NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Quinta-feira, 3 de Julho de 2014
RIO MAIOR: “Os Verdes” querem respostas sobre poluição no Rio Maior

 

 

O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar “Os Verdes”, entregou na Assembleia da República 3 perguntas em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, do Ministério da Agricultura e do Mar e, ainda, o Ministério da Administração Interna, sobre a poluição no Rio Maior.

 

Pergunta dirigida ao Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia:

 

O Rio Maior tem sido, em conjunto com a Ribeira dos Milagres em Leiria, uma dos cursos de água mais castigados, ao longo de décadas, pela poluição em especial de origem suinícola. Nascido no Concelho a que dá o nome, atravessa ainda os Concelhos de Santarém, Cartaxo e Azambuja (desde as obras da responsabilidade da Administração Central em meados do Séc. XIX, altura em deixou de desaguar no Rio Tejo na zona do Vale de Santarém, para ser ligado à Vala da Asseca e Vala Real da Azambuja), antes de se tornar afluente do Tejo. Naquela altura era ainda um importante meio de comunicação, fonte de desenvolvimento económico, de bem-estar e de qualidade de vida. Hoje tornou-se um rio abandonado à morte, convertido em mero passivo ambiental, problema de saúde pública, fonte de preocupação e de degradação da qualidade de vida das populações ribeirinhas.

 

É inegável que as unidades de criação suinícola, existentes ao longo das suas margens, em particular nos Concelhos de Rio Maior e de Santarém, têm constituído parte substancial do problema de poluição do Rio Maior, seja diretamente pelas escorrências ou descargas, intencionais ou acidentais, de efluentes poluentes para o seu curso de água ou para ribeiras afluentes do mesmo, seja pela deposição de chorume no solo ou espalhamento em campo agrícola poluindo a médio prazo os lençóis freáticos da sua bacia.

 

A luta das populações e de associações de defesa do ambiente, designadamente de cariz local, tem sido fundamental para chamar a atenção do problema, para reunir informação, para procurar soluções.

 

Em 1995, entrou em funcionamento uma estação de tratamento de efluentes suinícolas (ETES) localizada na Freguesia de Alcobertas (Concelho de Rio Maior), na altura considerada pioneira no tratamento de efluente suinícola daquela região com aproveitamento de lamas inertizadas para fins agrícolas e aproveitamento do biogás na produção de energia elétrica (cogeração) para funcionamento da própria estação e para venda do excedente à rede elétrica nacional. No entanto, hoje encontra-se inativa, abandonada e em degradação, apresentando riscos ambientais e de segurança designadamente por se encontrar localizada em solos de elevada permeabilidade, em pleno Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (PNSAC). A gestão da ETES de Alcobertas foi assegurada pela ADSAICA, organização criada em 1990 pelos sete municípios da área do PNSAC e pelo então Instituto de Conservação da Natureza (ICN).

 

De acordo com a comunicação social da altura, com a conversão do ICN em Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICN-B), a manutenção da estação foi-se degradando com a perda do técnico que geria a ETES e do funcionário que retirava as lamas que não foram substituídos.

 

Em 2010 a direção da ADSAICA, presidida então pela Câmara Municipal de Alcanena, assumindo a incapacidade para gerir a ETES, aprovou em assembleia geral a sua doação ao Município de Rio Maior, que assumiu a intenção de arrancar com um projeto de recuperação e reativação, orçado em 100 mil euros numa primeira fase. Já posteriormente, em 2012, foi assinado entre a autarquia de Rio Maior e a Junta de Freguesia de Alcobertas um protocolo de transferência deste equipamento para a alçada da Junta de Freguesia, mantendo-se porém a mesma por recuperar e inativa. A Junta de Freguesia chegou a defender ser a ETES economicamente sustentável uma vez que dos 100 mil euros orçados, 60 mil já não seriam necessários já que a Junta de Freguesia dispunha já de trator e cisterna, apostando na venda do fertilizante, resultante do tratamento do resíduo, para a agricultura para providenciar o financiamento restante necessário.

 

E contudo, a ETES continua sem funcionar devidamente e o problema ambiental e das populações continua a agravar-se. Por outro lado, verifica-se que o Governo, por via do ICN, se demitiu por completo da questão e acabou por alijar responsabilidades com a doação da ETES a uma das autarquias deixando de fazer parte da solução.

 

Assim, nos termos constitucionais, legais e regimentais solicito a Vª Exª Sra. Presidente da Assembleia da República que remeta a presente pergunta ao Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia para que me possa responder às seguintes questões:

 

  1. Como é que qualifica o MAOTE o estado do Rio Maior enquanto recurso hídrico de superfície

e quais as suas causas poluentes identificadas?

  1. Encontra-se em funcionamento a ETES de Alcobertas? Se sim, possui a mesma o devido

licenciamento?

  1. Por que razão entrou em degradação a ETES de Alcobertas?
  2. Qual a responsabilidade do então ICN ou ICNB na perda do técnico ou do funcionário da

ETES? E na decisão de entregar a ETES ao Município de Rio Maior?

  1. Entende o MAOTE que a gestão dum equipamento desta natureza deve ser responsabilidade

apenas de uma autarquia, mormente de uma Freguesia?

  1. Qual o nível de envolvimento e de responsabilidade que entende o MAOTE dever ter para

com a gestão da ETES de Alcobertas?

  1. Qual o nível de envolvimento administrativo e financeiro que o MAOTE admite assumir na

resolução da poluição do Rio Maior, nomeadamente no que toca ao tratamento dos efluentes

suinícolas?

  1. Qual o ponto de situação da execução da ENEAPAI (Estratégia Nacional para os Efluentes

Agrícolas e Agroindustriais) que identificava em 2007 a zona de Rio Maior como um núcleo

prioritário de intervenção? O que foi feito desde então?

  1. Que medidas irá tomar o MAOTE através do ICNF, da APA ou de outra entidade para

promover a cessação da poluição do Rio Maior pelas suiniculturas e a limpeza do seu leito e

margens?

 

Ao Ministério da Agricultura e do Mar foram dirigidas as seguintes questões:

 

O conhecimento da realidade do sector das suiniculturas na região da bacia do Rio Maior é fundamental para encontrar soluções que compatibilizem a atividade económica e o emprego, o bem estar animal e o respeito pelo meio ambiente e qualidade de vida das populações ribeirinhas. O envolvimento dos Ministérios das pastas do Ambiente e da Agricultura na procura de soluções ambientalmente responsáveis e com viabilidade económica para o sector é fundamental mas não tem sido, de há décadas a esta parte, uma realidade. A existência de uma ETES a funcionar num sistema participado pelos produtores pecuários da região poderia ser um caminho como a ENEAPAI apontava.

 

Assim, nos termos constitucionais, legais e regimentais solicito a Vª Exª Sra. Presidente da Assembleia da República que remeta a presente pergunta ao Ministério da Agricultura e do Mar para que me possa responder às seguintes questões:

 

  1. Quantas suiniculturas estão identificadas nos Concelhos de Rio Maior e de Santarém

(freguesias de Almoster, Póvoa da Isenta e Vale de Santarém) na bacia do Rio Maior em

laboração e inativas?

  1. Quantas estão devidamente licenciadas (licenciamento de atividade pecuária e licenciamento

de descargas para o meio hídrico)?

  1. Com que equipamentos de tratamento dos efluentes estão essas unidades equipadas?
  2. Quantas destas foram alvo de ações de fiscalização, de quantas e em que anos, nos últimos 5 anos?
  3. Qual o resultado dessas ações de fiscalização (quantos autos de contraordenação, quantas

condenações)?

  1. Qual o nível de envolvimento administrativo e financeiro que o MAM admite assumir na

resolução da poluição do Rio Maior, nomeadamente no que toca ao tratamento dos efluentes

suinícolas?

  1. Qual o ponto de situação da execução da ENEAPAI (Estratégia Nacional para os Efluentes

Agrícolas e Agroindustriais) que identificava em 2007 a zona de Rio Maior como um núcleo

prioritário de intervenção? O que foi feito desde então?

  1. Que medidas irá tomar o MAM para promover a adesão dos produtores a um sistema mais

eficaz de tratamento dos efluentes e resíduos suinícolas?

 

Ao Ministério da Administração Interna foram dirigidas as seguintes questões:

 

A fiscalização das suiniculturas, designadamente através do SEPNA-GNR é fundamental no sentido de exercer uma atuação pedagógica e de garantir o respeito pela legislação vigente a nível de licenciamento e cumprimento das normas ambientais.

 

Assim, nos termos constitucionais, legais e regimentais solicito a Vª Exª Sra. Presidente da Assembleia da República que remeta a presente pergunta ao Ministério da Administração Interna para que me possa responder às seguintes questões:

 

  1. Quantas suiniculturas estão identificadas nos Concelhos de Rio Maior e de Santarém

(freguesias de Almoster, Póvoa da Isenta e Vale de Santarém) na bacia do Rio Maior em

laboração e inativas?

  1. Quantas queixas/denúncias existiram em relação às suiniculturas em questão nos últimos 5

anos ou em relação a descargas poluentes no Rio Maior de causa desconhecida?

  1. Quantas suiniculturas foram alvo de ações de fiscalização, de quantas ações e em que

anos, nos últimos 5 anos?

  1. Qual o resultado dessas ações de fiscalização (quantos autos de contraordenação, quantas

condenações)?

 

O Grupo Parlamentar “Os Verdes”,

 



publicado por Noticias do Ribatejo às 15:14
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

TEMAS DE SAÚDE: Serviço N...

56ª Feira Nacional de Agr...

Ser presente é uma escolh...

Ministro da Agricultura m...

Colégio de Fátima vence E...

Semana Aberta da Universi...

Secretário de Estado da E...

POLIEMPREENDE ATRIBUI 4.5...

Projeto AgriEmpreende rec...

FNA 19 continua a debater...

Circulação de Trânsito | ...

24 horas a pedalar em Cor...

Políticos de Palmo e Meio...

Crédito Agrícola distingu...

NOVO ESPAÇO DO CIDADÃO AG...

Atribuído prémio de Melho...

Operação Baco 2019

Sons de Verão animam as ...

Fim de Semana da Ativida...

Chamusca recebe de 11 a 1...

1300 crianças passam “UM ...

Jornalista Fernando Corre...

Conversas de Agricultura ...

Município do Entroncament...

Chamusca afirma-se como “...

Feira Nacional de Agricul...

Três nadadores de Almeiri...

CARTAXO NA FEIRA NACIONAL...

FERSANT celebra 30 anos c...

Município de Coruche Na ...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds