NOTICIAS DO RIBATEJO EM SUMARIO E ACTUALIZADAS PERIODICAMENTE - "A Imparcialidade Na Noticia" - UMA REFERÊNCIA NA INFORMAÇÃO REGIONAL -
Domingo, 17 de Junho de 2018
TEMAS DE SAÚDE: Perturbação Depressiva Major

ANTONIETA

Por: Antonieta Dias (*)

 

Perturbação Depressiva Major
 

A  perturbação Depressiva Major( PDM), faz parte das grandes preocupações do seculo XXI, sendo muitas vezes crónica e progressiva tem uma alta prevalência no mundo.
 
Afeta mais de 350 milhões de pessoas.
 
Com base nos dados referidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1 a 20 pessoas já sofreram um Episódio de Depressão Major(EDM) por ano.
 
Nem sempre é fácil fazer o seu diagnóstico, devido ao fato de ter uma apresentação clinica demasiado complexa e com uma sintomatologia multifacetada, com intervenção de fatores biológicos, genéticos, de desenvolvimento e psicossociais que desencadeiam um mau funcionamento dos circuitos nervosos e anomalias anatómicas e funcionais ao nível do córtex pré - frontal e do hipotálamo.
 
Todavia alguns sintomas nos conduzem para uma pesquisa e investigação mais detalhada, sendo muitas vezes uma historia clinica difícil, sobretudo pelo fato de os pacientes se refugiarem no segredo do seu mundo interior.
O perfil dos sintomas é heterogéneo e a morbidade elevada.
 
Carateriza-se por uma sintomatologia onde predomina o humor triste, as perturbações cognitivas, disfunção sexual,, perturbações do sono, a perda de interesse  na realização das tarefas habituais, a perda de energia, o desânimo e o fato não ter prazer em viver.
 
Tem um grande reflexo na atividade laboral sendo responsável por uma abstinência prolongada  e recorrente, contribuindo para um enorme prejuízo social e económico.
 
Cerca de 50% dos doentes não  respondem à primeira linha de tratamento e cerca de 30% não conseguem a remissão  apos quatro fases de tratamento, fazendo com que a Perturbação Depressiva Major permanece por resolver numa percentagem elevada de casos.
 
Porem, importa referir que a terapêutica antidepressiva  reduz  de uma forma geral a duração dos episódios,  a morbilidade e mortalidade, contudo mesmo após a remissão alguns sintomas podem persistir, designadamente a disfunção cognitiva que aumenta o risco de recidiva ou de recorrência se não forem completamente debelados.
 
No Sequenced Treatment Alternatives to Relieve Depression(STAR*D), que foi o maior ensaio clinico prospetivo, randomizado,  realizado em regime ambulatório revelou que cerca de 90% dos doentes mantinham um ou mais sintomas depressivos não resolvidos.
 
Para além de que os pacientes que responderam mais rapidamente à remissão dos sintomas ( seis semanas ou menos) tiveram uma menor incidência de sintomas residuais dos que demoram mais tempo na obtenção da remissão.
 
A falta de adesão à terapêutica tem a ver com a não aceitação da doença por parte dos doentes e o receio dos efeitos colaterais que podem surgir e que são responsáveis por muitos casos de abandono da terapêutica.
 
A variabilidade individual dos sintomas afetivos, cognitivos, físicos ou psíquicos é muito floriada, ao qual acresce ainda a resposta imprevisível  do doente quando se faz a instituição terapêutica.
 
 Pese embora a subjetividade da sintomatologia que pode retardar o diagnostico, é necessário que o médico selecione o fármaco que reúna as melhores condições para minimizar o tempo de a resposta do doente e sobretudo para o estabilizar o mais rapidamente possível.
 
São  dois os  guias de critérios mais frequentemente utilizados para diagnosticarem a depressão nos quais de incluem a décima revisão da Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial de Saúde (OMS) e a quinta edição do Diagnostic and Stastical Manual of Mental Disorders(DMS-5) (Caixa 1.1),2, da American Psychiatric Association (APA).
Em suma, sendo o mecanismo de ação dos antidepressivos de resposta  individualizada em que cada doente responde de acordo com a particularidade  das suas características  pessoais, para as quais não possuímos conhecimentos científicos que nos permitam adivinhar qual vai ser a assertividade eletiva, há que escolher um medicamento que reúna as melhores condições para aliviar rapidamente a sintomatologia depressiva dos doentes, que trate eficazmente a perturbação cognitiva associada à depressão e que tenha um bom perfil de segurança e de tolerabilidade de forma a que as perturbações do humor, a apatia e a insociabilidade resultante desta doença seja debelada o mais rapidamente possível o prejuízo psicossocial resultante deste síndrome.
 
Resta ainda acrescentar que alguns doentes podem não querer revelar o seu sofrimento emocional e noutros casos nem conseguem mesmo expressá-lo, pelo que a relação de embatia medico /doente representa assim uma prioridade na seleção do clinico que reúna as condições técnico cientificas para responder de forma adequada ao quesitado. sem as quais não conseguirá identificar os cinco dos oito sintomas que provocam o sofrimento dos doentes e que os incapacitam da  normal reintegração social, familiar e laboral.

 

(*) Prof Doutora na Faculdade de Medicina do Porto



publicado por Noticias do Ribatejo às 10:33
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Invista no seu desenvolvi...

MOMENTOS NO LARGO DIA 21 ...

Município aprovou atribui...

AR E CÂMARA DE BENAVENTE ...

Aprovada a adjudicação do...

Manhãs Botânicas no Jardi...

Street Food In.Str Magica...

CARTAXO PROMOVE TROCA DE ...

FESTAS DO PORTO ALTO ESPE...

RUAS ENFEITADAS DO PEREIR...

arquivos

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

subscrever feeds