NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 25 de Março de 2018
Alento

ANAFONSECA

Por: Ana Fonseca da Luz

 

Alento

 

Ontem foi Sexta-feira Santa e, como sempre, fui à Chamusca, à noite, para ir à Procissão. Apesar de andar arredada da Igreja, não estou arredada de Deus. Só eu sei quantas vezes ele me pegou ao colo quando eu mais precisava, quantas vezes me segredou ao ouvido que caminho seguir.

A Chamusca, nesta altura do ano, tem o dom de me encantar, faz-me recuar no tempo e enche-me o coração de alento.

Fiz como sempre. Segui a procissão o mais próximo possível do Senhor da Misericórdia, para me sentir ainda mais próxima de Deus e, em silêncio, percorri as ruas que tão bem conheço. No bolso levava um bocadinho de rosmaninho, que apanhei no chão da igreja da Misericórdia e foi precisamente aí que senti que faltava qualquer coisa, faltava alguém. Lembrei-me mais tarde. Entre as capas pretas da Procissão dos Fogaréus, faltava o Zé Luís Leitão. Faltava o seu porte altivo e os seus olhos de cigano a iluminarem a noite.

 Todo o percurso me encantou, como se percorresse a Chamusca pela primeira vez. As pessoas que eu tão bem conheço seguiam de olhos limpos e serenos, entoando “ Senhor Deus Misericórdia”.

Mais à frente, depois da capelinha dos Viscondes, mesmo ao lado de onde, antigamente, eram os bombeiros, que, com primor, erguiam sempre o seu altar em louvor ao Senhor da Misericórdia, o meu coração bateu mais lento. Lembrei outro amigo que ficou pelo caminho, o Xico Rodrigues. E, nessa altura, a saudade do passado doeu fundo no meu peito. Perder amigos é perder sempre um bocadinho da nossa história.

A Procissão seguia lenta e enfeitada de cheiros, mas não eram os mesmos de antigamente. Nem o rosmaninho tinha a mesma intensidade…

O mais doloroso de todo o percurso foi passar à minha antiga casa, “à casa do Gaspar”, que ele enfeitava sempre com tanto carinho, à casa da tia Alda, sempre cheia de velas e lanterninhas… Aí sim, a saudade bateu tão forte que baixei os olhos e chorei.

Apeteceu-me recuar no tempo e voltar a enfeitar as janelas com lanternas e as jarras antigas com rosmaninho, lírios e jarros. Tirar o Cristo do oratório e dar-lhe um lugar de honra, sobre a toalha de linho antigo que sempre enfeitava a mesa. Restou-me limpar as lágrimas e seguir em frente. O passado mora lá atrás…

Voltei para casa com uma estranha sensação de satisfação insatisfeita.

Hoje de manhã, voltei à Chamusca. Queria pagar ao meu amigo Raul o cafezinho há tanto tempo prometido e os dois dedos de conversa que dois bons amigos têm sempre para dar, apesar de darem os bons dias quase todas as manhã. Maravilhas da Net…

Encontrámo-nos a meio de caminho. Na ponte da Chamusca. Depois do café bebido ao balcão, sentámo-nos, quais dois velhos alentejanos, no banco à porta do café, para um gostoso cigarro (maldita lei do tabaco…) e para dois dedos de prosa. Ambos nos queixámos do mesmo. A Procissão já não era como antigamente… Eu queixei-me de que o cheiro não era o mesmo e que nem o céu tinha a mesma cor… O Raul concordou. Realmente não era como antigamente!

– O que é que achas que falta, Raul? –  perguntei-lhe, uma vez que há 30 anos não moro lá e ele tem um jeito cheio de manha e poesia para descrever as coisas.

– Sabes o que falta? Falta o bacalhau assado com broa, o licor de tangerina e a voz da Amália como pano de fundo, no velho gira discos em casa do Gaspar. É isso que falta.

Dei a última passa no cigarro e concordei com o meu amigo. O que falta realmente são bocadinhos da nossa história, da história de um grupo de meninos que era feliz, muito feliz e  nem sabia.

É por isso que eu e o meu amigo Raul gostamos de escrever, para deixar um bocadinho da nossa história e para que o cheiro do rosmaninho nunca se perca.

No próximo ano quero ir novamente à procissão. Quero, como sempre, rever os meus amigos e cantar baixinho “Senhor Deus misericórdia…”

Entretanto, as últimas brasas morreram de tanto calor terem dado. As minhas mãos estão frias, mas o meu coração está cheio da terra de que tanto gosto. E isso aquece-me a alma…

 

«in ARua das Magnólias»



publicado por Noticias do Ribatejo às 08:00
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Janeiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11



29
30
31


posts recentes

ETAR DE TORRES NOVAS TRAN...

Chamusca prestou homenage...

CARTAXO: CINCO PERSONAGEN...

BAILANDO COM SOPHIA

"Vidas Íntimas" de Noël C...

Aline Frazão apresentou D...

NERSANT apresenta projeto...

OUTONO

"Hidro by night" no Compl...

DEPUTADA DE OS VERDES NA ...

Yoga para crianças na Bib...

RUA SERPA PINTO E LARGO S...

NERSANT desenvolve Score ...

SUSPENSÃO NO ABASTECIMENT...

HORA DO CONTO

Projeto "Hora do Conto" ...

CONSTRANGIMENTOS E EVENTU...

Exposição de Pintura “Exp...

Inscrições abertas para a...

Câmara de Santarém aprova...

“Revist’ó Fado na Tasca d...

Suspensão do abastecimen...

Animais Errantes - Progra...

Trail “guiado” e caminhad...

Concerto de Ano Novo com ...

PONTÉVEL VAI RECEBER SEIS...

Angolana Aline Frazão dá ...

Programa Melhor Turismo 2...

Palavras

Cineteatro São João receb...

arquivos

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds