NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 24 de Julho de 2016
A saudade tem nome?

CATARINABETES.png

Por Catarina Betes

 

A saudade tem nome?

Há quem creia que sim.

 

Que lhe outorgue rostos, lugares, momentos e ensejos. Saudade é pena, é ânsia, é lembrança, é um reencontro com a reminiscência, um sentir sem querer, um querer sem saber, se a saudade existe e é real, porque se quer, ou porque, remembrar é um modo de querer, e viver.

Revejo a saudade nos ramos da árvore antiga, que espreitam o primeiro andar do edifício antigo, cujas raízes golpeiam implacavelmente o chão. A força do vento faz baloiçar os seus ramos fortes e com ele oiço o som infindável do seu uivo, que clama por tempos antigos.

Saudade é divagar, é viajar dentro de nós mesmos, mas para que tal aconteça, é necessário sair. E nem sempre tempos consciência da jornada que se inicia.

Percebemo-nos dentro dela quando, inexplicavelmente, a nossa mente nos guia pelos caminhos longínquos do passado, sem que percebamos porquê, se lá não deixámos nada, por determinar. Circunstâncias supostamente insignificantes, que surpreendentemente preenchem um espaço em um tempo, em nós.

Figuras que fizeram parte da nossa vida e que mal memoramos, surgem inexplicavelmente, na vigília do nosso espírito, como se, afinal, o seu papel fosse superior ao que lhes outorgamos e determinámos.

66.png

 

Espaços e momentos desmemoriados, surgem e com eles nos arrojam, como se, contra todas as possibilidades, ali pertencêssemos. São um trio e um todo extraordinariamente complexo, mente, espírito e pensamento.

Remiro-me nos ramos daquela árvore, porque como eles vou meneando, com a força incessante do vento. O som insistente do seu uivar amedronta-me e faz-me duvidar.

Mas como as suas estirpes, também as minhas raízes, me prendem à terra e falam mais alto.

A saudade não tem nome. Tem cheiro, tem sabor e tem cor.

Tem o cheiro da terra molhada, acabada de regar.

Cheira a um dia de chuva, a um estojo de lápis, a escola a começar.

Cheira ao café da avó acabado de fazer, na velha cafeteira, que ferve no fogão, por baixo da chaminé antiga.

Cheira à maresia, numa manhã de verão, fria.

Sabe à doçura de um abraço repleto de ternura, ao afago e aconchego dos lençóis, ao deitar, no fim do dia.

Sabe à canja de galinha da mãe, que tudo cura, com amor.

Tem a cor do arco íris, num dia em que a chuva se cruza com o calor.

Saudade não tem nome, mas tem cheiro, sabor e cor.

Saudade, cheira a um jardim colorido, numa manhã de primavera, sabe a um bolo caseiro com tempero de amor, tem a cor do pôr do sol, num fim de tarde de verão, que fecha o dia e aquece. A alma…e o coração.



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:05
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

"O medo tem alguma utilid...

Município de Azambuja ass...

Ano letivo 2019-2020 arra...

Tomar – Prisão preventiva...

Arroz é rei em novo event...

PSD visita operação de li...

Fórum Cultural em Arruda ...

CÂMARA MUNICIPAL DO CARTA...

Santarém retoma liderança...

União de Tertúlias de Aza...

Mercado de Outono e ofici...

ATIVIDADES PRIMEIRO FIM D...

ELA É UMA MÚSICA OCUPA VA...

Espaço Cidadão em Aveiras...

Politécnico de Santarém a...

Centro Cultural recebe se...

X Maratona BTT NO TRILHO...

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A...

CÂMARA ENTREGOU FICHAS ES...

"Love Conquers All", no J...

Rock na Aldeia 2019

Município de Azambuja ass...

Parabéns Cátia Mateus!......

O Movimento Juntos pelo R...

Joana Bagulho toca Carlos...

NERSANT Business soma já ...

TEMAS DE SAÚDE: Sequelas ...

Não nascemos para sermos ...

‘Os homens e as mulheres ...

Sessões de Yoga para cria...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds