NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -

Terça-feira, 27 de Outubro de 2009
Distrito de Santarém vai perder população

Distrito de Santarém vai perder população 

Um estudo revela que em 2030 o distrito poderá ter menos cerca de 19 mil habitantes do que actualmente

   

O Governo Civil de Santarém publicou um estudo que revela uma tendência preocupante de quebra de população no distrito nas próximas décadas.
O problema é mais preocupante em concelhos como Tomar e Abrantes onde a perda de habitantes se vai acentuar até 2030.
Essa tendência já se verifica e vai agravar-se noutros municípios como Mação, Sardoal e Chamusca.

O jornal “Público” de hoje inclui uma notícia sobre o tema:


Santarém deve perder população já a partir de 2010 Coruche pode crescer
 

fonte: Jornal O Templário



publicado por Noticias do Ribatejo às 13:00
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 23 de Outubro de 2009
Taça Ribatejo ao rubro

 

 

42-16935174

A uma jornada do fim da fase de grupos houve poucas surpresas e várias equipas perderam a esperança de passar para a 1ª eliminatória. Não há, por enquanto, líderes indefectíveis.

Uma dos resultados inesperados aconteceu no grupo 1, em Alcanena, onde a equipa de José Torcato perder a oportunidade de resolver o apuramento. O inesperado empate com o Ouriense adiou a decisão, para qualquer das equipas. A última jornada do Alcanenense em Caxarias promete ser uma final, pois a equipa da casa também almeja passar.

No grupo 2, o Riachense protagonizou uma das goleadas da jornada frente ao Assentis. Torres Novas também venceu, sendo que as duas equipas do mesmo concelho assegurarão provavelmente os dois primeiros lugares. O jogo adiado entre as mesmas (dia 1 Dezembro) será o grande dérbi para atribuir o primeiro lugar.

O Alferrarede foi mais uma equipa do escalão superior que não conseguiu ultrapassar o adversário da Secundária. Como no campeonato, os dragões ainda não conseguiram atiçar a chama e já estão arredados do apuramento. O Tramagal foi quem arrancou um ponto ao Alferrarede e adiou o apuramento para a última jornada com o Pego, que venceu sem dificuldades o Mouriscas.

No grupo 4, só o Pernes ficou já arredado da possibilidade de passar a fase de grupos, após a derrota em casa com o Moçarriense. Ainda assim é o Amiense e o Mindense que estão em melhor vantagem para ficar em primeiro, uma vez que têm um jogo a menos.

O Ouriquense redimiu-se da última derrota em casa contra uma equipa do campeonato abaixo do seu, o Emp. Comércio. Desta vez o Estrela venceu o Rio Maior e recolocou-se na corrida pelo segundo lugar. Os Caixeiros é que estão na mó de cima, venceram o Pontével e basta o empate na última jornada para garantir o apuramento. O Pontével está arrumado.

Noutro grupo (6), o Fazendense vai aproveitando para fazer o que não consegue no campeonato; já leva duas vitórias. Pela segunda vez conseguiu uma vantagem folgada, se bem que contra equipas da divisão inferior à sua. Coruchense e Barrosense já estão eliminados, uma vez que também o Benavente bateu a equipa de Coruche. Resta saber quem será o líder deste grupo.

Mais uma equipa da Secundária a fazer melhor figura do que alguns adversários da Principal: os Ferroviários assumiram-se como os líderes do grupo 7 ao arrancar um empate em Tomar. Os nabantinos ainda têm a vantagem de um jogo a menos, com o Ferreira do Zêzere. Estes já estão eliminados, uma vez que perderam com a Linhaceira, que se colocou no segundo lugar e vai jogar com o Tomar na próxima jornada.

Tal como o Fazendense, o Mação vai tomando o gosto de ganhar na Taça, tentando passar o ritmo das vitórias para o campeonato. No grupo 8, a turma de Zé Carlos deu uma mão cheia de golos ao Meiaviense, reivindicando o estatuto de primodivisionário. Destaque também para o Atalaiense que venceu pela primeira vez este ano em competições oficiais, afastando definitivamente o Sardoal da Taça.

O Glória segue na liderança do grupo 9, consequência da vitória fácil sobre o U. Chamusca, que já não tem hipótese. Já o invicto Almeirim ganhou, não sem luta, os primeiros três pontos ao Marinhais, mas ainda tem um jogo a menos. Serão os almeirinenses que provavelmente acabarão como líderes do seu grupo, ficando a corrida interessante pelo segundo lugar entre Glória e Marinhais.

Por fim no grupo 10, o Cartaxo ficou com a vida facilitada depois de marcar meia dúzia ao Salvaterrense, eliminando-o. O Samora Correia, que já tinha causado contratempos ao Cartaxo no último jogo, venceu o Porto Alto e é o favorito ao segundo lugar.

A última e decisiva jornada (excepto nos casos em que houve jogos adiados) vai ser no dia 1 de Novembro, após a qual veremos quais os seis melhores segundos lugares.

 TAÇA RIBATEJO – 2º JORNADA:; Grupo 1  Alcanenense-Ouriense, 1-1, Caxarias-Cercal, 3-0

Classificação 1º – Alcanenense 4 pontos, 2º Ouriense, 4 pontos, 3º Caxarias, 3 pontos, 4º Cercal 0 pontos

Grupo 2  Riachense-Assentis 5-0, Goleganense-T. Novas, 1-3

Classificação: 1º Riachense, 3 pontos *, 2º Torres Novas, 3 pontos *, 3º Goleganense, 3 pontos, 4º Assentis, 0 pontos

Grupo 3  Alferrarede – Tramagal 1-1, Mouriscas – Pego 0-3

Classificação 1º Pego, 6 pontos , 2º Tramagal, 4 pontos, 3º Alferrrarede, 1 ponto, 4º Mouriscas, 0 pontos

Grupo 4  Amiense-Mindense, 3-0, Pernes-Moçarriense, 0-5

Classificação, 1º Amiense, 3 pontos *, 2º Moçarriense, 3 pontos *, 3º Mindense, 3 pontos, 4º Pernes, 0 pontos

Grupo 5  Ouriquense-U.D. Rio Maior, 2-1, Pontével-Emp. Comércio, 1-2

Classificação 1º Emp. Comércio, 6 pontos, 2º Rio Maior, 3 pontos, 3º Ouriquense, 3 pontos, 4º Pontével, 0 pontos

Grupo 6 Fazendense – Barrosense 4-1, Benavente – Coruchense 2-0

Classificação, 1º Fazendense, 6 pontos, 2º Benavente, 6 pontos, 3º Coruchense, 0 pontos, 4º Barrosense, 0 pontos

Grupo 7 , U. Tomar-Ferroviários, 1-1, Linhaceira-F.Zêzere, 2-1

Classificação, 1º Ferroviários, 4 pontos, 2º Linhaceira, 3 pontos, 3º U. Tomar, 1 ponto *, 4º F. Zêzere, 0 pontos *

Grupo 8  Mação-Meiaviense, 5-0, Atalaiense-Sardoal, 3-1

Classificação 1º Mação, 6 pontos, 2 º Meiaviense, 3 pontos, 3º Atalaiense, 3 pontos, 4º Sardoal, 0 pontos

Grupo 9  U. Almeirim-Marinhais, 1-0, Glória-U.Chamusca, 4-1

Classificação, 1º Glória, 4 ponto, 2º U. Almeirim, 3 pontos *, 3º Marinhais, 1 ponto, 4º U. Chamusca, 0 pontos *

Grupo 10  Porto Alto-Samora Correia, 1-2, Cartaxo-Salvaterrense, 6-0

Classificação, 1º Cartaxo, 6 pontos, 2º Porto Alto, 3 pontos , 3º Samora Correia, 3 pontos, 4º Salvaterrense, 0 pontos

*Tem menos um jogo

fonte:http://www.oribatejo.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:48
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009
O novo Governo de José Sócrates

 

Já é conhecida a nova equipa de José Sócrates no Governo.
Conheça a lista completa de todos os ministros do novo Executivo:

Ministro da Presidência: Pedro da Silva Pereira
Ver perfil
Ministro dos Assuntos Parlamentares (muda de pasta): Jorge Lacão Ver perfil
Ministro dos Negócios Estrangeiros: Luís Amado Ver perfil
Ministro do Estado e das Finanças: Teixeira dos Santos Ver perfil
Ministro da Defesa Nacional (muda de pasta): Augusto Santos Silva Ver perfil
Ministro da Administração Interna: Rui Pereira Ver perfil
Ministro da Justiça (novo): Alberto Martins Ver perfil
Ministro da Economia, Inovação e Desenvolvimento (muda de pasta): José Vieira da Silva Ver perfil
Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e Pescas (novo): António Manuel Serrano
Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (novo): António Augusto Mendonça
Veja o perfil
Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior: Mariano Gago Ver perfil
Ministro do Ambiente e Ordenamento do Território (novo): Dulce Fidalgo Pássaro Ver perfil
Ministro do Trabalho e Solidariedade Social (novo): Maria Helena Santos André Ver perfil
Ministro da Educação (novo): Isabel Alçada Ver o perfil
Ministro da Saúde: Ana Jorge Ver o perfil
Ministro da Cultura (novo): Maria Ferreira Canavilhas Ver o perfil


publicado por Noticias do Ribatejo às 18:59
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009
TORRES NOVAS- Liga de Amigos do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Centro Hospitalar do Médio Tejo foi criada

 

A Liga de Amigos do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Centro Hospitalar do Médio Tejo (LASGO-CHMT) já foi criada formalmente, por escritura notarial. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos, que tem como principal objectivo dinamizar um vasto conjunto de iniciativas que contribuam para a divulgação e progressão do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia e facilitem a sua aproximação à população da área de influência do Centro Hospitalar do Médio Tejo, nomeadamente de Ponte de Sôr a Alcanena e da Chamusca à Sertã.

 

 

Presidida pelo Director do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do CHMT, Mário Furtado, a Liga irá promover, já no próximo ano, as primeiras Jornadas de Ginecologia e Obstetrícia do CHMT, que irão reunir, em Abrantes, profissionais de saúde de diferentes pontos país. Paralelamente irão ser desenvolvidas acções que permitam uma maior aproximação dos utentes a este Serviço. Actualmente já é proporcionada a todas as grávidas interessadas, à terça-feira, às 10h30, uma visita prévia às instalações, acompanhadas por um profissional de saúde que explicará todo o funcionamento e esclarecerá todas as dúvidas. Recorde-se que o Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia do CHMT, a funcionar em Abrantes, realiza em média 1100 partos anuais, prevendo-se que no próximo ano venha a atingir os 1300 nascimentos, garantindo a todas as grávidas o direito à epidural e a condições de privacidade que permitem o acompanhamento permanente de um elemento da família, uma vez que a grávida faz todo o trabalho de parto e próprio parto na mesma sala individual.

 

fonte: http://www.radiohertz.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 18:58
link do post | comentar | favorito

Domingo, 18 de Outubro de 2009
TORRES NOVAS- Festa no Futebol-Monsanto-Benfica

Dia verdadeiramente de festa da Taça, e missão completamente cumprida, sem nos limitarmos a apresentar os serviços mínimos, o que resultou em mais uma goleada. O objectivo principal, de passarmos a eliminatória, foi conseguido, e para além disso foram poupados vários jogadores importantes. Foi bonita a festa da Taça em Torres Novas, e mais uma enchente proporcionada pelo Benfica esta época.

Dos habituais titulares indiscutíveis, apenas os 'indispensáveis' David Luiz e Javi Garcia jogaram de início. De resto, mudou tudo. Moreira na baliza; Ruben Amorim, Sídnei e Peixoto na defesa, Felipe Menezes, Carlos Martins e Coentrão no meio campo; e uma dupla de ataque constituida pelo Nuno Gomes e o Weldon. O Benfica iniciou o jogo numa toada bastante calma, mas mais do que suficiente para assumir um (natural) controlo praticamente total do jogo. Poderia dizer que nem sequer exercemos a famosa pressão alta, mas ela seria desnecessária porque o Monsanto nunca tentava sair a jogar, optando pelos despejos de bola para a frente. Apesar de inofensivo no ataque, durante a primeira parte o Monsanto conseguiu ir mantendo a sua organização defensiva, e com a ajuda da pouca inspiração ofensiva do Benfica aguentou o nulo durante largos minutos, evitando ser sufocado. O Rúben Amorim esteve neste período algo desastrado no apoio ao ataque, enquanto que do outro lado o César Peixoto era quem mais parecia entusiasmar os adeptos na bancada, sendo alvo de constantes incitamentos. A organização do Monsanto começou a ruir perto da meia hora de jogo, altura em que, após uma boa jogada individual, em que ultrapassou diversos adversários, o Felipe Menezes marcou o primeiro golo, com um bom remate de pé esquerdo à entrada da área. Depois do golo, o Benfica pareceu querer acalmar ainda mais o ritmo do jogo, e deixou assim escoar sem grande ssobressaltos o tempo que nos separava do intervalo.

A segunda parte começou praticamente com o segundo golo do Benfica, com uma fífia do guarda-redes a permitir ao Nuno Gomes recuperar a bola e atrasá-la para um remate fácil do Carlos Martins. A isto seguiu-se um amarelo ao Felipe Menezes pela situação caricata de ter entrado em campo com a camisola 23 do David Luiz. E antes do quarto de hora, já o marcador tinha subido para três golos de diferença, com mais um golo do Carlos Martins, que concluiu com um bom remate de primeira um centro do Felipe Menezes. O Monsanto nesta altura já se mostrava muito mais desorganizado, em particular na zona do meio campo, e acima de tudo já pareciam faltar pernas aos seus jogadores para conseguirem acompanhar os jogadores do Benfica. Foi por isso com naturalidade que o Benfica fosse mostrando que poderia a qualquer momento marcar mais golos, o que veio a acontecer por mais três vezes nos dez minutos finais, isto numa altura em que, para alegria do povo, o Mantorras já estava em campo. Quarto golo pelo entrado Saviola, a aparecer ao segundo poste para aproveitar um desvio de bola ao primeiro poste na sequência de um canto; quinto pelo Peixoto, na execução de um livre directo, e para gáudio da sua imensa legião de fãs presente nas bancadas em Torres Novas (descobri hoje que o Peixoto já tem um cântico dedicado pelas nossas claques e tudo); e sexto pelo Fábio Coentrão, a desviar de cabeça à boca da baliza um pontapé acrobático do Saviola (e a marcar, finalmente, o seu primeiro golo pelo Benfica - parecia que estava difícil). Seis a zero no final dos noventa minutos, um resultado talvez um pouco volumoso para a qualidade do futebol que produzimos, mas natural para a diferença entre o Monsanto e o Benfica.

Não é propriamente muito relevante estar a fazer grandes destaques num jogo como o de hoje. Mas gostei do Javi, do Carlos Martins e do Felipe Menezes. E, claro, o César Peixoto é o maior - talvez neste caso específico esteja a ser influenciado pela legião de fãs fervorosos dele que se sentou à minha volta durante o jogo.

A única nota negativa deste jogo poderá ter sido o amarelo ao Javi García. Ainda não verifiquei se os amarelos da Taça de Portugal acumulam com os da Liga, mas se for esse o caso, isto deixa-o a um amarelo da suspensão. Isto nas vésperas de irmos a Braga. Quanto ao resto, é como já disse. Missão cumprida.
 Fonte: http://spiny-norman.blogspot.com/



publicado por Noticias do Ribatejo às 11:06
link do post | comentar | favorito

Sábado, 17 de Outubro de 2009
Benfica goleia fora de casa e segue na Copa de Portugal

 

 

 

LUSA

Torres Novas, Santarém, 17 out (Lusa) - O Benfica se classificou para a próxima fase da Copa de Portugal ao bater o Monsanto, da terceira divisão lusa, por 6 a 0.

Felipe Menezes abriu o placar no primeiro tempo, enquanto Carlos Martins, com dois gols, Saviola, César Peixoto e Fábio Coentrão garantiram nova goleada ao segundo colocado do Campeonato Português.

Com as arquibancadas do Estádio Municipal Dr. António Alves Vieira, em Torres Novas, vestidas de vermelho, o Benfica, sem Luisão, Ramires, Aimar e Cardozo, jogou praticamente em casa e tentou se impor desde o início.

Assumindo uma postura defensiva, o Monsanto tentava responder no contra-ataque. Em uma das ocasiões Carlitos, aos 17 do primeiro tempo, tentou surpreender o goleiro Moreira com um chapéu.

A resistência do Monsanto foi quebrada aos 29 minutos, quando o brasileiro Felipe Menezes, após uma jogada individual, conseguiu espaço para chutar e bater Rene.

Em desvantagem, Guti chegou a incomodar Moreira, chutando diretamente uma cobrança de falta sobre a lateral direita, que o goleiro do Benfica mandou para escanteio.

Após o intervalo, Carlos Martins, aos três minutos, ampliou a vantagem, com um chute colocado, após assistência de Nuno Gomes.

Logo depois, Felipe Menezes recebeu o cartão amarelo por ter voltado para o segundo tempo com uma camisa com um número diferente, no caso a número 23, do também brasileiro David Luiz.

Aos 14 minutos, Carlos Martins marcou pela segunda vez na partida, com um chute de primeira no centro da área, aproveitando um passe de Felipe Menezes.

O Benfica, sem perder o domínio da partida, voltou a marcar, com Saviola, aos 39 minutos, de cabeça, César Peixoto, aos 44, de falta, e Fábio Coentrão, nos acréscimos



publicado por Noticias do Ribatejo às 22:25
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009
PS vence no distrito em noite de grandes mudanças

 Com 37,59% dos votos, o PS foi o vencedor das eleições autárquicas no distrito, seguido pelo PSD, com 29,4%, e pela CDU, que se ficou pelos 12,23%.

Na votação final, é interessante reparar que os grupos de cidadãos e movimentos independentes (com 6,15%) conseguiram ficar à frente do Bloco de Esquerda (4,77%), e do PP (com apenas 2,47%).

Mas a noite foi de surpresas e mudanças, onde quatro Câmaras mudaram de cor política.

Destaque para Rio Maior, onde Isaura Morais, cabeça de lista da coligação “Juntos pelo Futuro” (PSD / PP) conseguiu roubar a autarquia ao histórico Silvino Sequeira.

No próximo executivo, o PSD terá quatro vereadores, contra três eleitos do PS.

Em Alpiarça, a CDU reconquistou com maioria absoluta uma autarquia que tinha perdido em 1998, para o socialista Rosa do Céu.

O candidato Mário Pereira conseguiu 49,67% dos votos, contra os apenas 42,03% da ex-deputada Sónia Sanfona, que já anunciou que nem sequer vai desempenhar o cargo de vereadora para que foi eleita.

Em Alcanena, o PS de Fernanda Asseiceira conseguiu um excelente resultado ao destronar o movimento independente que governava a autarquia, com quase mais 20% dos votos.

Em Ourém, o PSD perdeu um dos bastiões no distrito.

O ex-governador civil Paulo Fonseca apostou forte na sua candidatura autárquica e venceu para o PS com 47,35% dos votos, contra os 43,32% de Vítor Frazão, que encabeçava a lista do PSD.

Apesar do mau resultado a norte, o PSD, muito por culpa de Francisco Moita Flores obteve uma estrondosa vitória na capital de distrito.

O movimento “Viva Santarém” elege sete dos nove vereadores, deixando os outros dois para o PS, que obteve o seu pior resultado de sempre no concelho.

Duas notas importantes em Santarém: o PSD e os movimentos de cidadãos que apoiou conquistaram 20 das 28 freguesias do concelho, onde se explica boa parte desta vitória nunca vista.

A CDU fica sem representantes na Câmara Municipal e conseguiu apenas uma Junta de Freguesia.

Nos restantes concelhos, não se registaram grandes mudanças.

Sousa Gomes, em Almeirim, voltou a eleger cinco vereadores para o PS, com a CDU a manter o seu eleito, mas com o PSD a perder o vereador para o MICA, que elegeu Francisco Maurício.

Apesar do período político conturbado que se viveu no Cartaxo, Paulo Caldas manteve a maioria com quatro eleitos, mantendo-se os mesmos dois para o PSD e um para a CDU.

Benavente, Chamusca e Constância mantiveram-se na CDU, com António Ganhão a chegar aos 55% e o astrónomo Máximo Ferreira, novo presidente da Câmara de Constância, a conseguir 48, 09%.

Mas na Chamusca, Sérgio Carrinho perdeu a maioria absoluta, tendo eleito apenas dois vereadores, que vão formar o executivo municipal com outros dois do PS e um do PSD.

Pela sua vez, o PSD conseguiu manter com relativa facilidade Ferreira do Zêzere, Sardoal, Entroncamento, Mação e Tomar, onde o aparecimento de duas candidaturas independentes chegou a criar alguma expectativa.

Quanto às autarquias já geridas por maiorias socialistas, os resultados foram os esperados em Abrantes, Coruche, onde Dionísio Mendes conseguiu chegar aos 57%, Torres Novas, onde António Rodrigues também conseguiu nova maioria absoluta, e Vila Nova da Barquinha, onde Miguel Pombeiro foi reeleito com quase 60%.

Destaque só para a Golegã, onde o PS do actual presidente Veiga Maltez conseguiu eleger os cinco membros que compõem a Câmara Municipal.

Feitas as contas, o PS mantém as nove autarquias que já tinha em 2005 (perde Alpiarça e Rio Maior, mas ganha Alcanena e Ourém), o PSD também mantém sete (ganhou em Rio Maior mas ficou sem Ourém), a CDU aumenta para quatro, juntando Alpiarça às três que já tinha, e Salvaterra de Magos continua a ser a única autarquia do Bloco de Esquerda, a nível do país.

Quanto à abstenção no distrito, cifrou-se nos 40,07%, quando nas autárquicas de 2005 tinha ficado pelos 38,44%.

Dos resultados eleitorais, há outro aspecto a reter: o PS fica com maioria relativa em ambas as comunidades intermunicipais do distrito, com cinco autarquias no Médio Tejo (contra quatro do PSD e uma da CDU), e com cinco na Lezíria (uma vez que é preciso acrescentar a Azambuja), contra três da CDU, duas do PSD e uma do BE.

Fonte: O Ribatejo



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:39
link do post | comentar | favorito

Domingo, 11 de Outubro de 2009
SE mesmo assim a EDP ganha milhões fará se....

Se a “EDP” apresenta milhões de euros com a gestão quem tem, que lucro não teria se soubesse poupar com a gestão dos seus bens patrimoniais

Quantos postes de electricidade não se podem ver pelas bermas das estradas, completamente abandonados e esquecidos?

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:24
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009
Festa da Marioneta

 

A terceira edição da Festa da Marioneta vai passar por seis concelhos de Setúbal, nomeadamente pelo Barreiro, Moita, Almada, Montijo, Sesimbra e Palmela. Ana Coelho, directora executiva do Artemrede, responsável pela produção do festival, explica que os objectivos desta itinerância passam por “criar hábitos de consumo mais aprofundados em cada concelho”, através de uma arte “muito antiga”.


 

 

Ana Coelho explica que este modelo traz vantagens no plano economicista, uma vez que “possibilita trazer espectáculos mais qualificados e mais caros a mais teatros, com uma economia de escala”, e para o próprio público, que assim “pode circular pelos vários espaços”. “Juntos somos mais fortes”, conclui.

 

Na sua opinião, a marioneta é uma arte que “tem sabido recriar-se e, actualmente, é a que tem propostas mais inovadoras e arrojadas”. Além disso, Ana Coelho realça o facto de ser uma área artística que “tem sabido trabalhar em articulação com outras”, como a música ou as artes circenses. Por isso, os objectivos passam por uma oferta “o mais variada possível e abrangente”, até porque há vários tipos de marionetas, e assim consegue-se “mais variedade e mais propostas de trabalho”.

 

Além disso, Ana Coelho revela que a festa pretende “capitalizar e dar mais visibilidade” às marionetas, uma área que “está mais normalmente ligada às crianças e não é bem assim”. Assim, o festival “vai ao encontro de vários públicos e faixas etárias”. Quanto ao cartaz, que engloba sete espectáculos, quatro deles de artistas estrangeiros, Ana Coelho prefere não destacar nenhum, uma vez que “são todos diferentes, de qualidade e muito distintos entre si”. No entanto, destaca o facto de serem todos estreias nacionais.

 

A Festa da Marioneta conta ainda com uma série de oficinas complementares, que foram “reforçadas” desde a edição anterior. Ana Coelho explica que estas surgem “no âmbito do projecto educativo” do Artemrede, para que os espectáculos “não morram quando fecha a cortina” e para que haja “uma maior ligação com o público”. A Festa da Marioneta ocorre entre 1 de Outubro e 15 de Novembro e, para além dos já mencionados distritos de Setúbal, estendem-se também a Abrantes, Alcanena, Cartaxo, Sobral de Monte Agraço, Santarém, Torres Vedras, Alcobaça, Caldas da Rainha e Golegã.

Fonte da noticia:http://www.setubalnarede.pt/



publicado por Noticias do Ribatejo às 19:44
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 29 de Setembro de 2009
Câmara Alpiarça poderá ter deixado prescrever coimas por inércia

A CÂMARA PODERÁ TER DEIXADO PRESCREVER COIMAS POR INÉRCIA OU OUTRAS CAUSAS NÃO APURADAS

A Câmara Municipal de Alpiarça poderá ter deixado prescrever um número bastante significativo de coimas que remontam a 2005/2007, por inércia ou outras causas ainda não apuradas.


“I.O prazo de prescrição do procedimento contra-ordenacional há-de ser contado de acordo com as regras contidas nos artºs 27º-A e 28º, nºs 1 e 2 do Regime Geral das Contra Ordenações e Coimas (RGCOC). II.Só haverá recurso ao normativo do nº3 do artº 28º se, por força de algum facto interruptivo, desde o dies a quo (e ressalvado o tempo de suspensão) tiver já decorrido o prazo de prescrição acrescido de metade e este ainda não se tenha, efectivamente, completado. III.Nesse caso, mesmo que o prazo de prescrição não esteja efectivamente completado, ex vi do aludido nº3 do artº 28º, verifica-se a prescrição do procedimento contra-ordenacional. IV.Deste modo, a norma contida no nº3 do artº 28º do RGCOC não consagra um novo prazo de prescrição mas, somente um limite máximo do prazo de prescrição que, assim, nunca o poderá exceder.”

Quais os prazos de prescrição do procedimento contra-ordenacional?


O procedimento extingue-se por efeito da prescrição logo que sobre a prática da contra-ordenação hajam decorrido os seguintes prazos:


• 5 anos, quando se trate de uma contra-ordenação a que seja aplicável uma coima de montante máximo igual ou superior a €49.879,79;• 3 anos, quando se trate de uma contra-ordenação a que seja aplicável uma coima de montante igual ou superior a €2.493,99 e a inferior a €49.879,79;• 1 ano nos restantes casos.


No entanto, há actos processuais previstos na lei que justificam a suspensão ou interrupção da prescrição, não podendo, neste último caso, ultrapassar os prazos mencionados acrescidos de metade.


Nota: - De acordo com os vários documentos consultados, há indícios de omissão do dever legal de procedimento sancionatório que compete à Câmara Municipal de Alpiarça, como autoridade administrativa.


- Verificam-se ainda situações em que, havendo referência à prática de ilegalidades não se encontra no processo de obra o respectivo auto de notícia nem foi instaurado processo.


- Em casos de construções ilegais, observados pela fiscalização municipal e devidamente participados, não foram desencadeados os mecanismos processuais de penalização das infracções detectadas.


- Por estranho que pareça, também não foi encontrada informação da decisão de arquivamento de quaisquer processos por prescrição, pelo executivo municipal.


quid juris

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 16:22
link do post | comentar | favorito

SANTAREM-Autárquicas: Campanha eleitoral regressa aos 308 municípios

 

A campanha para as eleições autárquicas de 11 de Outubro arranca hoje nos 308 municípios portugueses, quatro anos depois de o PSD ter ganho a última corrida eleitoral para as câmaras, elegendo 158 presidentes de executivos municipais.

Em Outubro de 2005, os sociais-democratas, então liderados por Marques Mendes, conquistaram quase metade das presidências, vinte das quais em coligação com o CDS-PP, o PPM e o MPT, e mantiveram a liderança da Associação Nacional de Municípios Portugueses, lugar destinado à força política com mais câmaras no país.

