todo o doente que se encontra hipocoagulado, tem de ser permanentemente monotorizado e controlado, não só no âmbito dos cuidados alimentares, mas também quando necessitam de tratamento com outros fármacos que podem interferir com os valores sanguíneos do INR, pois irão interagir com a varfarina, podendo até inibir a sua ação e favorecer o aparecimento de tromboses ou aumentar os riscos de hemorragia.

A anticoagulação oral deve ser mantida enquanto existir a doença de base que motivou a introdução da terapêutica.

Nalguns doentes poderá ser uma terapêutica para toda a vida.

A prescrição de qualquer fármaco num doente hipocoagulado deve ser sempre alvo de uma ponderação, cuja responsabilidade médica é vital, exigindo rigor na sua utilização e um controlo laboratorial rigoroso e muito apertado.

Contudo, sempre que haja necessidade de associar algum medicamento, temos que ter bem presente que certos fármacos podem potenciar os efeitos da varfarina e aumentar o INR, dos quais destacamos os antibióticos do grupo das cefalosporinas, ciprofloxacina, norfloxacina, o grupo dos macrólidos (azitromicina e eritromicina),as tetraciclinas ou outros antibióticos como o sulfametoxazol/trimetroprim, e toda e qualquer droga potencialmente hepatotóxica.

Certo é que se uma mulher hipocoagulada com varfarina necessita da utilização de um creme vaginal ou de supositórios de miconazol, deve pedir sempre o parecer ao seu médico assistente.

A título meramente informativo deixamos aqui a referência dos seguintes fármacos que também têm influência sobre os níveis plasmáticos da varfarina como por exemplo a cimetidina, clopidrogrel, corticoides, esteroides anabilizantes, estatinas, disulfiram, clofibrato, metronidazol, fluconazol, omeprazol, fluoxetina, sertralina, amitriptilina/nortriptilina, azapropazona, indometacina, paracetamol, alopurinol, glucagon,ácido mefenâmico, cetoconazol, ácido nalidixico, hormona tireoideia, fluorouracil, tamoxifeno, isoniazida,  vacina para a gripe, tendo assim de ser utilizados sempre com muito cuidado.

Porém, outros  fármacos podem inibir a varfarina e diminuir o INR, dos quais destacamos alguns medicamentos utilizados na prática clinica diária, designadamente anticonceptivos orais, haloperidol, carbamazepina, griseofulvina, fenobarbital, glutatimida,  rifampicina, vitamina K, sulcralfato, rifampicina, azitrioprina e drogas que bloqueiem a produção de hormonas tireoideias, quetambém nãopodem ser esquecidas.

Mas não são só  os fármacos que interferem com a varfarina, também certos alimentos são responsáveis pelos fatores potenciadores da inibição da varfarina e que irão assim diminuir o INR, dos quais citamos os alimentos ricos em vitamina K, cuja lista pela sua importância passamos a descrever: bróculos, repolho, couve, couve flor, asparagus, espinafres,  couve de bruxelas, grão de bico, lentilhas, mamão, abacate, feijão verde, ervilha, aipo, salsa, beterraba, nabo, alface, soja, quiabo, chucrute, agrião, fígado, azeite de oliva, que obrigam a fazer acertos das doses de varfarina ministradas a estes doentes.

Não podemos esquecer outros remédios denominados como naturais e que também podem interagir com a varfarina dos quais destacamos  a erva de São João(hypericum perforatum), castanha da índia, óleo de peixe, chá-verde, camomila, ervas chinesas, ginckgo biloba, salvia miltiorrhiza, tanacetum parthenium, feno-grego com boldo (peumus boldus), ginseng (panax sinensis), garra do diabo (harpagophytum procumbens).

Importa, ainda referir que o alcoolismo agudo, inibe a metabolização e eleva o INR e que o alcoolismo crónico aumenta a metabolização da varfarina e diminui o INR.

Estes são alguns dos principais medicamentos e alimentos que podem interferir com a anticoagulação, porém estas listas são muito mais extensas, obrigando sempre a consultar exaustivamente as reações adversas dos fármacos para que o procedimento médico seja sempre seguro, rigoroso, baseado e suportado no conhecimento científico.

Todavia, o maior risco não resulta no uso de qualquer um destes medicamentos ou alimentos, mas sim sobretudo quando se inicia ou se retira algum deles.

Sempre que o doente inicia um novo fármaco ou modifica os seus hábitos alimentares deve fazer o controlo do INR, tendo em conta que pode ser necessário aumentar ou reduzir a dose de varfarina para manter os níveis adequados do INR de forma a que o doente esteja protegido.

Em suma, a prática da medicina para além de ser uma ciência e uma arte que pertence aos profissionais médicos, cuja responsabilidade e exigência do raciocínio clinico e da decisão terapêutica obriga a uma atualização permanente devendo pois ser respeitada e entendida como uma atividade profissional de alto risco.

(*) Doutorada em medicina



publicado por Noticias do Ribatejo às 11:22
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

Traga as suas plantas par...

Município do Entroncament...

ExpoAlcanede dá a conhece...

Casa cheia em Benavente p...

Município da Chamusca ala...

Inscrições para a Univers...

Município do Entroncament...

JORNADAS DE CULTURA ATÉ 2...

Festival de música Cartax...

Tertúlia Festa Brava orga...

“Quando ela… é ele!” teat...

Professores dos 3 Agrupam...

CARTAXO VOLTA A APRESENTA...

Jovens atores da Chamusca...

Tomar dá o corpo ao manif...

Programa de Educação Pare...

“Chamusca das Três Graças...

ERROS GROSSEIROS NA ELABO...

Festival de música Cartax...

Há apoios do Portugal 202...

‘Santarém em Cena’ reúne ...

Teatro Sá da Bandeira ini...

Ceyceyra Medieval a 21 e ...

TEMAS DE SAÚDE: Doente on...

"O medo tem alguma utilid...

Município de Azambuja ass...

Ano letivo 2019-2020 arra...

Tomar – Prisão preventiva...

Arroz é rei em novo event...

PSD visita operação de li...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds