NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Quarta-feira, 1 de Setembro de 2021
ALPIARÇA: Chega para cá

1000.jpg

transferir.png

 

Por:

José Luís Albuquerque

Candidato a Presidente da Câmara Muncipal de Alpiarça, pelo "CHEGA"

 

Chega para cá

 

O desenvolvimento de um país e de uma região, passa pela diferenciação positiva, relativamente aos seus pares. Quando se escolhe um país para visitar, viver ou envelhecer, há critérios que pesam na sua escolha relativamente a outros, tais como o clima, a beleza da região, os preços, as taxas e impostos, as pessoas, a segurança, isto é, mede-se a sua qualidade de vida. Da mesma forma, uma região que se quer atrativa, que procure pessoas, investimento e melhoria da qualidade de vida da sua população, deve apostar em políticas eficazes, criativas e diferenciadoras, que lhe permitam competir e ganhar vantagem relativamente a outras regiões.

Estamos em Alpiarça, um pequeno concelho que tem como vizinhos Almeirim e Santarém, dois concelhos de dimensão muito superior, quer em termos de território e número de pessoas, quer de indústria e comércio e que contam com freguesias cujo orçamento e tamanho rivalizam com todo o município de José Relvas. De que forma, pode então Alpiarça competir com estes gigantes, que recebem alunos, pois têm instituições de ensino superior, para onde se transferem trabalhadores, porque tem indústria e comércio desenvolvido, que captam indústrias e serviços que se instalam em parques industriais avançados e onde existe mão de obra mais especializada, que estão mais próximos das vias de comunicação, de autoestradas e de comboio? A resposta está na inovação e no aproveitamento daquilo que Alpiarça tem de ímpar e que os concelhos vizinhos não têm, na sua capacidade diferenciadora, ou seja, na sua oferta cultural, turística, ambiental e histórica. Isto é único em Alpiarça e nenhum município no país o pode repetir.

Alpiarça é a «pérola da Lezíria» que ainda não foi polida. Está em bruto. Os atuais representantes do poder local (e os anteriores), passados tantos anos, não perceberam ainda o potencial e a capacidade geradora de vantagens que este concelho oferece.

Sabendo que este é um concelho que perdeu quase 10% da sua população nos últimos 10 anos, que está mais envelhecida de ano para ano, que perde mais empresas do que aquelas que se criam, que tem atrações, mas não atrai turismo, podíamos dizer que o seu futuro está comprometido. Também a gestão dos recursos materiais e financeiros da autarquia tem sido desastrosa, com o investimento assente numa política de adjudicações diretas, sem concurso público (alguns misteriosos), procedimentos estes pouco transparentes e prejudiciais aos interesses da população de Alpiarça.

Como poderá então Alpiarça responder a esta visão procariota para um concelho e para a sua população?

A resposta está na mudança de paradigma para o concelho, apostando numa política de qualificação do património, atração de população, fixação da juventude e desenvolvimento do turismo. Estas são as chaves para potenciar aquilo que é diferente, que é único e mais valorizado em Alpiarça.

O incentivo à criação de empresas e dinamização do empreendedorismo é fundamental para fixar a juventude, nomeadamente através da criação de espaço destinado a start-ups que, de forma gratuita, possam, durante os primeiros anos de vida, desenvolver a sua atividade. É neste Ninho de Empresas que, em espaço partilhado, a criatividade e o engenho da juventude alpiarcense pode desenvolver os seus projetos e amadurecer a sua atividade. Por outro lado, é fundamental qualificar o espaço industrial para ser atrativo para quem ali se quer instalar. Uma zona industrial pode ter árvores, passeios, iluminação condigna, equipamentos de restauração e ser zona de passagem de uma carreira rodoviária de transporte dos trabalhadores. Não precisa de parecer o cenário de um filme apocalíptico, sem vida, abandonado.

A urbanização de habitação de gama alta deve ser um fator a ponderar para o Concelho, pois atrai população que procura uma qualidade de vida que Alpiarça pode oferecer, seja para habitação permanente ou de férias. Esses munícipes procuram comércio de qualidade, restauração, serviços e até investimento local.

O incentivo à natalidade, que pode ser um fator de decisão quando toca à escolha do local onde se pretende constituir família e viver, é um dever, para evitar esta curva descendente da população, através da atribuição do cheque bebé a famílias residentes no concelho e uma ajuda mensal nos primeiros 24 meses, período em que os gastos com as crianças são avultados e têm forte impacto no orçamento das famílias.

Manter a juventude a estudar no concelho, após o ensino secundário, é possível através de um protocolo com instituição de ensino superior universitário ou politécnico, descentralizando cursos para o município, o que permitiria aumentar a retenção da juventude de Alpiarça e dinamizar comércio e serviços no Concelho.

Mas o mais importante para a valorização e promoção da imagem de Alpiarça passa pelo seu bem mais precioso, a sua riqueza natural e cultural. O património ambiental e uma política sustentável de gestão dos recursos aplicada ao turismo é um dos desafios mais valorizado hoje em dia pelos consumidores e sê-lo-á cada vez mais no futuro. A Casa dos Patudos, o enoturismo, a zona ribeirinha, a floresta, a barragem, são condimentos únicos de uma oferta ímpar na região.

Alpiarça pode ter no Patacão a melhor praia fluvial do ribatejo, que tem potencial de atração de milhares de pessoas anualmente. É preciso investir em equipamentos de apoio, baseados em estruturas palafitas, tal como a aldeia existente (que, devidamente qualificada, é por si só uma atração turística e que merecia ter um pequeno centro de interpretação da cultura avieira) e criar bons acessos e estacionamento.

O complexo dos Patudos, onde se encontra a albufeira com o mesmo nome (um espaço único na região), está desaproveitado. A albufeira é neste momento apenas uma imensa massa de água que nada serve do ponto de vista turístico. Deve ser potenciado todo o complexo e rentabilizado para desportos náuticos; banhos; pesca; circuitos pedonais, a cavalo, de bicicleta. Na zona poderia ainda criar-se um roteiro pelas diversas estações arqueológicas existentes na zona, para fins turísticos, mas também de investigação.

Com um concelho preparado para o turismo, é possível promover a instalação de uma unidade hoteleira na região, facilitando a integração dos operadores turísticos nos projetos municipais e privados da região.

Alpiarça tem tudo isto e muito mais, há investimento privado que aguarda um executivo de confiança, sério, virado para o futuro para aqui criar os seus negócios, criando emprego, desenvolvendo o comércio local e desta forma aumentar o rendimento e orçamento da autarquia.

 

Por tudo isto, é necessária uma visão para o futuro. Temos uma oportunidade única, com recurso aos fundos europeus que estão disponíveis, de alavancar uma revolução de desenvolvimento, que permite olhar para o futuro de Alpiarça com entusiasmo, simultaneamente criando condições para atrair o investimento privado, dando assim oportunidade a que se tire todo o partido possível do património e herança cultural do concelho. Podemos então dizer “Chega para cá, vem ver como evoluiu Alpiarça”.

 

Alpiarça tem tudo isto e muito mais. Alpiarça não pode ficar para trás.



publicado por Noticias do Ribatejo às 10:41
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Outubro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
16

17

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

BE Abrantes| Impasse na ...

JOÃO HEITOR NOMEOU PEDRO ...

Município do Entroncament...

Sessão pública de esclare...

NERSANT e Governo da Bahi...

Alunos e professores do P...

SUSPENSÃO NO ABASTECIMEN...

CÂMARA MUNICIPAL DO CARTA...

Fórum do Clima em Tomar

"A Saúde Mental Pós Pande...

Lançamento do livro no ...

Câmara de Abrantes dá par...

Município de Azambuja ass...

Município de Azambuja abr...

MUSEU RURAL E DO VINHO JÁ...

Tomaram posse os órgãos a...

19ª Feira Nacional de Doç...

Tomar com forte presença ...

Avançam os trabalhos de “...

Festival Nacional de Gast...

ENTRONCAMENTO: Exposição ...

Biblioteca Grandella de A...

SUSPENSÃO NO ABASTECIMENT...

Lançamento do livro “Bair...

ENTRONCAMENTO: Aulas de H...

Rio Maior - Detido em fla...

Os sabores bracarenses vi...

Biblioteca Municipal de A...

TREF realiza conferências...

2ª Feira Social dinamizad...

tags

todas as tags

arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

DIRECTOR/rRESPONSÁVEL: António Centeio
Rua do Jardim, 2090-078 Alpiarça Telemóvel: 933 088 759
subscrever feeds