Num ano em que se registou uma abstenção de 39,08 por cento, o PS de José Sócrates obteve a governação de 109 municípios, a coligação PCP/PEV de 32 e o CDS-PP e o BE, cada um, de um único executivo (Ponte de Lima e Salvaterra de Magos, respectivamente).

Diário Digital / Lusa



publicado por Noticias do Ribatejo às 10:49
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009
SANTAREM- Lobo Antunes com Céu e Silva

Lobo Antunes com Céu e Silva

 
Uma Longa Viagem com António Lobo Antunes será, a partir de agora, o retrato mais completo do escritor quesempre se proibiu de contar toda asua verdade.
A Porto Editora lançou no passado dia 24 de Setembro, o novo volume da série de entrevistas com notáveis portugueses que o jornalista João Céu e Silva transporta para livro. Uma Longa Viagem com António Lobo Antunes reúne os diálogos que o entrevistador e o autor mantiveram durante três anos de encontros.
No armazém onde escreve, António Lobo Antunes alimenta-se da difusa claridade do criador premiado e com sucesso em todo o mundo mas, ao mesmo tempo, gasta-se na escuridão do homem marcado pelas vaidades que protagonizou no passado, de um dia de violência que não esquece em Angola e da ausência de uma paixão que o cegue para a eternidade.
Ao longo desta viagem, António Lobo Antunes sorriu e chorou, contou segredos e anedotas, blasfemou e perdoou, foi cruel com quem não se espera e nada simpático com os autores de best-sellers, deixou ver como concebe um livro do princípio ao fim, confessou o medo de um dia ser incapaz de iniciar um romance, desabafou sobre o amor falhado com a mulher da sua vida, radiografou as relações com a família, revelou o pânico de voltar a sofrer com o cancro, explicou porque é que já não espera quase nada dos anos que lhe falta viver e assumiu que as tendências suicidas ainda não o abandonaram.
Uma entrevista que é uma longa-metragem dos muitos medos e das poucas alegrias que fazem de António Lobo Antunes um escritor que parece viver no limiar do apocalipse pessoal e que afirma ter no ofício da escrita a sua razão de viver.

O Autor
João Céu e Silva nasceu em Alpiarça, em 1959, licenciou-se em História durante os anos em que viveu no Rio de Janeiro e é, desde 1989, jornalista do Diário de Notícias. Publicou um livro de viagens (Caravela Tropical) e um romance (28 Dias em Agosto). Uma Longa Viagem com António Lobo Antunes é o quarto volume de uma série que pretende fazer o retrato biográfico de alguns portugueses ilustres, através de uma longa entrevista e dos testemunhos de quem os conheceu, sucedendo a Uma Longa Viagem com José Saramago, editado em Abril deste ano.


Título: Uma Longa Viagem com António Lobo Antunes
Autor: João Céu e Silva
Fonte:
http://planetamarcia.blogs.sapo.pt/


publicado por Noticias do Ribatejo às 14:19
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 21 de Setembro de 2009
Cerca de 60 toneladas de boletins de voto distribuídos pelo país

Mais de 11 milhões de boletins de voto foram impressos para as eleições legislativas, que se realizam a 27 de Setembro, o que corresponde a 60 toneladas de papel reciclado que custou cerca de 280 mil euros.

 
De acordo com dados divulgados à Lusa pela Direcção-Geral de Administração Interna (DGAI) foram impressos 11.821.500 milhões de boletins de voto em papel reciclado pela Imprensa Nacional - Casa da Moeda, um trabalho que custou aproximadamente 280 mil euros.
 
Para as eleições autárquicas serão impressos três vezes mais boletins para se elegerem os presidentes de 308 câmaras, 308 assembleias e 4260 juntas de freguesia, o que custará o triplo do valor. Desde 1994 que o papel dos boletins de voto é reciclado, branco, liso e não transparente, explicou à Agência Lusa a directora-geral da Administração Interna, Rita Faden. "
 
Terminado o prazo de recurso contencioso ou decididos os recursos, os tribunais - para onde são remetidos os boletins com votos válidos - promovem a sua destruição, cabendo ao juiz decidir do modo dessa destruição", referiu.
 
A responsável divulga ainda que os boletins de voto só podem começar a ser impressos depois de conhecido o resultado do sorteio das listas candidatas à eleição, efectuado em cada um dos tribunais dos diferentes círculos eleitorais. O referido sorteio deverá efectuar-se no 40º dia anterior à data prevista para a eleição.
 
Processo de distribuição de boletins pelo paísA distribuição dos boletins de voto pelo território nacional terá uma vigilância reforçada pelas autoridades. "O processo inicia-se pelo transporte, colaboração das Forças Armadas, desde a Imprensa Nacional - Casa da Moeda até às instalações dos Governos Civis e dos Representantes da República nas Regiões Autónomas dos Açores e Madeira", explicou Rita Faden, acrescentando que o círculo de Lisboa decorreu entre 7 e 14 de Setembro.
 
As entidades procedem, em seguida, à entrega dos boletins de voto de cada concelho às respectivas Câmaras Municipais, sendo o transporte acompanhado pelas autoridades policiais. As Câmaras Municipais enviam aos presidentes das mesas de cada uma das secções de voto os documentos respectivos, "cabendo a cada uma das entidades intervenientes a responsabilidade de guardar os boletins de voto em local seguro".
 
Os boletins de voto são entregues aos presidentes das mesas das secções de voto pelos presidentes das Câmaras Municipais até três dias antes do dia designado para as eleições. No dia da eleição, esses boletins de voto irão estar nas secções de voto que, em muitos casos funcionam em instalações escolares e outros equipamentos públicos.
Lusa


publicado por Noticias do Ribatejo às 16:29
link do post | comentar | favorito

Jogo com Monsanto será em Alcanena ou Torres Novas

REDUTO DOS RIBATEJANOS NÃO TERÁ CONDIÇÕES PARA O EMBATE

 

 

Monsanto, localidade do distrito de Santarém e situada no interior do Ribatejo, é, desde a manhã deste domingo, uma localidade em alvoroço depois do sorteio da terceira eliminatória da Taça de Portugal que ditou o embate entre o Grupo Desportivo e Recreativo de Monsanto, a competir na Zona Centro da II Divisão Nacional, e o Benfica.

Contudo, a limitada lotação do Campo do Pião, com capacidade para cerca de 1000 espectadores, deverá obrigar os locais a receberem as águias noutro recinto, sendo que, nesta altura, estão em equação o Estádio Dr. António Alves Vieira, em Torres Novas, com capacidade para 18000 espectadores, e o Estádio Coronel Joaquim Maria Baptista, em Alcanena, com capacidade para cerca de 5400 adeptos.

A possibilidade foi admitida por António Barroso, diretor-desportivo do clube ribatejano, presente no sorteio realizado no auditório Manuel Quaresma, na sede da Federação Portuguesa de Futebol, que adiantou já ter falado com Rui Costa sobre o assunto.

Fonte: Record

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 14:16
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 18 de Setembro de 2009
Alcanena e Cartaxo entre os 22 municípios contemplados na segunda edição do Simplex

 

 

 

O programa Simplex Autárquico, que registou uma execução global de 85 por cento durante o primeiro ano, conta com mais 22 municípios na edição 2009/2010, o que eleva para 60 o número de concelhos envolvidos. Cartaxo e Alcanena são dois dos novos contemplados.

Na segunda-feira, durante a apresentação da segunda fase daquele projecto-piloto de simplificação e desburocratização da administração pública, a secretária de Estado da Modernização Administrativa, Maria Manuel Marques, destacou a importância das colaborações entre poderes local e central, uma vez que, das 149 medidas inicialmente programadas no lançamento do Simplex Autárquico, em Julho do ano passado, 124 foram concretizadas.

Cinco medidas foram aplicadas de forma parcial e 20 ficaram por concretizar, o que perfaz uma execução global de 84,90 por cento, com medidas como a criação de balcões únicos, sistemas de SMS para avisar os cidadãos do estado dos seus processos e simuladores de taxas a pagar por determinados serviços.

De acordo com informação da Agência para a Modernização Administrativa, o Simplex Autárquico arrancou com nove concelhos, a que se juntaram gradualmente outros 29. A partir de agora, somam-se ainda mais 22, como Odivelas, Fafe, Mértola, Oeiras, Sines ou Alcanena.

Fonte: O Mirante



publicado por Noticias do Ribatejo às 13:56
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009
Médio Tejo promove «Portal do Empreendedor


Portal EmpreendedorA Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo está a promover o «Portal do Empreendedor», que pretende ser um instrumento de promoção empresarial desta região, que abrange dez municípios: Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.

A iniciativa visa colocar «à disposição do público em geral informação relevante sobre a Região do Médio Tejo, em termos de caracterização sócio-económica, dados estatísticos, entidades e competências regionais, com especial destaque para a divulgação das empresas da Região e para a promoção do empreendedorismo», refere a entidade.

Para tal, a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo está a convidar as empresas, entidades públicas e privadas envolvidas na actividade empresarial da região a participarem neste portal, de forma gratuita, seja para serem incluídos na área «Médio Tejo Inovador» seja para partilhar informação.



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:32
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009
Sónia Sanfona:O PS não deve fazer coligações pós-eleitorais

 

 
Sónia Sanfona ficou conhecida do País depois de ter assinado o famigerado relatório final da Comissão de Inquérito ao BPN. Assume-se uma alpiarcense convicta e, depois de quatro anos e meio no Parlamento, aceita o desafio de candidatar-se à presidência da sua vila natal: "O turismo é o aspecto mais diferente e inovador no meu programa eleitoral".

Sónia Sanfona, Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS e Candidata à Câmara de Alpiarça. Sónia Sanfona ficou conhecida do País depois de ter assinado o famigerado relatório final da Comissão de Inquérito ao BPN. Assume-se uma alpiarcense convicta e, depois de quatro anos e meio no Parlamento, aceita o desafio de candidatar-se à presidência da sua vila natal: "O turismo é o aspecto mais diferente e inovador no meu programa eleitoral". Sobre as legislativas e a governabilidade, avança que o PS deve Governar sozinho e procurar acordos pontuais com as várias forças políticas.
 
O que é que a motiva no desafio autárquico?
 
Comecei a minha intervenção na política como membro de uma Assembleia Municipal, uma experiência muito interessante e que, pessoalmente, acho que contribuiu para eu desenvolver o sentimento de servir os nossos concidadãos. A mim compensa-me pensar que posso fazer alguma coisa pelos outros - o que, francamente, não sei se é um sentimento egoísta. O desafio autárquico é, fundamentalmente, um apelo das nossas raízes. Ao longo deste tempo não deixei de viver na terra onde nasci, tenho dois filhos que vão lá à escola, a minha família é toda de lá... Partilho muito dos problemas e das vantagens de se viver num concelho como o meu e ser-se alpiarcense.
 
A Câmara Municipal tem sido gerida nos últimos anos pelo PS. O que é que faltou concretizar?
 
Quem conhecia e conhece Alpiarça há doze anos a esta parte - o período de tempo em que o PS está à frente dos destinos do concelho - pode muito facilmente apreciar as diferenças, quer na gestão quer no rosto, da vila. Alpiarça tem hoje um conjunto de equipamentos sociais, culturais, cívicos que não tinha. Melhorou a rede viária, as infra-estruturas básicas, criou uma zona industrial. Desenvolveu-se, progrediu e modernizou. Mas é claro que há sempre qualquer coisa para fazer.
 
Pode dar alguns exemplos?
 
Algumas coisas não foram feitas por manifesta impossibilidade de as conseguir, porque Alpiarça é um concelho pequeno e tem limitações do ponto de vista da capacidade de investimento e de concretização. É preciso melhorar substancialmente a forma como se administra e gere - e profissionalizar essa gestão - a casa museu José Relvas, colocando-a no centro daquilo que quero que seja um programa de desenvolvimento turístico sustentado. Alpiarça tem condições únicas: uma barragem com um valor natural muito específico e de grande qualidade, um pólo desportivo interessante, uma zona ribeirinha que não está aproveitada, uma vala real que precisa de ser despoluída...
 
O turismo é a sua grande aposta para o município?
 
O turismo é o aspecto mais diferente e inovador no meu programa eleitoral. Há um conjunto de outras medidas, ideias e projectos que, também sendo novos, não têm esta dimensão. Há medidas de apoio aos empresários, especificamente aos agricultores, apoio ao pequeno comércio... Um conjunto de iniciativas e de ajudas que a autarquia pode desenvolver para a fixação das empresas e do comércio ou na colaboração com os agricultores.
 
Acredita que a notoriedade que conseguiu alcançar como deputada, designadamente devido à comissão parlamentar sobre o caso BPN, a poderá beneficiar eleitoralmente?
 
Muito francamente acho que não. Para mim foi fundamental o percurso todo que fiz até chegar à comissão de inquérito do BPN, o culminar de quatro anos e meio de trabalho que desenvolvi no Parlamento. De facto, publicamente, o relatório que fiz tornou-me conhecida, de uma forma mais genérica, no País. Mas isso não resulta em meu benefício ou prejuízo. No meu concelho as pessoas conhecem-me desde que eu nasci, conhecem a minha família, fizeram parte do meu percurso escolar, conhecem-me profissionalmente porque exerci advocacia durante nove anos em Alpiarça...
 
Tem algum mal os assessores de Belém participarem na elaboração de um programa político de um partido?
 
A Presidência da República deve ser um órgão equidistante, imparcial e independente. A partir do momento em que é eleito, o Presidente da República deve ser o Presidente de todos os portugueses. Tenho alguma dificuldade em perceber por que razão os seus assessores, pessoas da sua confiança e que trabalham consigo e o aconselham, não se protegem deste tipo de intervenção. Muito sinceramente, não estou preocupada com a contribuição que os assessores do Presidente deram para o programa do PSD. Mas do ponto de vista da imagem externa transparece uma ideia que não é positiva, no sentido em que a independência e a equidistância deve ser assegurada.
 
Essa ideia poderá ser propositada. Isto é, a Presidência querer fragilizar Sócrates para beneficiar Ferreira Leite?
 
Pode. Mas também pode ser uma espécie de aproveitamento por parte do PSD para publicitar a participação de assessores do Presidente na elaboração do programa do PSD e demonstrar aos portugueses que o Presidente estará em consonância com aquilo que o partido irá apresentar. Quem mais fragilizado sai deste processo é o Presidente, que deveria manter a sua preocupação de equidistância.
 
Cavaco Silva já devia ter vindo a público afastar-se destas acusações, até sobre espionagem em Belém?
 
O público em geral está a dar uma importância a este assunto que ele não tem. Provavelmente o Presidente pensará a mesma coisa. Se o Presidente tivesse tido algum indício ou sensação de que podia estar em causa a sua privacidade ou a do seu gabinete, teria agido em conformidade. A Procuradoria-geral da República existe exactamente para isto.
 
Que avaliação política faz das relações entre Belém e S. Bento?
 
Não acho que as relações entre a Presidência e o Governo sejam más, de todo. Mas eu sou um agente externo, estou a falar da forma como que vejo. Os vetos presidenciais estão previstos na Constituição e representam o exercício de um poder legítimo do Presidente. A análise que faço é que nalguns casos os vetos fundaram-se em razões objectivas, sobretudo dúvidas de constitucionalidade; e noutros por opções pessoais de formação do Presidente, que é uma pessoa mais conservadora. Nesse sentido, compreendo melhor alguns vetos do que outros.
 
Gostaria de ver Manuel Alegre como Presidente da República?
 
O Partido Socialista deve ter um candidato presidencial. O partido tem no seu seio e na comunidade que não sendo militante se encontra no seu espectro político um conjunto de personalidades e figuras que podem perfeitamente desempenhar o cargo de Presidente da República com elevação. Entre essas figuras vejo Manuel Alegre.
 
Como o mais destacado?
 
Na minha análise, o Governo do PS, nos últimos quatro anos e meio, teria tido alguma dificuldade no relacionamento com a Presidência da República se Manuel Alegre fosse Presidente.
 
Mais do que teve com Cavaco Silva?
 
Não sei... Teria tido alguma dificuldade porque isso foi visível ao longo do mandato. Houve um conjunto de propostas legislativas que claramente não teriam tido acolhimento na Presidência da República e tiveram. Provavelmente haveria outras que teriam acolhimento e com o actual Presidente não tiveram. Vejo alguma distância, não do ponto de vista ideológico porque o PS é só um, há um posicionamento muito diferente entre aquilo que tem sido a linha do Governo e a posição de Manuel Alegre. Não lhe estou a dizer que é completamente incompatível que o Manuel Alegre seja Presidente com um Governo do eng. Sócrates, é possível.
 
Pessoalmente preferiria alguém com um perfil mais semelhante ao de José Sócrates?
 
Eventualmente haverá alguns outros putativos candidatos a PR que possam ser, do ponto de vista do pensamento político, mais próximos do eng. José Sócrates. Estamos num exercício especulativo. O que acho é que o PS deve ter um candidato presidencial...
 
Não se perspectiva que nenhum partido tenha uma maioria absoluta; o bloco central é afastado pelo PS e pelo PSD, os partidos mais pequenos recusam-se a coligar e apoiar os partidos maiores, talvez com excepção ao CDS.
 
Como é que a governabilidade é assegurada neste cenário?
 
Não acho que o Partido Socialista deva fazer coligações pós-eleitorais. Não o fez nesta fase pré-eleitoral e julgo que não o fará depois das eleições. Estou convencida que o PS vai ganhar as eleições legislativas. É provável que não saia destas eleições com maioria absoluta, mas acho que essa também é uma escolha que os portugueses têm que fazer, porque se há quem anuncie com grande veemência que as maiorias absolutas fazem diminuir a participação democrática - ideia com a qual eu não concordo -, a verdade é que as maiorias absolutas permitem uma estabilidade governativa que a maioria relativa não garante. O PS deve procurar entendimentos, em cada área, com a força política que mais se aproxime daquilo que é o seu programa, daquilo que são as suas opções políticas.
 
Não seria melhor um Governo estável apoiado por uma maioria estável?
 
Seria melhor um governo estável com uma maioria absoluta do PS. Sempre que o PCP e o Bloco se identifiquem com as propostas do Partido Socialista e as queiram viabilizar, são perfeitamente bem-vindos. Não concordo, por exemplo, com a proposta feita pelo Engenheiro Ferro Rodrigues relativamente às coligações, convidar o PCP ou o Bloco para o Governo...
 
Ferro Rodrigues também fala no PSD, no Bloco Central.
 
A questão do PSD parece-me que está posta de parte à partida, porque quer a dra. Manuela Ferreira Leite quer o próprio eng. Sócrates puseram de parte essa possibilidade.
 
Mas quem perder vai-se embora... Isto é, se o PS perder, talvez o Ferro Rodrigues seja um possível líder.Não me parece. O caminho do País é no sentido do futuro, da inovação e o caminho do Partido Socialista é rigorosamente o mesmo. Não me parece nada que tenhamos de voltar atrás, sem com isto querer dizer o que quer que seja relativamente ao eng. Ferro Rodrigues, que é uma pessoa que estimo e que aprecio bastante. Mas, na minha opinião, o futuro do PS não passa por aí. O Partido Socialista é um partido moderno, de uma esquerda democrática avançada.
 
Voltando ao Bloco Central...
 
Eventualmente o País necessitava desse entendimento, o que eu acho é que será muito difícil com uma líder do PSD como Manuela Ferreira Leite. Acho que a dra. Manuela Ferreira Leite começou muito mal a pré-campanha legislativa, com uma proposta de destruição total de tudo o que o Partido Socialista fez. A dra. Manuela Ferreira Leite propõe que aquilo que se fez que se apague, que se destrua, que se rasgue e que, portanto, se comece do zero. O PSD voltou a trazer um discurso de profundo desânimo a Portugal. Nós temos tido um Partido Socialista e um Governo que procura puxar o país para cima, diz às pessoas que não podemos desanimar, que não é altura de baixar os braços, que é preciso lutar pelas coisas, que é preciso estarmos convencidos de que somos capazes de fazer, somos capazes de mudar, vamos ultrapassar a crise. Depois, tempos um PSD a puxar-nos sistematicamente para baixo.
 
O papel da oposição não é fazer oposição às medidas do Governo?
 
O papel da oposição deve ser construtivo. O papel da oposição é dizer "nós não concordamos com isto e, em alternativa, a solução é esta". Este é o papel de uma oposição responsável. Não é o papel de crítica destrutiva, sistemática, inconsistente, sem qualquer tipo de proposta alternativa. Porque é assim que tem funcionado o PSD ao longo deste tempo. É o vazio das ideias, é o vazio das propostas. As pessoas vêem e sentem isto, até porque a dra. Manuela Ferreira Leite não aparece agora aos portugueses, já cá anda há algum tempo, tem um passado, tem uma história. Por isso, neste quadro, é difícil encontrar aqui o equilíbrio necessário para que os dois maiores partidos se entendam e possam governar em conjunto.
 
Uma das acusações que Manuela Ferreira Leite faz é de claustrofobia democrática. Que comentários faz?
 
Acho espantoso como é que a dra. Manuela Ferreira Leite, depois do processo de constituição das listas para estas eleições legislativas, tenha a coragem de dizer aos portugueses que o País vive um clima de claustrofobia democrática. Nunca tinha visto uma manobra tão desleal como aquela que foi feita pela direcção do PSD relativamente aos seus principais adversários internos, que com ela disputaram a liderança do partido.
Ferreira Leite fundamenta que precisa de ter um grupo parlamentar leal, que acredite plenamente no seu projecto político.É preciso ter um grupo leal e é preciso ter diversidade, porque a diversidade também é qualidade. Relembro que o eng. José Sócrates também teve um opositor na luta interna pela liderança do partido e que esse opositor foi membro do Grupo Parlamentar durante estes quatro anos e meio. Ninguém tem dúvidas que Manuel Alegre exerceu o seu mandato rigorosamente como quis exercê-lo. E a sua voz dissonante não foi sempre negativa, ao contrário daquilo que as pessoas às vezes querem fazer passar. O debate interno e a dissonância que às vezes existe entre opções é saudável do ponto de vista democrático. A dra. Manuela Ferreira Leite não percebeu uma coisa fundamental: o dr. Passos Coelho não foi eleito líder do PSD, mas teve uma rotação expressiva no seu partido e representa, de facto, uma parte significativa do que é o PSD. Isto revela o receio do afrontamento ou da possível sombra que, eventualmente, o dr. Passos Coelho podia fazer à dra. Manuela Ferreira Leite. O País caminha para o futuro e os partidos políticos também caminham e hoje a dra. Manuela Ferreira Leite já é passado e o dr. Passos Coelho pode ser futuro.
 
« Semanário»


publicado por Noticias do Ribatejo às 16:32
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009
Apresentação dos candidatos da CDU

 Golegã
Apresentação dos Primeiros Candidatos da CDU aos órgãos autárquicos do Concelho da Golegã. Sábado, 29.08.2009, 17h00, no Restaurante Típico "Cú da Mula".Com a participação de António Filipe, primeiro candidato da CDU à Assembleia da República.
 
- Alcanhões
Apresentação dos candidatos da CDU à Assembleia de Freguesia de Alcanhões.
Sábado, 29.08.2009, 13h00, Largo do Arneiro, Alcanhões.
Com António Filipe, primeiro candidato da CDU à Assembleia da República, e José Marcelino, candidato da CDU à Presidência da Câmara Municipal de Santarém.
Almoço com porco no espeto.



publicado por Noticias do Ribatejo às 10:16
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 25 de Agosto de 2009
Vítimas de mini-tornado já se podem candidatar a apoios do Governo

 

 

Os particulares e as empresas que sofreram danos em imóveis devido ao mini-tornado que, em Abril de 2008, afectou parte dos concelhos de Santarém, Alcanena e Torres Novas podem candidatar-se a partir desta terça-feira aos apoios financeiros prometidos pelo Governo. Finalmente o edital dando conta da boa nova foi afixado em locais públicos das zonas atingidas, designadamente nas juntas de freguesia.

Os candidatos têm agora 20 dias úteis para apresentar a sua candidatura através do preenchimento de um formulário, que será depois objecto de apreciação por parte de um grupo de trabalho que inclui representantes dos ministérios das Finanças e da Administração Interna, do Governo Civil de Santarém e dos municípios de Alcanena e Santarém. Ao todo há 300 mil euros para distribuir, destinados a compensar o investimento feito por populares e empresas na reparação de habitações ou instalações de empresas.

A percentagem máxima de cada apoio a conceder é de 70 por cento do montante da despesa elegível. De fora dos apoios ficam despesas relativas a danos que sejam cobertos por outras entidades públicas ou privadas ou prejuízos sofridos por pessoas que tenham capacidade efectiva para, pelos seus meios, os superarem.

A morosidade de todo este processo, que se encontrava num impasse por faltar a assinatura do ministro das Finanças no despacho conjunto que desbloqueou a situação, motivou críticas recentes do pároco de Amiais de Baixo e Abra, concelho de Santarém. O padre António Pereira afirmava, em declarações reproduzidas na edição de 30 de Julho de O MIRANTE, que “dá tristeza ver o desprezo com que nos tratam”.

 

«O Mirante»



publicado por Noticias do Ribatejo às 19:45
link do post | comentar | favorito

Sábado, 8 de Agosto de 2009
Governo Civil articula com entidades prevenção à gripe A

Governo Civil articula com entidades prevenção à gripe A
 

O Governo Civil reuniu esta sexta-feira com um conjunto de entidades para discussão e preparação de medidas de combate à gripe A.
Joaquim Botas Castanho considera que o distrito está atento à situação, mas é necessário articular acções de resposta.
A evolução da situação da gripe A é imprevisível, por isso, de acordo com o Governador Civil, é importante haver coordenação entre as diversas instituições com responsabilidades na matéria. «Se se levantar o problema da necessidade de articular a resposta, queremos que tudo esteja devidamente planeado, que cada um saiba as medidas que deve tomar», afirmou. Este foi o principal objectivo da reunião, onde cada entidade falou das acções já levadas a cabo.
Joaquim Botas Castanho considera que a estratégia do Ministério da Saúde «tem sido coroada de sucesso» e que as pessoas estão, hoje, sensibilizadas quanto às medidas de prevenção. As instituições têm-se manifestado atentas à situação e, prova disso, é a elaboração dos seus próprios planos de contingência, incluindo o Governo Civil. «É sinal que as pessoas estão a preparar a resposta à pandemia quando aparecer», acrescentou o Governador Civil.
As entidades públicas têm conseguido igualmente responder às necessidades e continuarão a aplicar os esforços necessários para garantir um combate eficaz à doença. «Os serviços de saúde estão a fazer o seu trabalho e a protecção civil estará realmente pronta para ajudar e desenvolver as tarefas qe lhe venham a ser imputadas e precisas», assegurou Joaquim Botas Castanho.
Na reunião, estiveram presentes um representante da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, os Directores-Executivos dos Agrupamentos de Centros de Saúde, o Presidente do Centro Hospitalar do Médio Tejo, o Comandante Operacional Distrital da Autoridade Nacional de Protecção, o Comandante Distrital da PSP, representantes da GNR e o Presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Santarém. O próximo encontro está marcado para o dia 28 de Agosto.

 

«O Ribatejo»



publicado por Noticias do Ribatejo às 09:47
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

MENSAGEM DA GOVERNADORA C...

Sobre a Lena Hotéis e Tur...

SANTAREM-MUSP

TOMAR - Convento de Crist...

Actividade operacional d...

ÚLTIMA HORA-PLANO DE CHEI...

ALMEIRIM-Comunicado da As...

AGRUPAMENTO DE CENTROS DE...

REQUISITOS de PRESTAÇÃO d...

ACES “SERRA D'AIRE”

Mensagem de Natal do Bisp...

BENAVENTE-RASTREIO DO CAN...

Quercus pede que sejam pr...

SANTARÉM - W Shopping lan...

Almeirim recebe prova de ...

Os intocáveis

SANTARÉM - Bombeiros deci...

Candidaturas abertas para...

Espanhóis querem comprar ...

Camião despista-se e larg...

Distrito de Santarém vai ...

Taça Ribatejo ao rubro

O novo Governo de José Só...

TORRES NOVAS- Liga de Ami...

TORRES NOVAS- Festa no Fu...

Benfica goleia fora de ca...

PS vence no distrito em n...

SE mesmo assim a EDP ganh...

Festa da Marioneta

Câmara Alpiarça poderá te...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds